Inovação no mercado brasileiro para o controle da epilepsia idiopática canina.

PURINA® PRO PLAN® Veterinary Diets NC – Neurologic Care, da NESTLÉ®, auxilia no controle da epilepsia idiopática e nos sinais neurológicos relacionados ao envelhecimento.

A NESTLE® PURINA®, em 2016, lançou um alimento pioneiro no mercado para cães com epilepsia idiopática ou intratável: o PRO PLAN® Veterinary Diets NC – Neurologic Care.

O produto inovador é fruto dos resultados de longos anos de estudos, mais de 14 anos, os quais revelaram que dietas enriquecidas com ácidos graxos ou triglicerídeos de cadeia media (AGCM) fornecem uma fonte de energia alternativa para as células cerebrais. Os estudos demonstraram que os animais com epilepsia idiopática que foram alimentados com essa dieta enriquecida com AGCM tiveram uma redução na frequência, na duração e na intensidade das crises convulsivas, reforçando a ação de medicamentos antiepiléticos.

Segundo o Médico Veterinário e pesquisador sênior da Nestlé® Purina® responsável pela pesquisa Yuanlong Pan, o trabalho iniciou através da construção de uma plataforma de envelhecimento saudável que visava estudar as melhores soluções nutricionais para reduzir a velocidade do processo de envelhecimento nos pets. Foram analisadas as principais causas do declínio cognitivo dos animais, as mudanças nas habilidades cerebrais, o papel da glicose como uma fonte importante de energia para o cérebro, entre outros processos. No meio do estudo o grupo de estudos notou que, durante o envelhecimento dos cães o metabolismo da glicose começa a sofrer alterações que afetam a memória, aprendizagem, consciência e a tomada de decisão.

“Nossa pesquisa apontou a possibilidade de promovermos mudanças visíveis na saúde cognitiva de cães através dos ácidos graxos de cadeia média (AGCM) nos alimentos. Tivemos muito trabalho em equipe para chegar ao produto final. Cerca de 100 pessoas estiveram envolvidas em todo o processo, incluindo equipes de segurança alimentar, regulatório, especialistas em ingredientes, técnicos, nutricionistas, médicos veterinários, cientistas e engenheiros. Nós fizemos muitas pesquisas e isso toma muito tempo. Demoramos um ano e meio para ajustar o melhor protocolo para o estudo de epilepsia por exemplo, e foi muito difícil encontrar um fornecedor de AGCMs que entregasse constantemente a melhor qualidade. Nós somos apaixonados por animais e a nossa aspiração é desenvolver soluções nutricionais inovadoras para promover o bem-estar dos pets – por isso, nós continuamos pesquisando e trabalhando nisso! ” – Pan.

A epilepsia idiopática, ou primaria, como também é chamada, não possui origem identificável, mas tem uma possível predisposição genética em várias raças, como, Beagle, Dachshund, Pastor Alemão, Labrador Retriever, Golden Retriever, Pastor de Shetland, Bernese, entre outros. A indicação de uso do novo alimento é para cães que tem epilepsia idiopática e cães com idade avançada, que sofrem mudanças no metabolismo da glicose e podem apresentar alterações comportamentais e sinais neurológicos relacionados ao envelhecimento, tais como, perda de memória, dificuldade para reconhecer membros da família e executar tarefas simples, mudanças no ciclo do sono e vocalização fora do padrão usual, episódios de fobia, ausência de interação social, sinais de ansiedade de separação, agressão ou problemas compulsivos.

“A epilepsia é um transtorno neurológico que afeta não apenas as vidas dos pets, mas as de seus tutores. Ela pode ser causa de morte, além de acarretar mudanças comportamentais como agressividade ou medo. Além disso, nem todos os animais respondem bem aos medicamentos para tratar a enfermidade e por esse motivo nós desenvolvemos um suporte nutricional que dá aos médicos veterinários e aos donos mais uma alternativa para cuidar de cães epiléticos. ”  – Yuanlong Pan

Um dos estudos realizados em um período de três meses em 21 cães com epilepsia idiopática, que foram alimentados com a dieta teste contendo 5,5% AGCM em comparação a dieta controle, demonstrou uma frequência significativamente mais baixa de crises convulsivas. Sendo que, 3 cães chegaram a ficar livres de convulsões, 7 apresentaram uma redução de 50% ou mais nas crises e 5 tiveram uma redução de menos de 50%.

