Geriatria Veterinária: Qualidade de Vida aos Pets Senis

Os animais de companhia passaram do quintal para o convívio diário e intenso com seres humanos. Essa relação passou a crescer devido a pessoas passarem a viver sozinhas, mais casais optarem por não terem filhos e a demanda por espaço diminuir. Atualmente, o termo “família multiespécie” é um reflexo do que os Pets se tornaram. Como tudo na vida essa aproximação tem lados positivos e negativos. Doenças humanas como depressão, ansiedade e pânico são alguns exemplos de que essa rotina atrelada aos humanos trouxe problemas. Entretanto, um levantamento feito pelo Hospital Veterinário Sena Madureira mostra que dos anos 1980 pra cá a expectativa de vida de pequenos animais cresceu significativamente, fato esse que contribuiu para que o Médico Veterinário buscasse uma nova especialização dedicada a cuidar somente dos animais idosos, a geriatria veterinária.

Os principais fatores que permitiram esse salto na expectativa de vida dos animais foram os grandes avanços em diagnóstico e tratamento, pesquisas recentes da medicina veterinária, o progresso da farmacologia especializada e a observação mais atenta e precisa dos tutores em relação aos seus companheiros. É claro que as visitas mais frequentes aos veterinários, a alimentação balanceada e especialmente estudada, as vacinas e os cuidados diários contribuíram significativamente para que esse quadro se estabelecesse no Brasil. Definir exatamente o que é um paciente geriátrico é bastante relativo, isso porque há variações na expectativa de vida para diferentes raças e espécies. Basicamente os cuidados geriátricos devem começar aos 7 anos de idade, variando conforme anteriormente citado.
Continuar lendo Geriatria Veterinária: Qualidade de Vida aos Pets Senis

Acidentes Ofídicos em Grandes Animais: Como Proceder?

Existem no mundo cerca de 3.000 espécies de serpentes, sendo que 410 são consideradas peçonhentas e/ou venenosas. Os gêneros Bothrops, Crotalus e Lachesis pertencentes à Família Viperidae correspondem às serpentes causadoras de acidentes ofídicos de maior relevância no Brasil sendo que, em 1999, haviam sido cadastradas 256 espécies, sendo 69 consideradas venenosas, destas 32 pertence ao gênero Bothrops, seis ao gênero Crotalus, duas ao gênero Lachesis e 29 ao gênero Micrurus. Acidentes com animais peçonhentos são frequentemente relatados nas áreas rurais do Brasil por fazendeiros, vaqueiros e também veterinários de campo, que acreditam que picadas de cobra são responsáveis por mortes de animais, gerando assim perdas econômicas aos pecuaristas.

A suscetibilidade dos animais domésticos ao veneno de Bothrops obedece à seguinte ordem decrescente: equinos, ovinos, bovinos, caprinos, suínos e felinos. Grandes animais são mais resistentes ao veneno que animais pequenos, porque a quantidade de veneno necessária para induzir a morte é maior. As espécies botrópicas, como Jararaca, Jararacussu e Urutu, habitam lugares úmidos, plantações, pastagens, e lugares não habitados pelo homem, alimentam-se de roedores e tem hábito noturno. Atacam subitamente, erguendo o terço anterior do corpo sem serem percebidos. O veneno botrópico possui uma mistura complexa de enzimas, peptídeos e proteínas, como metaloproteases, citolisinas, hialuronidase, fosfolipase e esterases, que provocam quadro de inflamação local, necrose e dano ao epitélio vascular. As principais ações do veneno botrópico podem ser classificadas em proteolítica ou necrosante, vasculotóxica e nefrotóxica. Outras ações causadas pelo veneno botrópico incluem choque, coagulação intravascular disseminada (CID) e insuficiência renal secundária a CID e ao choque.
Continuar lendo Acidentes Ofídicos em Grandes Animais: Como Proceder?

