Agrosil 5 Mega

Vansil

Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Benzilpenicilina Procaína
  • Benzilpenicilina Potássica
  • Estreptomicina
  • Piroxicam

Classificaçāo

Antibiótico, Anti-inflamatório

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

Composição

Cada frasco ampola contém:

Benzilpenicilina Procaína - 3.750.000 UI

Benzilpenicilina Potássica - 1.250.000 UI

Estreptomicina - 2 g


Cada ampola de diluente contém:

Diluente para injeção q.s.p - 15 mL

Armazenamento

O produto deve ser mantido na embalagem original até a completa utilização, entre 15 e 30ºC, ao abrigo da luz solar, umidade e calor, fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Registro no mapa

Licenciado no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento sob o nº 8.889 em 28/06/2004.

Responsável técnico

Dr. Alan Fioroni Kastein CRF-SP 31640.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Agrosil 5 Mega, frasco ampola (15 mL)

Indicações e contraindicações

Indicações

Tratamento de infecções causadas ou associadas aos agentes bacterianos abaixo discriminados sensíveis aos princípios ativos da formulação.

Bovinos: Mastite (Streptococcus sp), Edema Maligno (Clostridium septicum), Carbúnculo Sintomático (Clostridium chauvoei), Gangrena (Clostridium perfringens), Tétano (Clostridium tetani) e Hemoglobinúria (Clostridium haemolyticum).

Equinos: Garrotilho (Streptococcus equi), Onfaloflebite (Staphylococcus genitalium), Artrite Supurativa (E. coli, Salmonella spp, Actinobacillus spp), Linfangite Ulcerativa (Corynebacterium pseudotuberculosis), Pneumonia dos Potros (Corynebacterium equi), Listeriose (Listeria monocytogenes) e Septicemia dos Potros (Salmonella abortus equi).

Suínos: Enterite Necrótica (Clostridium perfringens), Diarreia dos leitões (Escherichia coli), Meningite, Septicemia e Artrite (Streptococcus suis), Síndrome da Agalactia MMA (Escherichia coli, Streptococcus spp e, Klebsiella spp), Erisipela (Erysipelotrix rhusiopathiae), Abcessos e infecções de ferimentos (Staphilococcus sp e Streptococcus spp).

Ovinos: Artrite Infecciosa dos Cordeiros (Streptococcus genitalium), Poliartrite dos Cordeiros (Actinomyces pyogenes, Streptococcus faecalis, Fusiobacterium necrophorus), Endocardite (Streptococcus pyogenes), Linfadenite Caseosa (Corynebacterium pseudotuberculosis), Listeriose (Listeria monocytogenes), Carbúnculo Sintomático (Clostridium chauvoei) e Edema Maligno (Clostridium septicum).

Contraindicações / precauções

O produto é contraindicado para animais com hipersensibilidade às Penicilinas e/ou Aminoglicosídeos, bem como animais com hepatopatias, cardiopatias, insuficiência renal ou com idade inferior a um mês.

Efeitos adversos

- Em raras ocasiões podem ocorrer reações de hipersensibilidade à Penicilina e Estreptomicina. Ocorrendo estas reações deve-se imediatamente ser administrada medicação adequada, tal como epinefrina e/ou anti-histamínicos.

- Em altas doses a procaína pode provocar casos de nervosismo, excitação, incoordenação, ataxia, excitabilidade, particularmente em cavalos. - Em leitões podem apresentar sintomas nervosos e em porcas gestantes doses terapêuticas têm provocado aborto.

- Com relação às Penicilinas, quando associadas ao probenecida a excreção destas é sensivelmente diminuída, assim como são aumentados os níveis sanguíneos.

- Com relação à Estreptomicina, devido a similaridade com outros antibióticos aminoglicosídeos as interações medicamentosas precisam ser consideradas durante seu uso.

- As Penicilinas são substâncias de baixa toxicidade, mas com alto índice de sensibilização. As seguintes reações foram relatadas durante o uso das Penicilinas: erupção cutânea, edema de glote, febre, artralgia e prostração. Reações anafiláticas têm sido relatadas após vários dias de terapia, particularmente se o local de administração é repetido. Muitas destas reações são consequentes a exposição à Procaína livre. A concentração de procaína livre nos frascos de penicilinas aumenta excessivamente após exposição ao calor como ocorre em carros ou caminhões durante o verão. Pode ocorrer miosite e dor muscular em casos de terapias prolongadas.

- A inibição da síntese de prostaglandina, resultante da ação inibitória sobre a ciclooxigenase pode predispor alguns indivíduos submetidos ao Piroxicam ao desenvolvimento de nefrite intersticial, desequilíbrio eletrolítico e retenção de água.

- Pode causar hemorragia gastrointestinal.

Reprodução, gestação e lactação

Não administrar em fêmeas gestantes.

Administração e doses

Via(s)

IM Profunda

Frequência de utilização

24 / 24 horas

Duração do tratamento

3 a 5 dias até o desaparecimento dos sintomas.

Doses

10 a 25 kg

Bovinos e Equinos

1 mL / animal

Modo de usar

O produto deve ser administrado pela via intramuscular profunda. Após transferir o conteúdo do diluente com o auxílio de uma seringa, homogeneizar de modo a obter uma suspensão homogênea nas seguintes dosagens:

Bovinos e Equinos: 1 ml (187.500 UI de Benzilpenicilina Procaína e 62.500 UI de Benzilpenicilina Potássica + 100 mg de Estreptomicina base) para cada 10 a 25 kg de peso, ou seja, 1 frasco para 200 a 500 kg de peso, diariamente durante 3 a 5 dias, ou até o desaparecimento dos sintomas.