A frequência de convulsões diárias também foi significativamente reduzida em dezessete cães. Todos os animais receberam o tratamento farmacológico e tomaram medicamentos para epilepsia durante os três meses de teste.

As dietas cetogênicas tradicionais, isto é, dietas ricas em gorduras e pobres em proteínas e carboidratos (em uma proporção de 4 gorduras:1 proteínas e carboidratos), foram introduzidas pela primeira vez nos anos 1920 para o tratamento de crianças com epilepsia idiopática. Desde então outras dietas cetogênicas, como as enriquecidas com TCM, tem sido propostas para auxilio antiepilético para humanos. Para cães os estudos conduzidos pela NESTLÉ PURINA demonstraram a eficácia da dieta no controle da epilepsia idiopática e na melhora da função cerebral dos cães com sinais neurológicos relacionados ao envelhecimento, já que fornece uma fonte alternativa de energia cerebral. Resultados, como aumento do nível de alerta e destreza mental dos cães de idade avançada, são observados a partir de 30 dias de uso de PRO PLAN Neurologic Care. Já a redução das crises acontece em 90 dias de utilização.

Gatos obesos: qual o alimento certo?

Alimentos específicas são boa opção para ajudar na perda de peso

Um gato é considerado obeso quando está 15 a 30% acima do peso ideal. Segundo especialistas, a principal causa da obesidade é a dieta inadequada dos pets “ O ideal é que tutor ofereça apenas alimentos ou snacks específicos para os gatos, pois alimentos de humanos podem ser desbalanceados, pois possuem alto nível de gordura e açúcares, que são  prejudiciais para o felino”, afirma a médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos, Bárbara Benitez. Segundo a veterinária, muitos alimentos também podem causar intoxicações, como por exemplo o chocolate, alimento bastante comum de ser fornecido.

Para saber se o gato está acima do peso, a veterinária dá uma dica: “observe o abdômen do animal: se estiver com excesso de pele caída, significa grande presença de gordura e isso é um dos sinais que seu gato esteja acima do peso, nesse caso, ele precisa de acompanhamento veterinário e uma dieta específica que ajude na perda do peso”, explica.

Alimento para perder peso

Sob orientação de um veterinário, os gatos podem consumir alimentos específicos e que ajudam no tratamento da obesidade. A dieta do animal obeso deve ser de baixa caloria e ter características importantes, como explica a veterinária:

  • L-carnitina: “Esse ingrediente auxilia na oxidação da gordura e é encontrado em alimentos específicos para gatos obesos”
  • Proteína de qualidade: “É fundamental que o alimento contenha proteínas de qualidade, que auxiliam na manutenção da massa muscular durante a perda de peso”
  • Fibras: “As rações para gatos obesos devem conter alto teor de fibras, que ajudam a regular a saciedade do animal”

Entenda: ração light X ração terapêutica

As rações terapêuticas, prescritas por veterinários, são indicadas para a perda de peso. Enquanto os alimentos light são recomendados para a manutenção do peso ideal “Se um gatinho passou por um tratamento para emagrecer ou tem tendência à obesidade, por exemplo, pode consumir alimentos light, mas sempre com acompanhamento do médico veterinário”

Equilíbrio Gatos Light indicado para manutenção do peso ideal

Equilíbrio Veterinary Obesity & Diabetic indicado para gatos obesos

Sobre Equilíbrio:

EQUILÍBRIO é um alimento super premium reconhecido por sua excelência em nutrição. Contém ingredientes de alta qualidade e ótimo balanço nutricional, pois é elaborado com   vitaminas, fibras, probióticos, prebióticos, proteínas, minerais, e é desenvolvido com matérias-primas nobres. EQUILÍBRIO é rico em ômegas 3 e 6, que ajudam na saúde da pele e pelagem, possui antioxidantes naturais e componentes que auxiliam no controle do tártaro.