Geriatria Veterinária: Qualidade de Vida aos Pets Senis

Os animais de companhia passaram do quintal para o convívio diário e intenso com seres humanos. Essa relação passou a crescer devido a pessoas passarem a viver sozinhas, mais casais optarem por não terem filhos e a demanda por espaço diminuir. Atualmente, o termo “família multiespécie” é um reflexo do que os Pets se tornaram. Como tudo na vida essa aproximação tem lados positivos e negativos. Doenças humanas como depressão, ansiedade e pânico são alguns exemplos de que essa rotina atrelada aos humanos trouxe problemas. Entretanto, um levantamento feito pelo Hospital Veterinário Sena Madureira mostra que dos anos 1980 pra cá a expectativa de vida de pequenos animais cresceu significativamente, fato esse que contribuiu para que o Médico Veterinário buscasse uma nova especialização dedicada a cuidar somente dos animais idosos, a geriatria veterinária.

Os principais fatores que permitiram esse salto na expectativa de vida dos animais foram os grandes avanços em diagnóstico e tratamento, pesquisas recentes da medicina veterinária, o progresso da farmacologia especializada e a observação mais atenta e precisa dos tutores em relação aos seus companheiros. É claro que as visitas mais frequentes aos veterinários, a alimentação balanceada e especialmente estudada, as vacinas e os cuidados diários contribuíram significativamente para que esse quadro se estabelecesse no Brasil. Definir exatamente o que é um paciente geriátrico é bastante relativo, isso porque há variações na expectativa de vida para diferentes raças e espécies. Basicamente os cuidados geriátricos devem começar aos 7 anos de idade, variando conforme anteriormente citado.
Continuar lendo Geriatria Veterinária: Qualidade de Vida aos Pets Senis

Acidentes Ofídicos em Grandes Animais: Como Proceder?

Existem no mundo cerca de 3.000 espécies de serpentes, sendo que 410 são consideradas peçonhentas e/ou venenosas. Os gêneros Bothrops, Crotalus e Lachesis pertencentes à Família Viperidae correspondem às serpentes causadoras de acidentes ofídicos de maior relevância no Brasil sendo que, em 1999, haviam sido cadastradas 256 espécies, sendo 69 consideradas venenosas, destas 32 pertence ao gênero Bothrops, seis ao gênero Crotalus, duas ao gênero Lachesis e 29 ao gênero Micrurus. Acidentes com animais peçonhentos são frequentemente relatados nas áreas rurais do Brasil por fazendeiros, vaqueiros e também veterinários de campo, que acreditam que picadas de cobra são responsáveis por mortes de animais, gerando assim perdas econômicas aos pecuaristas.

A suscetibilidade dos animais domésticos ao veneno de Bothrops obedece à seguinte ordem decrescente: equinos, ovinos, bovinos, caprinos, suínos e felinos. Grandes animais são mais resistentes ao veneno que animais pequenos, porque a quantidade de veneno necessária para induzir a morte é maior. As espécies botrópicas, como Jararaca, Jararacussu e Urutu, habitam lugares úmidos, plantações, pastagens, e lugares não habitados pelo homem, alimentam-se de roedores e tem hábito noturno. Atacam subitamente, erguendo o terço anterior do corpo sem serem percebidos. O veneno botrópico possui uma mistura complexa de enzimas, peptídeos e proteínas, como metaloproteases, citolisinas, hialuronidase, fosfolipase e esterases, que provocam quadro de inflamação local, necrose e dano ao epitélio vascular. As principais ações do veneno botrópico podem ser classificadas em proteolítica ou necrosante, vasculotóxica e nefrotóxica. Outras ações causadas pelo veneno botrópico incluem choque, coagulação intravascular disseminada (CID) e insuficiência renal secundária a CID e ao choque.

A região mais afetada é a cabeça devido à posição para se alimentar e curiosidade, porém os membros torácicos, pélvicos e úbere também são comumente atingidos. O clima, características geográficas da região, e os sinais clínicos apresentados pelo animal picado por serpentes ajudam a reconhecer a espécie causadora. O diagnóstico diferencial deve ser realizado, com raiva, clostridioses, intoxicação por plantas, organofosforados, picadas por abelhas e condições alérgicas quando há edema local. As ações do veneno são lesões locais como edema, bolhas e necrose, atribuídas inicialmente à “ação proteolítica”, ativa, de modo isolado ou simultâneo, o fator X e a protrombina aumentando o tempo de coagulação também podendo levar a alteração da função plaquetária.

