Paint Horse

Nome da Raça

Paint Horse

Altura na Cernelha

Média de 1,50 m

Temperamento

Inteligente, disposto e dócil

Introdução

Origem

Contar a origem do Paint Horse é obrigatoriamente passar pela história do Quarto de Milha. O Paint é derivado do Quarto de Milha, que também tem origem norte americana. Ele é o resultado do cruzamento do Puro Sangue Inglês com o chamado Mustang Americano, que era o cavalo selvagem dos Estados Unidos. A colonização feita pela Inglaterra levou para o país os cavalos ingleses.

Na Europa, as grandes pinturas dos séculos 16, 17 e 18 mostram os cavalos Paint. Esses animais coloridos eram muito conhecidos e desempenhavam suas funções em situações de guerra bem como aquelas de paz também, no desenvolvimento da civilização ocidental. Os cavaleiros espanhóis neste período, aprenderam suas habilidades dos invasores mouros e tornaram-se excelentes cavaleiros.

Os cavalos domesticados chegaram ao continente americano com os conquistadores espanhóis. Cortez trouxe 16 cavalos bélicos para Vera Cruz, no México em 1519. Estes cavalos treinados para a guerra foram indispensáveis para a conquista do México. Os documentos da época indicam que pelo menos um deles era Paint.

Demorou muito tempo, mas no início da década de 60, os norte-americanos notaram que tinham em mãos um cavalo extremamente versátil, dócil e com a vantagem da pelagem. Ou seja, em outras palavras, um quarto - de - milha exótico. Em 1962, foi fundada a American Paint Horse Association.

País de origem

Estados Unidos

Curiosidades

Ainda hoje a Raça Paint Horse é uma das mais novas do mundo e, mesmo nos Estados Unidos é considerada como caçula entre as coirmãs. Lá, a Raça já ocupa uma das primeiras colocações no ranking de comercialização e a terceira em número de cavalos. O motivo é um só: reúne a beleza de ser um cavalo de pelos exóticos com a versatilidade necessária para o trabalho, lazer ou esporte.

Na América do Norte, existem hoje cerca de 500 mil animais registrados na American Paint Horse Association, e aproximadamente 60 mil criadores, e 50 mil em outros, inclusive o Brasil.

Características gerais

Aspectos raciais

Com características morfológicas semelhantes ao Quarto de milha, o grande diferencial é a pelagem.

Altura média: 1,50m.

Peso: 500kg

Seu andamento é o trote.

Pelagem

Para poder ter o Registro Regular, o cavalo precisa também exibir um mínimo de pelo branco sobre a sua pele sem pigmentação.

ABC Paint usa três termos para descrever os diversos padrões: Overo, Tobiano e Tovero.

Estes padrões são diferenciados pela localização do branco no cavalo, e não pela cor do pelo. No Brasil, os animais que não tenham manchas são chamados de sólidos.

Para descrever um cavalo Paint usamos a terminologia: Alazão (cor do pelo), Overo ou Tobiano ou Tovero.

Paints podem ter várias cores, preto, castanho, zaino, baio, baio avermelhado, baio amarilho, rosilho, lobuno, alazão oveiro, alazão tostado e tordilho.

Aptidões

Por sua semelhança morfológica ao Quarto de milha e Appaloosa, o cavalo Paint possui as mesmas funções e provas que estas raças: conformação, apartação, rédeas, team penning, buldogging, laço em dupla, corrida, baliza, tambor, etc.

Comportamento e cuidados

Vacinação e vermifugação

As vacinas previnem e/ou minimizam a ação de agentes que possam vir a causar doenças e gerar grandes perdas econômicas. Todos os equinos de uma mesma propriedade devem ser vacinados com o mesmo programa de vacinação. Os programas variam de acordo com a região em que o animal vive ou para qual será transportado.