A linha tem alimentos para todas as fases da vida de cães e gatos (filhote, adulto, mature), produtos para gatos castrados e para cães de todos os portes, de miniaturas a gigantes. Também possui snacks, inclusive desenvolvidos com a tecnologia freeze dried (liofilizados), e a linha Equilíbrio Grain Free, livre de glúten e de ingredientes transgênicos na formulação.

Para dar mais segurança ao consumidor, todos os produtos da linha EQUILÍBRIO possuem o selo 100% Satisfação Garantida.

Saiba mais sobre a EQUILÍBRIO em http://www.equilibriototalalimentos.com.br/

Sobre Total Alimentos:

A Total Alimentos atua no mercado de nutrição animal com o compromisso de oferecer produtos de alta qualidade para animais de estimação e de produção. É fabricante das marcas super premium, EQUILÍBRIO e EQUILÍBRIO VETERINARY, premium especial MAX, NATURALIS e K&S, standard NERO e LÍDER, e dos snacks DOGLICIOUS e CATLICIOUS.

Fundada em 1975, a empresa, localizada em Três Corações (MG), investe constantemente em tecnologia, fórmulas inovadoras e ingredientes diferenciados para a fabricação de rações e snacks – carnes especiais (como cordeiro e peru), frutas, cereais e sementes nobres fazem parte da composição de alimentos para pets.

Há 40 anos, a Total Alimentos aprimora procedimentos industriais e investe em equipamentos de última geração. Hoje, está presente em todo o território nacional, nos cinco continentes e está entre os parques fabris mais modernos do mundo.

Saiba mais em: http://www.totalalimentos.com.br.

Contato:
Fernanda Siqueira – Assessoria de Imprensa Total Alimentos
imprensa@totalalimentos.com.br
(19) 3888-4275

Homeopatia apresenta resultados efetivos no tratamento da cinomose e doenças graves em cães e gatos

Quem ama seu animalzinho de estimação sabe o quanto é triste quando ele adoece.

Doenças graves de cães e gatos têm na homeopatia uma grande aliada, tanto na prevenção, quanto no tratamento. Como exemplo temos a cinomose, que pode deixar sequelas neurológicas ou até mesmo causar a morte do cão e nos gatos as doenças FIV – Síndrome da Imunodeficiência Felina e a FeLV – Leucemia Felina, têm inspirado preocupação em tutores e médicos veterinários, por serem incuráveis.

“A homeopatia não faz milagres, mas pode atuar em casos onde a alopatia esgotou todos os recursos, melhorando as condições orgânicas dos animais, como ferramenta coadjuvante ou única. Ela atua diferente da alopatia, pois não “mata” o agente agressor, como as infecções ou parasitas, mas equilibra o organismo animal, fortalecendo o hospedeiro e melhorando sua imunidade”, explica Dra. Mônica Filomena Assis, médica veterinária e diretora da Sigo Homeopatia, empresa sul-mato-grossense que atua com a homeopatia veterinária através das linhas SigoPec, voltada à pecuária e SigoPet, destinada a cães e gatos.

A homeopatia é indicada para atenuar sintomas de sequelas neurológicas presentes em enfermidades como a cinomose canina. O tratamento, além de proporcionar condições melhores de vida a animais com sequelas, permite que o animal expresse funções básicas, muitas vezes suprimidas pela grave doença, como andar, comer e beber água.

O produto testado e indicado nesta condição é o TraumaSigo. O protocolo de tratamento com este produto foi desenvolvido pela médica veterinária Raquel Braga, de Bonito (MS), que se baseou na formulação do produto, onde um dos princípios homeopáticos tem atuação terapêutica em inervação periférica, e assim, controlar a dor e a condução nervosa nos nervos periféricos, diminuindo as mioclonias, os ‘tiques’, permitindo assim, melhor qualidade de vida ao animal.

Graves transtornos em gatos, como a FIV e a FeLV, de difícil tratamento pelos meios convencionais, apresentam profilaxia e controle dos seus sintomas com a combinação dos produtos FortSigo, HemoSigo e InfectoSigo.