O quadro clínico é bastante característico apresentando dor e edema no local da picada de intensidade variável, geralmente de instalação precoce e caráter progressivo. Equimoses e sangramentos no ponto da picada são frequentes. Enfartamento ganglionar e bolhas podem aparecer na evolução, acompanhados ou não de necrose. Além de sangramentos em ferimentos pré-existentes, são observadas hemorragias à distância como gengivorragias, epistaxes, hematêmese e hematúria. Em gestantes, há risco de hemorragia uterina. Exames complementares podem ser realizados a fim de realizar diagnóstico diferencial. O tratamento geral adotado após a picada consiste na aplicação precoce, em dose adequada de soro antiofídico por via endovenosa. No Brasil, existem antivenenos específicos e polivalentes que neutralizam os venenos botrópico e crotálico, sendo mais utilizado soro polivalente, em medicina veterinária. Fluidoterapia também é necessária, a fim de garantir hidratação adequada, melhorar a perfusão renal, e fornecer suporte cardiovascular. Alguns animais podem desenvolver anemia devido à coagulopatia e diátese hemorrágica, sendo preciso realizar transfusão de sanguínea.

O local da picada é ambiente propício para desenvolvimento de microrganismos infecciosos, o que requer tratamento com antibióticos de amplo espectro de ação. O uso de anti-inflamatórios não esteroides são indicados para o tratamento de acidentes com serpentes do gênero Bothrops em bovinos. Diuréticos também podem ser usados para a rápida redução do edema, que pode levar à morte, dependendo da parte do corpo afetada. No entanto, não há nenhuma ação sobre o efeito coagulante do veneno de Bothrops, que é neutralizada somente pelo antiveneno específico.

Texto adaptado para leitura por Larissa Florêncio de Assis, colaboradora do Setor de Patologia Clínica da Universidade Federal de Lavras e Editora Chefe Vet Smart.

Fontes:

http://www.sovergs.com.br/site/38conbravet/resumos/862.pdf

http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/zoonoses_intoxicacoes/Acidentes_por_Animais_Peconhentos_e_Venenosos.pdf

http://www.eventosufrpe.com.br/2013/cd/resumos/R0458-2.pdf

Eventos veterinários de Pequenos Animais – Fevereiro 2017

II CURSO DE PLANTONISTA VETERINÁRIO

Data: 01/02/2017
Local: Campinas
Informações: Nota-se que houve um aumento bastante significativo de clínicas e hospitais veterinários com atendimento 24 horas gerando uma demanda de profissionais capacitados nominados PLANTONISTAS VETERINÁRIOS, que devem ser preparados para atender esse mercado em crescente expansão. Tendo isso em mente nossa empresa é pioneira na formação de plantonistas veterinários no estado de São Paulo.

Site: http://www.mellovet.com.br/detalhes-curso.php?id=21

CURSO DE REALIZAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DOS EXAMES LABORATORIAIS: HEMATOLOGIA E BIOQUÍMICA CLÍNICA

Data: De 02 a 04/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: O objetivo deste curso é proporcionar aos alunos conhecimentos teóricos e práticos relativos à seleção, execução e interpretação de exames laboratoriais necessários ao estabelecimento do diagnóstico, tratamento e prognóstico na avaliação da saúde dos animais. Para a interpretação adequada dos resultados dos exames laboratoriais é fundamental que se conheçam os processos fisiológicos de cada espécie, de modo a entender como os processos patológicos alteram a fisiologia e como essas alterações podem ser detectadas nos exames laboratoriais.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/curso-de-realizacao-e-interpretacao-dos-exames-laboratoriais-hematologia-e-bioquimica-clinica/#tab1

PALESTRA E MESA REDONDA – ULTRASSONOGRAFIA VETERINÁRIA

Data: 04/02/2016
Local: São Paulo – SP
Informações: A Palestra e Mesa Redonda é um evento voltado a Médicos Veterinários e tem como objetivo abordar assuntos de Ultrassonografia Veterinária. Carga Horária de 4 horas.

