Clembuterol

Princípio Ativo

Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

Classificaçāo

Broncodilatador

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Bovinos e Equinos

Tempo de Carência

O clambuterol é liberado para uso como broncodilatador em equinos, porém não deve ser utilizado como aditivo na produção.

Foram relatados casos de intoxicação humana associados ao consumo de carne com resíduos de clambuterol.

Proibido o uso em animais de produção.

Informações ao cliente

Não deve ser utilizado por humanos sem orientação médica. Pode provocar problemas cardíacos.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Indicações e contraindicações

Indicações

Agonista beta-2 adrenérgico broncodilatador, relaxante uterino e preventivo de cólicas abomasais.

Efeitos adversos

Tremores musculares, ataxia, agitação, sudorese, urticária e taquicardia, principalmente observada nas primeiras administrações.

Ferraz (2006) observou aumento da freqüência cardíaca e insulinemia em equinos saudáveis testados durante atividade física.

Reprodução, gestação e lactação

Não usar em gestantes, exceto como relaxante da musculatura uterina no momento do parto.

Superdosagem

Os principais sinais de intoxicação são letargia, taquicardia e convulsões.

O uso prolongado de clembuterol ou em doses altas causam graves lesões cardíacas.

Administração e doses

Via(s)

IM

Oral

EV

Frequência de utilização

12 / 12 horas

24 / 24 horas

Equinos - Equinos

Broncoespamolítico (EV, VO)

0,8 - 3,2 mcg / kg

calcular

Tocolítico (EV, IM)

200 mcg / animal

Broncodilatador

0,8 mcg / kg

calcular

Bovinos - Bovinos

Relaxamento uterino (IM)

0,8 mcg / kg

calcular

Prevenção de úlceras abomasais (VO)

1,6 mcg / kg

calcular

Controle do parto (IM, VO)

200 mcg / animal

Observações

Para equinos no tratamento de Broncodilatação, iniciar com a dose especificada, se não ocorrerem reações importantes, acrescentar a cada 3 dias mais 0,8 mcg/kg, até um total de 3,2 mcg/kg.

Interações medicamentosas

Observações da interação

É relatado uso abusivo do clembuterol por humanos com a intenção de aumento de massa muscular. A administração concomitante com albuterol, anestésicos inalatórios, beta-bloqueadores, digoxina, dinoprosta, oxitocina e terbutalina podem modificar a absorção dessas substâncias e causar efeitos adversos.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

Farmacodinâmica

Atua principalmente nos receptores beta2-adrenérgicos provocando alívio através da diminuição do o broncoespasmo e a broncoconstrição.

O estímulo destes receptores causa o relaxamento da musculatura lisa dos brônquios e inibição da liberação de alguns mediadores inflamatórios, como mastócitos.

Além dos efeitos broncodilatadores, o clembuterol também estimula o desenvolvimento da musculatura em detrimento do tecido adiposo.

Farmacocinética

Apresenta menor eficácia que a terbutalina, porém com meia-vida de 13 horas (PAPICH, 2012), mais prolongada do que os outros beta-agonistas.

Também é mais bem-absorvido pela via oral nos equinos, podendo ser utilizado por esta via.

Considerações laboratoriais

O clembuterol pode ser detectado na urina por até 12 dias da sua administração.

Efeitos adversos

Tremores musculares, ataxia, agitação, sudorese, urticária e taquicardia, principalmente observada nas primeiras administrações.

Ferraz (2006) observou aumento da freqüência cardíaca e insulinemia em equinos saudáveis testados durante atividade física.

Reprodução, gestação e lactação

Não usar em gestantes, exceto como relaxante da musculatura uterina no momento do parto.

Superdosagem

Os principais sinais de intoxicação são letargia, taquicardia e convulsões.

O uso prolongado de clembuterol ou em doses altas causam graves lesões cardíacas.

Monitoramento

A frequência cardíaca deve ser monitorada.

Estudos

Não há nenhum estudo relacionado à este produto.

Videos

Este produto ainda não tem videos

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do produto

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências bibliográficas

FERRAZ, Guilherme de Camargo. Respostas endócrinas, metabólicas, cardíacas e hematológicas de eqüinos submetidos ao exercício intenso e à administração de cafeína, aminofilina e clembuterol. 2006. viii, 98 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2006.