Cloridrato de Bromexina

Princípio Ativo

Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloridrato de Bromexina

Classificaçāo

Secretolítico, Mucolítico

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

Informações ao cliente

Utilizado como adjuvante no tratamento de bronquites e penumonias.

Não devendo ser utilizado como único medicamento em infecções.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • - Cloridrato de Bromexina 4 mg / 5 mL, solução oral (120 mL)
  • - Cloridrato de Bromexina 8 mg / 5 mL, solução oral (120 mL)

Indicações e contraindicações

Indicações

Indicado para a terapia secretolítica e expectorante nas afecções broncopulmonares agudas e crônicas associadas à secreção mucosa anormal e transtornos do transporte mucoso.

Efeitos adversos

A Bromexina pode provocar distúrbios gastrointestinais leves.

Reprodução, gestação e lactação

Dados sobre o uso da bromexina durante gestação e lactação são escassos, sendo preferível evitar seu uso nessas condições.

Superdosagem

Nenhum efeito específico foi observado em humanos.

Em sobredose os efeitos adversos são agravados e o tratamento é sintomático.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Frequência de utilização

24 horas

Duração do tratamento

A critério do médico veterinário

Doses

Recomendado

Bovinos e Equinos

0,15 - 0,3 mg / kg

calcular

Observações

A bromexina pode ser detectada por 7 dias quando usada pela via oral em amostra biológia de eaquinos.

Interações medicamentosas

Cloreto de sódio

Grau de interação

Grave

Conduta

Incompatível

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

Farmacodinâmica

O mecanismo de ação da bromexina ainda não é totalmente conhecido. Acredita-se que ela atue nas glândulas brônquicas, liberando enzimas lisossomais das células produtoras de muco, o que ocasionaria a digestão das fibras mucopolissacarídicas (RIZZO e CRUZ, 2010).

Atua na redução da viscosidade das secreções pulmonares e auxilia na atuação de outros medicamentos (como antibióticos) por alterar a permeabilidade da barreira alvéolo-capilar.

Considerações laboratoriais

Pode alterar o nível de transaminase sérica, porém não foram comprovados efeitos de toxicidade hepática.

Efeitos adversos

A Bromexina pode provocar distúrbios gastrointestinais leves.

Reprodução, gestação e lactação

Dados sobre o uso da bromexina durante gestação e lactação são escassos, sendo preferível evitar seu uso nessas condições.

Superdosagem

Nenhum efeito específico foi observado em humanos.

Em sobredose os efeitos adversos são agravados e o tratamento é sintomático.

Monitoramento

Monitorar a eficácia do medicamento.

Estudos

Não há nenhum estudo relacionado à este produto.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do produto

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências bibliográficas

GONÇALVES, Roberto Calderon et al. Tracheal collapse in a miniature pony. Semina: Ciências Agrárias, v. 25, n. 1, p. 59-62, 2004.

MELO, U. P.; FERREIRA, C.; PALHARES, M. S. Airway recurrent obstruction in mules: report of three cases. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 59, n. 3, p. 627-633, 2007.

RIZZO, J. A. e CRUZ, A. A. Drogas Muciativas (Mucolíticos, Expectorantes) e Antitussígenas. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.