Site: http://famesp.com.br/palestra-e-mesa-redonda-ultrassonografia-veterinaria/

ULTRASSONOGRAFIA EMERGÊNCIA – FAST (TÓRAX E ABDOME): TEÓRICO E PRÁTICO

Data: 10 e 11/02/2017
Local: NAUS
Informações: O Núcleo de Aperfeiçoamento em Ultrassonografia Veterinária foi idealizado e fundado em 2015 por Cibele Figueira de Carvalho. O NAUS é uma instituição que ministra cursos sobre as principais aplicações da técnica ultrassonográfica, radiologia, ressonância magnética e tomografia computadorizada. As aulas teórico-práticas incluem instrumentação, revisão de casos clínicos e avaliação do conhecimento.

Site: http://www.naus.vet.br/

CURSOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E EXAME ANDROLÓGICO E CONGELAMENTO DE SÊMEN DE CÃES

Data: De 11 a 13/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: Habilitar o veterinário ou estudante a executar a inseminação artificial na espécie canina com segurança, fazendo uso das metodologias mais atuais e eficazes no intuito de aperfeiçoar as taxas de fertilidade. Dominar a metodologia do exame andrológico e criopreservação de sêmen na espécie canina.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/cursos-de-inseminacao-artificial-e-exame-andrologico-e-congelamento-de-semen-de-caes/

II CURSO DE APRIMORAMENTO EM ORTOPEDIA DE CÃES E GATOS

Data: 11/02/2017 a 28/01/2018
Local: Jaboticabal – SP
Informações: É obrigatória a participação em todos os módulos. Não será permitida a inscrição somente em um módulo. No ato da inscrição é obrigatória a apresentação do CRMV para profissionais e carteirinha para estudantes.

Site: http://www.funep.org.br/mostrar_evento.php?idevento=590

IX CURSO DE FORMAÇÃO EM NEUROLOGIA VETERINÁRIA DE PEQUENOS ANIMAIS

Data: 11 e 12/02/2017 a 27 e 28/01/2018
Local: Botucatu – SP

Site: http://www.bioethicus.com.br/neurologia-veterinaria/

CURSO INTENSIVO PRÁTICO DE ORTOPEDIA (CIPO) – MÓDULO BÁSICO

Data: 16 e 17/02/2017
Local: São Paulo – SP
Informações: Com o objetivo de promover saúde e qualidade de vida aos animais de estimação e de companhia, oferecemos Cursos de excelente conteúdo e profissionalismo respeitando o exercício ético-profissional da Medicina Veterinária, sem jamais descartar a necessidade da avaliação clínica criteriosa a fim de buscar alternativas apropriadas aos pacientes e o esclarecimento de eventuais dúvidas aos profissionais.

Site: http://www.cipo.vet.br/#curs

ABORDAGEM DOS TRANSTORNOS DE COMPORTAMENTO PELA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

Data: 18 e 19/02/2017

Local: Botucatu – SP

Informações: Os transtornos de comportamento representam um dos grandes desafios do clínico de pequenos animais. A medicina tradicional chinesa é capaz de equilibrar os padrões de desarmonia causadores destes transtornos. O seu uso em conjunto com os protocolos convencionais aprimora o diagnóstico e aumenta a efetividade do tratamento.

Site: http://www.bioethicus.com.br/transtornos-comportamento/?p=curso

II CURSO PRÁTICO DE CITOPATOLOGIA VETERINÁRIA MÓDULO I

Data: 18 e 19/02/2017
Local: Botucatu – SP
Informações: O curso visa promover o treinamento prático e capacitação técnica profissional na área de citopatologia veterinária.

Site: http://bioethicus.com.br/

Eventos veterinários de Pequenos Animais – Fevereiro 2017

II CURSO DE PLANTONISTA VETERINÁRIO

Data: 01/02/2017
Local: Campinas
Informações: Nota-se que houve um aumento bastante significativo de clínicas e hospitais veterinários com atendimento 24 horas gerando uma demanda de profissionais capacitados nominados PLANTONISTAS VETERINÁRIOS, que devem ser preparados para atender esse mercado em crescente expansão. Tendo isso em mente nossa empresa é pioneira na formação de plantonistas veterinários no estado de São Paulo.