As vacinas mais utilizadas em equinocultura são a contra influenza, tétano e encefalomielite equina. Em casos de propriedades com problemas de aborto equino a vírus, as éguas prenhas devem receber reforço adicional no 5º, 7º e 9º meses de gestação. Nos equinos os endoparasitas podem causar cólicas, anemias, diarréias, constipações e retardos no crescimento.

Programas de vermifugação devem ser implantados de acordo com o número de animais, extensão da propriedade, sendo importante a alternância do princípio ativo para evitar resistência parasitária e atingir todos os tipos de vermes.

Manejo

Alimentar

O alimento natural dos equinos são os volumosos. Os volumosos são ricos em fibras como as pastagens e as forragens que suprem parcialmente as necessidades nutricionais dos equinos.

Devido às maiores exigências decorrentes do esporte, concentrados enérgicos e/ou protéicos (rações, grãos), foram adicionados à dieta como complemento do volumoso, com quantidade oferecida de acordo com a categoria do animal. O aumento de consumo de concentrados pode causar diversas enfermidades graves como miopatia de esforço, laminite ou cólicas.

Adotar uma periodicidade do horário de alimentar os equinos, evitando longos períodos em jejum. Devidos as perdas constantes de minerais, a suplementação com sal é importante para evitar deficiências.

Casqueamento e ferrageamento

Os cascos de um cavalo devem ser limpos diariamente, principalmente antes do exercício. Um bom casqueamento e ferrageamento nos cascos dos equinos, previne o aparecimento de afecções no aparelho locomotor e oferece proteção do casco dos impactos com o solo, respectivamente.

Confinamento

Água limpa, fresca e a vontade deve estar sempre ao alcance do animal. Manter cavalos em baias é antinatural. Um cavalo chega a se deslocar por dia a distância de 9 a 12 quilômetros. Oferecer baias grandes com ventilação adequada, boa cama, cochos e bebedouros com altura adequada são fundamentais.

Odontológico

As alterações dentárias influenciam na mastigação e digestão dos alimentos, causando menor aproveitamento dos nutrientes, perda de peso, queda de desempenho e problemas no trato gastrointestinal. Os cavalos devem passar por manejo odontológico com um médico veterinário capacitado a cada 6 meses.

Vacinação e vermifugação

As vacinas previnem e/ou minimizam a ação de agentes que possam vir a causar doenças e gerar grandes perdas econômicas. Todos os equinos de uma mesma propriedade devem ser vacinados com o mesmo programa de vacinação. Os programas variam de acordo com a região em que o animal vive ou para qual será transportado.

As vacinas mais utilizadas em equinocultura são a contra influenza, tétano e encefalomielite equina. Em casos de propriedades com problemas de aborto equino a vírus, as éguas prenhas devem receber reforço adicional no 5º, 7º e 9º meses de gestação. Nos equinos os endoparasitas podem causar cólicas, anemias, diarréias, constipações e retardos no crescimento.

Programas de vermifugação devem ser implantados de acordo com o número de animais, extensão da propriedade, sendo importante a alternância do princípio ativo para evitar resistência parasitária e atingir todos os tipos de vermes.

Referências bibliográficas

CINTRA, A. G. de C. O Cavalo: Características, Manejo e Alimentação. Editora ROCA. 2014.

TORRES, A. P.; JARDIM, W.R. Criação do cavalo e de outros equinos. Livraria Nobel. 1987.

Imagem disponível em: http://www.escoladocavalo.com.br/2016/07/13/o-cavalo-da-raca-paint-horse/

ABC Paint. A Raça Paint Horse. História. Disponível em: http://www.abcpaint.com.br/abcpaint/pt/index.php

ABC Paint. A Raça Paint Horse. Padrão da Raça. Disponível em: http://www.abcpaint.com.br/abcpaint/pt/index.php

ABC Paint. A Raça Paint Horse. Cores da Raça. Disponível em: http://www.abcpaint.com.br/abcpaint/pt/index.php

Saúde Animal. Paint Horse- Saúde Animal. Disponível em: http://www.saudeanimal.com.br/2016/01/20/paint-horse/