Suínos e Ovinos: 1 ml (187.500 UI de Benzilpenicilina Procaína e 62.500 UI de Benzilpenicilina Potássica + 100 mg de Estreptomicina base) para cada 10 kg de peso, do produto reconstituído, diariamente durante 3 a 5 dias até o desaparecimento dos sintomas.

Prosseguir o tratamento por mais 48 horas após o desaparecimento dos sintomas.

O produto uma vez reconstituído perfaz um total de 20 ml. O produto deve ser utilizado logo após a sua reconstituição. Alterações na posologia e modo de uso à critério do Médico Veterinário.

Interações medicamentosas

Outras drogas neurotóxicas ou nefrotóxicas tais como as cefalosporinas (especialmente a Cefaloridina), Polimixina B, Colistina, Vancomicina, Anfotericina B, diuréticos potentes tais como Ácido Etacrínico, Furosemida, Manitol, etc.

Tipo de interação

Sequencial ou concomitante

Efeito Clínico

Os Aminoglicosídeos potencializam as drogas bloqueadores neuromusculares e anestésicos gerais e aumentando o efeito bloqueador neuromuscular, podendo causar parada respiratória.

Conduta

Evitar

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

Farmacodinâmica

Os antibióticos β-lactâmicos exercem seus efeitos bactericidas impedindo a síntese da parede celular bacteriana e rompendo a sua integridade. Os β-lactâmicos ligam-se a uma série de enzimas, conhecidas como proteínas de ligação de penicilina, que estão envolvidas nos estágios finais da síntese da parede celular. O anel β-lactâmico é um análogo estrutural da ponte peptídica final (D-alanina-D-alanina), que liga de forma cruzada as cadeias de peptideoglicano, as quais compõem a parede celular bacteriana.

O Sulfato de estreptomicina pertence ao grupo dos aminoglicosídeos, antibióticos bactericidas que interferem na síntese proteica ligando-se à subunidade 30 S do ribossomo, e para exercerem esse efeito há necessidade de penetrarem na célula bacteriana, por isso são associados aos antibióticos betalactâmicos para obter efeito sinérgico.

Os analgésicos anti-inflamatórios não esteroides atuam inibindo a enzima Ciclo-oxigenase, dando lugar a uma diminuição dos precursores das prostaglandinas e dos tromboxanos.

Farmacocinética

As penicilinas se difundem pelo líquido extracelular e se distribuem por vários tecidos, não penetram no SNC em grande extensão; não são biotransformadas no organismo, sendo eliminadas pelos rins, 90% por secreção tubular (processo ativo que pode ser inibido pela probenecida) e 10% por filtração glomerular. A penicilina G liga-se às proteínas plasmáticas em cerca de 60%; somente aquela não ligada às proteínas exerce atividade antimicrobiana. A penicilina G potássica, apresenta latência de cerca de 30 min para atingir os níveis terapêuticos via injetável, e estes se mantêm por 4 a 6 h. A penicilina G procaína, por esta mesma via, tem latência de 1 a 3 h para atingir níveis terapêuticos, que são mantidos por cerca de 12 a 24 h, porém os níveis séricos são mais baixos.

Os aminoglicosídeos se distribuem por vários tecidos, principalmente nos líquidos sinovial, pleural, peritoneal, pericárdico e perilinfa. A taxa de concentração leite-plasma é de aproximadamente 0,5. A meia-vida de eliminação dos aminoglicosídeos é curta, de 1 a 2 h. A eliminação renal, na sua forma inalterada, ocorre por filtração glomerular.

Efeitos adversos

- Em raras ocasiões podem ocorrer reações de hipersensibilidade à Penicilina e Estreptomicina. Ocorrendo estas reações deve-se imediatamente ser administrada medicação adequada, tal como epinefrina e/ou anti-histamínicos.

- Em altas doses a procaína pode provocar casos de nervosismo, excitação, incoordenação, ataxia, excitabilidade, particularmente em cavalos. - Em leitões podem apresentar sintomas nervosos e em porcas gestantes doses terapêuticas têm provocado aborto.

- Com relação às Penicilinas, quando associadas ao probenecida a excreção destas é sensivelmente diminuída, assim como são aumentados os níveis sanguíneos.

- Com relação à Estreptomicina, devido a similaridade com outros antibióticos aminoglicosídeos as interações medicamentosas precisam ser consideradas durante seu uso.

- As Penicilinas são substâncias de baixa toxicidade, mas com alto índice de sensibilização. As seguintes reações foram relatadas durante o uso das Penicilinas: erupção cutânea, edema de glote, febre, artralgia e prostração. Reações anafiláticas têm sido relatadas após vários dias de terapia, particularmente se o local de administração é repetido. Muitas destas reações são consequentes a exposição à Procaína livre. A concentração de procaína livre nos frascos de penicilinas aumenta excessivamente após exposição ao calor como ocorre em carros ou caminhões durante o verão. Pode ocorrer miosite e dor muscular em casos de terapias prolongadas.

- A inibição da síntese de prostaglandina, resultante da ação inibitória sobre a ciclooxigenase pode predispor alguns indivíduos submetidos ao Piroxicam ao desenvolvimento de nefrite intersticial, desequilíbrio eletrolítico e retenção de água.

- Pode causar hemorragia gastrointestinal.

Reprodução, gestação e lactação

Não administrar em fêmeas gestantes.

Estudos

Não há nenhum estudo relacionado à este produto.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.