Site: http://www.mellovet.com.br/detalhes-curso.php?id=21

CURSO DE REALIZAÇÃO E INTERPRETAÇÃO DOS EXAMES LABORATORIAIS: HEMATOLOGIA E BIOQUÍMICA CLÍNICA

Data: De 02 a 04/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: O objetivo deste curso é proporcionar aos alunos conhecimentos teóricos e práticos relativos à seleção, execução e interpretação de exames laboratoriais necessários ao estabelecimento do diagnóstico, tratamento e prognóstico na avaliação da saúde dos animais. Para a interpretação adequada dos resultados dos exames laboratoriais é fundamental que se conheçam os processos fisiológicos de cada espécie, de modo a entender como os processos patológicos alteram a fisiologia e como essas alterações podem ser detectadas nos exames laboratoriais.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/curso-de-realizacao-e-interpretacao-dos-exames-laboratoriais-hematologia-e-bioquimica-clinica/#tab1

PALESTRA E MESA REDONDA – ULTRASSONOGRAFIA VETERINÁRIA

Data: 04/02/2016
Local: São Paulo – SP
Informações: A Palestra e Mesa Redonda é um evento voltado a Médicos Veterinários e tem como objetivo abordar assuntos de Ultrassonografia Veterinária. Carga Horária de 4 horas.

Site: http://famesp.com.br/palestra-e-mesa-redonda-ultrassonografia-veterinaria/

ULTRASSONOGRAFIA EMERGÊNCIA – FAST (TÓRAX E ABDOME): TEÓRICO E PRÁTICO

Data: 10 e 11/02/2017
Local: NAUS
Informações: O Núcleo de Aperfeiçoamento em Ultrassonografia Veterinária foi idealizado e fundado em 2015 por Cibele Figueira de Carvalho. O NAUS é uma instituição que ministra cursos sobre as principais aplicações da técnica ultrassonográfica, radiologia, ressonância magnética e tomografia computadorizada. As aulas teórico-práticas incluem instrumentação, revisão de casos clínicos e avaliação do conhecimento.

Site: http://www.naus.vet.br/

CURSOS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E EXAME ANDROLÓGICO E CONGELAMENTO DE SÊMEN DE CÃES

Data: De 11 a 13/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: Habilitar o veterinário ou estudante a executar a inseminação artificial na espécie canina com segurança, fazendo uso das metodologias mais atuais e eficazes no intuito de aperfeiçoar as taxas de fertilidade. Dominar a metodologia do exame andrológico e criopreservação de sêmen na espécie canina.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/cursos-de-inseminacao-artificial-e-exame-andrologico-e-congelamento-de-semen-de-caes/

II CURSO DE APRIMORAMENTO EM ORTOPEDIA DE CÃES E GATOS

Data: 11/02/2017 a 28/01/2018
Local: Jaboticabal – SP
Informações: É obrigatória a participação em todos os módulos. Não será permitida a inscrição somente em um módulo. No ato da inscrição é obrigatória a apresentação do CRMV para profissionais e carteirinha para estudantes.

Site: http://www.funep.org.br/mostrar_evento.php?idevento=590

IX CURSO DE FORMAÇÃO EM NEUROLOGIA VETERINÁRIA DE PEQUENOS ANIMAIS

Data: 11 e 12/02/2017 a 27 e 28/01/2018
Local: Botucatu – SP

Site: http://www.bioethicus.com.br/neurologia-veterinaria/

CURSO INTENSIVO PRÁTICO DE ORTOPEDIA (CIPO) – MÓDULO BÁSICO

Data: 16 e 17/02/2017
Local: São Paulo – SP
Informações: Com o objetivo de promover saúde e qualidade de vida aos animais de estimação e de companhia, oferecemos Cursos de excelente conteúdo e profissionalismo respeitando o exercício ético-profissional da Medicina Veterinária, sem jamais descartar a necessidade da avaliação clínica criteriosa a fim de buscar alternativas apropriadas aos pacientes e o esclarecimento de eventuais dúvidas aos profissionais.

