Tarpan

Nome da Raça

Tarpan

Altura na Cernelha

Entre 1,43 m e 1,86 m

Temperamento

Selvagem

Introdução

Origem

Considera-se o Tarpan como o antepassado de todas as espécies de cavalos que existem atualmente. É um cavalo muito parecido como o cavalo de Przewalski. Infelizmente, a raça extinguiu-se e atualmente não existe qualquer exemplar. O último exemplar em liberdade morreu em 1879. Em 1887, o último Tarpan em cativeiro morreu em Moscovo.

Apesar de ter sido perseguido até à extinção, não restou desta espécie nenhum esqueleto nem nenhuma amostra de pele. Foi um cavalo impossível de domar. Existiam dois tipos de Tarpans: o Tarpan das estepes e o Tarpan florestal.

Agricultores Polacos tentaram reconstruir esta espécie a partir de pôneis Polacos descendentes de uma mistura de cavalos domésticos e de Tarpans. Assim surgiu uma raça de pôneis bastante parecida com os Tarpans, os “Konik Polski”.

Mas o Tarpan era um animal selvagem e os pôneis estão acostumados a viver perto do homem, e por este aspecto, a raça não é muito parecida com o Tarpan verdadeiro.

Acredita-se que a causa da extinção do Tarpan seria devido a hibridizações com o cavalo doméstico e à caça indiscriminada dos exemplares remanescentes selvagens.

A origem do nome do animal remonta do idioma turco e significa "cavalo selvagem".

País de origem

Europa/ Ásia

Curiosidades

Os irmãos e zoólogos Lutz e Heinz Heck, que trabalhavam no Zoológico de Munique, na Alemanha, começaram em 1930 um programa de estudos para reverter a extinção do cavalo selvagem a partir da reconstrução do gene. Ainda nos anos 30, os esforços dos cientistas resultaram no chamado Tarpan moderno.

Assim como seus ancestrais selvagens, ele adquire a cor branca no inverno, embora a cabeça, o rabo e os pelos sobre os cascos permaneçam escuros; é resistente às baixas temperaturas e extremamente fértil. Apesar dessas características, mais a semelhança de porte, pelagem e força, não há evidência genética de que o Tarpan moderno seja idêntico ao Tarpan extinto em 1887.

Características gerais

Aspectos raciais

Os Tarpan eram capazes de aguentar temperaturas muito adversas, inclusive debaixo de ventos fortes e adoravam pastar em zonas inundadas. Aliás, eram cavalos que pastavam durante doze horas diárias. Esta espécie de cavalos media geralmente cerca de 130 cm.

Possui-a, como já foi dito, riscos e traços sobre as suas extremidades. Possui-a uma cabeça pesada, com os dentes mais pequenos do que os do cavalo de Przewalski. As suas orelhas são compridas e os seus olhos pequenos. O pescoço era curto, amplo e tinha uma vasta crina.

Pelagem

As camadas destes cavalos eram o cinzento de tipo pálido ou também este mesmo tom com traços de cor amarelada.

Aptidões

Foi um cavalo impossível de domar.

Comportamento e cuidados

Vacinação e vermifugação

As vacinas previnem e/ou minimizam a ação de agentes que possam vir a causar doenças e gerar grandes perdas econômicas. Todos os equinos de uma mesma propriedade devem ser vacinados com o mesmo programa de vacinação. Os programas variam de acordo com a região em que o animal vive ou para qual será transportado.

As vacinas mais utilizadas em equinocultura são a contra influenza, tétano e encefalomielite equina. Em casos de propriedades com problemas de aborto equino a vírus, as éguas prenhas devem receber reforço adicional no 5º, 7º e 9º meses de gestação. Nos equinos os endoparasitas podem causar cólicas, anemias, diarréias, constipações e retardos no crescimento.

Programas de vermifugação devem ser implantados de acordo com o número de animais, extensão da propriedade, sendo importante a alternância do princípio ativo para evitar resistência parasitária e atingir todos os tipos de vermes.

Manejo

Alimentar

O alimento natural dos equinos são os volumosos. Os volumosos são ricos em fibras como as pastagens e as forragens que suprem parcialmente as necessidades nutricionais dos equinos.

Devido às maiores exigências decorrentes do esporte, concentrados enérgicos e/ou protéicos (rações, grãos), foram adicionados à dieta como complemento do volumoso, com quantidade oferecida de acordo com a categoria do animal. O aumento de consumo de concentrados pode causar diversas enfermidades graves como miopatia de esforço, laminite ou cólicas.

Adotar uma periodicidade do horário de alimentar os equinos, evitando longos períodos em jejum. Devidos as perdas constantes de minerais, a suplementação com sal é importante para evitar deficiências.

Casqueamento e ferrageamento

Os cascos de um cavalo devem ser limpos diariamente, principalmente antes do exercício. Um bom casqueamento e ferrageamento nos cascos dos equinos, previne o aparecimento de afecções no aparelho locomotor e oferece proteção do casco dos impactos com o solo, respectivamente.

Confinamento

Água limpa, fresca e a vontade deve estar sempre ao alcance do animal. Manter cavalos em baias é antinatural. Um cavalo chega a se deslocar por dia a distância de 9 a 12 quilômetros. Oferecer baias grandes com ventilação adequada, boa cama, cochos e bebedouros com altura adequada são fundamentais.

Odontológico

As alterações dentárias influenciam na mastigação e digestão dos alimentos, causando menor aproveitamento dos nutrientes, perda de peso, queda de desempenho e problemas no trato gastrointestinal. Os cavalos devem passar por manejo odontológico com um médico veterinário capacitado a cada 6 meses.

Vacinação e vermifugação

As vacinas previnem e/ou minimizam a ação de agentes que possam vir a causar doenças e gerar grandes perdas econômicas. Todos os equinos de uma mesma propriedade devem ser vacinados com o mesmo programa de vacinação. Os programas variam de acordo com a região em que o animal vive ou para qual será transportado.

As vacinas mais utilizadas em equinocultura são a contra influenza, tétano e encefalomielite equina. Em casos de propriedades com problemas de aborto equino a vírus, as éguas prenhas devem receber reforço adicional no 5º, 7º e 9º meses de gestação. Nos equinos os endoparasitas podem causar cólicas, anemias, diarréias, constipações e retardos no crescimento.

Programas de vermifugação devem ser implantados de acordo com o número de animais, extensão da propriedade, sendo importante a alternância do princípio ativo para evitar resistência parasitária e atingir todos os tipos de vermes.

Referências bibliográficas

CINTRA, A. G. de C. O Cavalo: Características, Manejo e Alimentação. Editora ROCA. 2014.

TORRES, A. P.; JARDIM, W.R. Criação do cavalo e de outros eqüinos. Livraria Nobel. 1987.

Imagem disponível em: http://cavalos.mundoentrepatas.com/cavalos-tarpan.htm

Mundo Entre Patas. Raça Tarpan. Disponível em: http://cavalos.mundoentrepatas.com/cavalos-tarpan.htm

Raças-Cavalos. Cavalos Tarpan. Disponível em: http://www.racas-cavalos.com/cavalos-tarpan

Arca dos Extintos. Arca dos Extintos: Cavalo Tarpan. Disponível em: http://arcadosextintos.blogspot.com.br/2012/11/cavalo-tarpan.html

Super Interessante. Extinção do tarpan: O selvagem sedutor. Disponível em: https://super.abril.com.br/ideias/extincao-do-tarpan-o-selvagem-sedutor/