Homeopatia veterinária: Eficácia no tratamento de animais domésticos e lucratividade ao produtor

Qualidade, inovação e eficácia são as palavras que melhor definem a
linha Sigo Procedimentos Homeopáticos, linha criada e dedicada
exclusivamente à saúde e bem-estar animal, tanto dos pets, quando os de
produção pecuária.

Atuando há 20 anos no mercado, a Sigo nasceu do trabalho do casal de
médicos-veterinários Mônica Filomena Assis de Souza e Marco Antônio
Cucco, respectivamente responsável técnica e diretor técnico
administrativo da empresa.

eficácia da homeopatia para animais já é comprovada, não apenas em
tratamento de doenças, mas também no aumento de produtividade, como
destaca o Dr. Marco Antônio Cucco.

“Hoje já se sabe que produtos homeopáticos vão além da cura ou prevenção
de doenças. É possível melhorar o desempenho zootécnico de rebanhos
sadios, mas que podem ter seu metabolismo estimulado a melhor
aproveitamento e direcionamento de nutrientes, otimizando e reduzindo
custos da produção”, avalia o diretor.

A ausência de efeitos colaterais é outro benefício da homeopatia. Sem
aditivos químicos e resíduos, o tratamento colabora inclusive para
grandes produções destinadas às exportações. O diretor ressalta ainda
que o uso de insumos homeopáticos em grande escala e produzidos
industrialmente, colocam o Brasil na liderança mundial em produção desse
tipo de linha.

“O grande apelo da homeopatia é a eficácia e o retorno econômico. Muitos
antibióticos já perderam seu efeito, enquanto os homeopáticos exibem,
há tempos,  efetividade plena no controle de parasitoses e infecções
causadas por parasitas e bactérias resistentes aos químicos
convencionais,”, revela Cucco.

Os produtos são spray, podendo ser administrados via oral, tanto
diretamente na boca do animal, quanto em seu alimento. Qualquer produto
da linha pode ser utilizado com outros tratamentos, se necessário, sem
riscos à saúde do animal ou interferência na  eficácia de um ou outro
tratamento.

Sobre a SIGO – A marca conta atualmente com 12 produtos para pecuária, na forma de pó para ser adicionado ao suplemento alimentar e que podem ser
utilizados em bovinos, caprinos, ovinos, suínos, equinos, bubalinos e
silvestres, na prevenção e tratamento de diarreias neonatais, sodomia,
verminoses, mastite, carrapatos, moscas do chifre e bernes resistentes a
aditivos químicos, problemas de casco e pele, verrugas (papilomatose),
incremento para fertilidade e ainda para acabamento e cobertura da
carcaça.

Já para os animais de estimação, são 13 produtos que atuam no trato de
infecções urinárias, anemia, doença do carrapato, problemas cardíacos,
ansiedade e excesso de latido dos cães, artrite, pulgas, doenças de
pele, infecções, fraturas e lesões. A linha pode ser utilizada tanto em
cães, quanto em gatos.

Um paciente com anemia não regenerativa: abordagem clínica

A IDEXX oferece a você, veterinário, um canal exclusivo de educação continuada chamado Webinar. Todo mês uma palestra diferente ministrada pelo Dr. Guillermo Couto, especializado em medicina interna e oncologia. A ferramenta permite acompanhar a palestra ao vivo, fazer perguntas e participar do quiz proposto pelo Dr. Guillermo Couto DVM (Medicina Interna, Oncología).

SEGUNDA-FEIRA 17 DE JULHO DE 2017
Horário de Brasília: 14hs ás 15hs

PARA SE CADASTRAR NO SEMINÁRIO CLIQUE AQUI 

Perdeu a palestra? Os webinars estarão disponiveís On-Demand 2 dias após a sessão ao vivo.

Analisador Hematológico ProCyte Dx® chega a 10.000 unidades em operação

A base para um diagnóstico mais preciso começa com um hemograma confiável e detalhado. Melhor ainda quando este hemograma pode ser feito na própria clínica veterinária, em tempo real. Some a tudo isso um relatório inteligente e de fácil leitura, que exibe os resultados de forma gráfica (Dot-Plots). Estas são algumas das razões que fizeram o analisado hematológico IDEXX ProCyte Dx® atingir a marca recorde de 10.000 unidades instaladas em todo o mundo.