Site: http://www.cipo.vet.br/#curs

ABORDAGEM DOS TRANSTORNOS DE COMPORTAMENTO PELA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

Data: 18 e 19/02/2017

Local: Botucatu – SP

Informações: Os transtornos de comportamento representam um dos grandes desafios do clínico de pequenos animais. A medicina tradicional chinesa é capaz de equilibrar os padrões de desarmonia causadores destes transtornos. O seu uso em conjunto com os protocolos convencionais aprimora o diagnóstico e aumenta a efetividade do tratamento.

Site: http://www.bioethicus.com.br/transtornos-comportamento/?p=curso

II CURSO PRÁTICO DE CITOPATOLOGIA VETERINÁRIA MÓDULO I

Data: 18 e 19/02/2017
Local: Botucatu – SP
Informações: O curso visa promover o treinamento prático e capacitação técnica profissional na área de citopatologia veterinária.

Site: http://bioethicus.com.br/

Eventos veterinários de Grandes Animais – Fevereiro 2017

SHOW RURAL COPAVEL

Data: De 06 a 10/02/2017
Local: Cascavel – PR
Informações: O principal objetivo do Show Rural Coopavel 2017 é a difusão de tecnologias voltadas ao aumento de produtividade de pequenas, médias e grandes propriedades rurais

Site: http://www.showrural.com.br/

CURSO DE INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS EM GRANDES ANIMAIS

Data: 07/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: O objetivo deste curso é proporcionar aos alunos conhecimentos teóricos e práticos relativos à seleção, execução e interpretação de exames laboratoriais necessários ao estabelecimento do diagnóstico, tratamento e prognóstico na avaliação da saúde de equinos e bovinos. Para a interpretação adequada dos resultados dos exames laboratoriais é fundamental que se conheçam os processos fisiológicos de cada espécie, de modo a entender como essas alterações podem ser detectadas nos exames laboratoriais.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/curso-de-interpretacao-de-exames-laboratoriais-em-grandes-animais-hematologia-bioquimica-clinica-e-fluidos-cavitarios/#tab1

Continuar lendo Eventos veterinários de Grandes Animais – Fevereiro 2017

Eventos veterinários de Grandes Animais – Fevereiro 2017

SHOW RURAL COPAVEL

Data: De 06 a 10/02/2017
Local: Cascavel – PR
Informações: O principal objetivo do Show Rural Coopavel 2017 é a difusão de tecnologias voltadas ao aumento de produtividade de pequenas, médias e grandes propriedades rurais

Site: http://www.showrural.com.br/

CURSO DE INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS EM GRANDES ANIMAIS

Data: 07/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: O objetivo deste curso é proporcionar aos alunos conhecimentos teóricos e práticos relativos à seleção, execução e interpretação de exames laboratoriais necessários ao estabelecimento do diagnóstico, tratamento e prognóstico na avaliação da saúde de equinos e bovinos. Para a interpretação adequada dos resultados dos exames laboratoriais é fundamental que se conheçam os processos fisiológicos de cada espécie, de modo a entender como essas alterações podem ser detectadas nos exames laboratoriais.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/curso-de-interpretacao-de-exames-laboratoriais-em-grandes-animais-hematologia-bioquimica-clinica-e-fluidos-cavitarios/#tab1

22º DIA DE CAMPO COOPERCAMPOS

Data: De 21 a 23/02/2017
Local: Campos Novos – SC
Informações: Aproximando o produtor das inovações tecnológicas e das soluções do agronegócio, visando o desenvolvimento econômico, social e ambiental.

