Sela Belga

Nome da Raça

Sela Belga

Altura na Cernelha

Média de 1,80 m

Temperamento

Forte e confiável

Introdução

Origem

O Sela Belga, também conhecido internacionalmente pelo nome BWP, abreviação de Belgisch Warmbloed Paard, foi cuidadosamente desenvolvido ao longo de várias décadas, através da criação seletiva dos melhores cavalos de montaria e dos mais leves cavalos de trabalho agrícola, que foram misturados com cavalos Puro Sangue Ingleses, Anglo-Árabes e outras comprovadas raças Europeias (Hanoveriano, Holsteiner, Sela Francesa e Sela Holandesa).

Após um período de dez anos, iniciou-se a substituição do Gelderlander por um sangue mais atlético, como o Holsteiner, Sela Francesa e Hanoveriano, raças conhecidas pelo temperamento mais quente e disposto.

Especialmente em Hannover, os irmãos Deuss realizaram importantes compras para o desenvolvimento da raça: adquiriram o garanhão Flugel, depois o exemplar Lugano, e posteriormente Marc Van Dijck importou o Holsteiner Codex.

Esses garanhões, entre outros adquiridos, cruzados com mil éguas garantiram a presença da BWP entre as melhores do ranking de 2009 nas 3 disciplinas da WBFSH (World Breeding Federation for Sport Horses), ficando em 4º lugar no Salto, 9º Lugar no Adestramento e 12º no Concurso Completo de Equitação.

País de origem

Bélgica

Características gerais

Aspectos raciais

Possui uma conformação extremamente equilibrada. A cabeça tem tamanho médio, o pescoço é arqueado, longo e bem desenvolvido. Possui pernas fortes com articulações grandes e cascos resistentes e bem formados.

Sua altura média é de 1,68m. Apresenta traços físicos similares a outras raças de cavalos europeus Warmblood (sangue morno), como o Holsteiner, Sela Francês e Hanoveriano.

O Sela Belga é muito admirado por seu andamento fluído, movimentos suaves e grande habilidade para os desportos equestres.

Pelagem

As pelagens mais comuns são castanho, baia, marrom, preto, tordilho e cinza. Tobiano e pinto são mais incomuns.

Aptidões

O resultado foi o moderno cavalo Sela Belga, ideal para equitação e competição esportiva de qualidade internacional. Há tempo é reconhecido como um dos melhores cavalos de salto do mundo. O Sela Belga moderno é um cavalo atleta multi-talentoso que é criado para o alto desempenho.

Comportamento e cuidados

Vacinação e vermifugação

As vacinas previnem e/ou minimizam a ação de agentes que possam vir a causar doenças e gerar grandes perdas econômicas. Todos os equinos de uma mesma propriedade devem ser vacinados com o mesmo programa de vacinação. Os programas variam de acordo com a região em que o animal vive ou para qual será transportado.

As vacinas mais utilizadas em equinocultura são a contra influenza, tétano e encefalomielite equina. Em casos de propriedades com problemas de aborto equino a vírus, as éguas prenhas devem receber reforço adicional no 5º, 7º e 9º meses de gestação. Nos equinos os endoparasitas podem causar cólicas, anemias, diarréias, constipações e retardos no crescimento.

Programas de vermifugação devem ser implantados de acordo com o número de animais, extensão da propriedade, sendo importante a alternância do princípio ativo para evitar resistência parasitária e atingir todos os tipos de vermes.

Manejo

Específico da raça

A maneira mais simples de identificar corretamente um Sela Belga é através da marca da raça, impressa a ferro quente na coxa esquerda.

Os potros de Sela Belga recebem a marca durante a sua inspeção, isto é, após serem examinados e considerados livres de defeitos aparentes.

Entre três e quatro anos de idade, os garanhões Sela Belga são apresentados a um júri de Aprovação de Garanhões. O teste para a licença consiste numa inspeção veterinária, avaliação subjetiva de conformidade, habilidade de salto sem cavaleiro e avaliação das qualidades do garanhão.

Aqueles que não atingirem notas suficientes no teste não são elegíveis para cobrir no Stud Book.

Alimentar

O alimento natural dos equinos são os volumosos. Os volumosos são ricos em fibras como as pastagens e as forragens que suprem parcialmente as necessidades nutricionais dos equinos.

Devido às maiores exigências decorrentes do esporte, concentrados enérgicos e/ou protéicos (rações, grãos), foram adicionados à dieta como complemento do volumoso, com quantidade oferecida de acordo com a categoria do animal. O aumento de consumo de concentrados pode causar diversas enfermidades graves como miopatia de esforço, laminite ou cólicas.

Adotar uma periodicidade do horário de alimentar os equinos, evitando longos períodos em jejum. Devidos as perdas constantes de minerais, a suplementação com sal é importante para evitar deficiências.

Casqueamento e ferrageamento

Os cascos de um cavalo devem ser limpos diariamente, principalmente antes do exercício. Um bom casqueamento e ferrageamento nos cascos dos equinos, previne o aparecimento de afecções no aparelho locomotor e oferece proteção do casco dos impactos com o solo, respectivamente.

Confinamento

Água limpa, fresca e a vontade deve estar sempre ao alcance do animal. Manter cavalos em baias é antinatural. Um cavalo chega a se deslocar por dia a distância de 9 a 12 quilômetros. Oferecer baias grandes com ventilação adequada, boa cama, cochos e bebedouros com altura adequada são fundamentais.

Odontológico

As alterações dentárias influenciam na mastigação e digestão dos alimentos, causando menor aproveitamento dos nutrientes, perda de peso, queda de desempenho e problemas no trato gastrointestinal. Os cavalos devem passar por manejo odontológico com um médico veterinário capacitado a cada 6 meses.

Vacinação e vermifugação

As vacinas previnem e/ou minimizam a ação de agentes que possam vir a causar doenças e gerar grandes perdas econômicas. Todos os equinos de uma mesma propriedade devem ser vacinados com o mesmo programa de vacinação. Os programas variam de acordo com a região em que o animal vive ou para qual será transportado.

As vacinas mais utilizadas em equinocultura são a contra influenza, tétano e encefalomielite equina. Em casos de propriedades com problemas de aborto equino a vírus, as éguas prenhas devem receber reforço adicional no 5º, 7º e 9º meses de gestação. Nos equinos os endoparasitas podem causar cólicas, anemias, diarréias, constipações e retardos no crescimento.

Programas de vermifugação devem ser implantados de acordo com o número de animais, extensão da propriedade, sendo importante a alternância do princípio ativo para evitar resistência parasitária e atingir todos os tipos de vermes.

Referências bibliográficas

CINTRA, A. G. de C. O Cavalo: Características, Manejo e Alimentação. Editora ROCA. 2014.

TORRES, A. P.; JARDIM, W.R. Criação do cavalo e de outros eqüinos. Livraria Nobel. 1987.

Imagem disponível em: http://cavalosexoticos.blogspot.com.br/2013/06/sela-belga-belgian-warmblood.html

Cavalos Exóticos/ Exotic Horses. Sela Belga/ Belgian Warmblood. Disponível em: http://cavalosexoticos.blogspot.com.br/2013/06/sela-belga-belgian-warmblood.html

Cavalos-Exóticos. BWP- Sela Belga. Disponível em: http://cavalosexoticos.blogspot.com.br/2013/06/sela-belga-belgian-warmblood.html

Belgian Warrmblood Breeding Association: North American District. About Us. The Belgian Warmblood. Disponível em: http://www.belgianwarmblood.com/about/index.shtml