O que torna o ProCyte Dx® tão bem sucedido?
Lançado nos EUA e no Canadá, em junho de 2010, o analisador ultrapassou rapidamente as expectativas dos clientes em termos de desempenho e praticidade. “A recepção do mercado veterinário ao analisador tornou este um dos instrumentos mais ProCyte Dx® bem sucedidos da história da empresa”, afirma o CEO da IDEXX, Jon Ayers.

“A maioria dos sistemas de hematologia competitiva em nosso mercado são sistemas humanos que não foram reconstruídos para uso veterinário, sendo apenas remarcados com algumas pequenas mudanças. Desenvolvemos o especificamente para os ProCyte Dx® veterinários, atendendo suas principais exigências”, explica Jim Russell, Engenheiro Sênior de Sistemas que atuou como líder da equipe de desenvolvimento do ProCyte Dx®.

Atualizações constantes e inclusão de novas espécies
Quando o foi lançado, seu menu atendia cinco espécies de animais ProCyte Dx® (caninos, felinos, equinos, bovinos e furões). Ao longo dos anos, novas espécies foram sendo adicionadas. Em 2012, o menu expandiu-se com a inclusão de porco, mini-porco, coelho, gerbil e espécies cobaias, juntamente com a sinalizacão de morfologia para glóbulos vermelhos nucleados e desvio à esquerda. Um produto separado também foi lançado neste momento, visando apoiar profissionais de laboratórios veterinários ao oferecer espécies adicionais (ratos, ratos e seis espécies de primatas não-humanos).

Em 2017, novas espécies de ovelhas, cabras, alpacas, lhamas, camelos e golfinhos serão adicionadas ao menu do . A caracterização extensiva de cada espécie ProCyte Dx® precisa ser feita para desenvolver e refinar os algoritmos de análise. “É uma espécie de impressão digital. As células do sangue em cada espécie podem ser muito diferentes no que diz respeito ao tamanho das células, forma e como eles reagem à química e como respondem no sistema de detecção. Passamos quase dois anos antes do lançamento trabalhando com quatro diferentes universidades veterinárias (Purdue, Flórida, Toulouse e Giessen), coletando e caracterizarando dezenas de milhares de amostras”, explica Dr. Jim. Mais recentemente, através de extensos testes de estabilidade em tempo real, a equipe conseguiu estender o período de 30 a 45 dias no pacote de reagentes e de 90 a 180 dias nos kits de colorantes, tornando o mais acessível para práticas de menor ProCyte Dx volume®.

Este instrumento mudou a forma como eu faço Hematologia!
Dr. Guillermo Couto, veterinário da IDEXX Consulting, que recentemente liderou um recorde de seminários de hematologia na Espanha, comenta sobre os avanços trazidos pelo analisador: “Pouco depois de começar a usar o ProCyte Dx®, percebi como são poderosos os gráficos Dot-Plots. Eles permitem classificar rapidamente as anemias, detectar desvios à esquerda ou mudanças tóxicas, além de detectar / suspeitar a presença de células neoplásicas em circulação. Este equipamento mudou a forma como eu pratico a hematologia!”

Saiba mais sobre as soluções da IDEXX em diagnóstico veterinário e qualidade da água: SAC: 0800 40 IDEXX vendasbrasil@idexx.com

Novo exame detecta doença renal meses antes de diagnósticos tradicionais

Diagnóstico precoce já detectou 350 mil animais com suspeita da enfermidade

Algumas doenças são silenciosas e não exibem sinais logo no início. Este é o caso da doença renal em animais de companhia, que acomete um a cada três gatos e um a cada dez cães no decorrer de suas vidas. Para o diagnóstico de doença renal, tradicionalmente, se utilizam uma combinação de testes, a qual inclui, dentre outros, a mensuração de creatinina, uréia, urinálise, hemograma e ultrassonografia. Porém, o Laboratório de Referência IDEXX (São Paulo/SP) conta com um teste que promete fazer diferença na saúde dos pets.