Site: http://www2.copercampos.com.br/diadecampo/2017/index.php

CURSO DE ODONTOLOGIA EQUINA

Data: De 17 a 19/02/2017
Local: Viçosa – MG
Informações: A Odontologia Equina é considerada uma especialidade dentro da Gastroenterologia devido a sua importância e complexidade. As doenças dentárias são as desordens orais mais comuns nos equídeos, e representam, pelo menos, 10% dos atendimentos. Além disto, a nutrição, a fisiologia do sistema digestório e a desempenho do cavalo são diretamente dependentes da dentição e da dinâmica mastigatória. Essas alterações estão diretamente relacionadas com o alto índice de descarte de potros (as) na doma, queda no desempenho de cavalos atletas, casos de cólica e baixo escore corporal, já que essas alterações alteram a biomecânica da mastigação, prejudicando a digestibilidade dos alimentos. Por esses motivos, uma atenção maior deve ser dada dentro da clínica de equinos para esses problemas. A progressiva conscientização dos proprietários e criadores de equinos, quanto à importância da Odontologia Equina, tem gerado um crescente mercado de trabalho. Através do estudo anatômico da boca e dos dentes, da fisiologia da mastigação e influência na nutrição, reconhecimento das alterações e tratamentos, o curso oferecerá ao aluno a oportunidade de atuar com segurança e oferecer cuidados em uma área que valoriza a qualificação profissional.

Site: http://www.cptcursospresenciais.com.br/curso/curso-de-odontologia-equina/#tab1

Pets vegetarianos e veganos: um novo cenário ao veterinário brasileiro

Atualmente no Brasil estima-se que 8% da população seja vegetariana e esse número vem crescendo. Além dessa crescente realidade, o fato dos Pets estarem cada vez mais próximos dos humanos, adquirindo hábitos e patologias similares, contribui para que o mesmo aconteça com os hábitos alimentares. O veganismo e o vegetarianismo são duas distintas ideologias, mas que tem por base princípios similares que visam respeitar a ética animal tanto de grandes quanto de pequenos animais. Em linhas gerais, o vegetariano é aquele que não come nenhum tipo de carne e o vegano é aquele que não faz uso de nenhum produto de origem animal, seja mel, leite, carne, ovos ou qualquer outra parte do animal como, por exemplo, cartilagens e ossos.

Partindo desses princípios, alguns tutores engajados na causa vegana e vegetariana passaram a buscar formas alternativas de nutrição animal que não utilizasse carne, ossos e outros produtos de origem animal para alimentarem seus Pets. Essa procura por novidades no setor pet food, combinada com uma tendência permanente de humanização na indústria pet, acarretou aumento da procura por alimentos diferenciados para animais de estimação. Dentre os tipos de dietas alternativas encontram-se as dietas naturais, as orgânicas, entre outras. A alimentação dos animais de estimação dos veganos é por vezes uma questão controversa, principalmente do ponto de vista ético. Cães e gatos não seguem naturalmente uma dieta vegana, nem vegetariana.

Continuar lendo Pets vegetarianos e veganos: um novo cenário ao veterinário brasileiro

PEQUENOS ANIMAIS: Pets vegetarianos e veganos: um novo cenário ao veterinário brasileiro

Atualmente no Brasil estima-se que 8% da população seja vegetariana e esse número vem crescendo. Além dessa crescente realidade, o fato dos Pets estarem cada vez mais próximos dos humanos, adquirindo hábitos e patologias similares, contribui para que o mesmo aconteça com os hábitos alimentares. O veganismo e o vegetarianismo são duas distintas ideologias, mas que tem por base princípios similares que visam respeitar a ética animal tanto de grandes quanto de pequenos animais. Em linhas gerais, o vegetariano é aquele que não come nenhum tipo de carne e o vegano é aquele que não faz uso de nenhum produto de origem animal, seja mel, leite, carne, ovos ou qualquer outra parte do animal como, por exemplo, cartilagens e ossos.

Partindo desses princípios, alguns tutores engajados na causa vegana e vegetariana passaram a buscar formas alternativas de nutrição animal que não utilizasse carne, ossos e outros produtos de origem animal para alimentarem seus Pets. Essa procura por novidades no setor pet food, combinada com uma tendência permanente de humanização na indústria pet, acarretou aumento da procura por alimentos diferenciados para animais de estimação. Dentre os tipos de dietas alternativas encontram-se as dietas naturais, as orgânicas, entre outras. A alimentação dos animais de estimação dos veganos é por vezes uma questão controversa, principalmente do ponto de vista ético. Cães e gatos não seguem naturalmente uma dieta vegana, nem vegetariana.

Continuar lendo PEQUENOS ANIMAIS: Pets vegetarianos e veganos: um novo cenário ao veterinário brasileiro