Idexx SDMA é um teste exclusivo da empresa e já está disponível no mercado brasileiro. “Temos quase 80 laboratórios em todo o mundo e neles já foram realizadas mais de 5 milhões de análises de SDMA. Inauguramos uma unidade do Laboratório de Referência no Brasil, em outubro de 2016, e o teste está disponível desde o primeiro dia de operação”, conta a gerente de Laboratórios da IDEXX na América Latina, Aline Baumann da Rocha Gizzi.

aline idexx
A gerente de Laboratórios na América Latina, Aline Gizzi, conta que o teste já identificou 350 mil casos da doença (Foto: divulgação)

A profissional explica que a dimetilarginina simétrica (SDMA) é um novo biomarcador renal que possui como principal diferencial a detecção precoce da doença renal em cães e gatos. “Os métodos tradicionais, como a creatinina, detectam a doença renal quando o rim já possui 75% de lesão renal e nosso teste é capaz de detectar o problema com apenas 25-40% de perda de função”, ressalta.

Dentre outros, a agilidade no diagnóstico é o maior benefício que o teste pode oferecer, como comenta Aline: “Ter a disponibilidade de um teste como o SDMA, que detecta doença renal até 48 meses antes que os testes tradicionais em gatos e 27 meses antes em cães, é fantástico, pois o médico-veterinário tem muito mais tempo para atuar no retardo do progresso da doença e dar mais qualidade de vida ao paciente”. Após o lançamento da empresa, o teste foi, inclusive, inserido no protocolo recomendado pela International Renal Interest Society (IRIS, Estados Unidos), sociedade respeitada internacionalmente para estabelecimento de protocolos e recomendações para diagnóstico, tratamento e monitoramento de pacientes com doença renal.

Aline revela que o exame que, em menos de um ano, identificou 350 mil cães e gatos com suspeita da doença, é um teste bioquímico realizado com uma amostra de sangue (soro, plasma com EDTA ou plasma com heparina lítica) e o animal deve estar em jejum alimentar de oito horas. “O teste é indicado para check-up anual, a fim de detecção precoce de doença, que, muitas vezes, pode ser silenciosa e o paciente não apresentar sinais clínicos. Além disso, é importante para investigação de afecções renais secundárias a outras doenças como cardiopatias, endocrinopatias, processos imunomediados, uso de drogas nefrotóxicas, entre outros”, menciona. Pacientes que possuem poliúria e polidipsia, sinais clínicos comuns de serem observados na doença renal e que apresentam outros testes de rotina ainda dentro da normalidade, também possuem indicação do teste, segundo Aline. “Após o diagnóstico, o teste tem um papel fundamental para estadiamento e monitoramento do paciente renal, com recomendação de repetição do teste a cada quatro ou seis meses ou conforme a necessidade clínica de cada paciente e orientação do médico-veterinário”, adiciona.

teste idexx
 Teste detecta doença renal até 48 meses antes que os testes tradicionais
em gatos e 27 meses antes em cães (Foto: divulgação)

O exame de rotina, segundo a gerente do Laboratório, foi inserido sem custo adicional em todos os perfis que possuem creatinina nas análises encaminhadas para o laboratório da companhia. “Mas pode, também, ser solicitado isoladamente com um valor acessível”, comenta.

Aline afirma que análises inovadoras como essa fazem com que a Medicina Veterinária brasileira acompanhe a evolução diagnóstica laboratorial disponível globalmente, seguindo, com isso, as alterações de protocolos médico-científicos discutidos internacionalmente. “Com este avanço, o maior beneficiado é o paciente”, conclui.

Cláudia Guimarães, da redação
claudia@ciasullieditores.com.br

Ourofino Saúde Animal palestra na Vet Health Global  

Realizada no Canadá, Conferência Internacional de Saúde Animal é um dos principais eventos do mundo em tecnologia e inovação 

Para promover soluções eficazes para a sanidade animal, impulsionar a produtividade no campo e cuidar da relação das pessoas com seus pets, a Ourofino Saúde Animal marca presença nos principais eventos do setor, nos âmbitos nacional e internacional, compartilhando e absorvendo novos conhecimentos. Neste mês, foi a vez de a empresa participar da Conferência Internacional de Saúde Animal (Vet Health Global), em Charlottetow, no Canadá.

Entre 12 e 14 de junho, o gerente executivo de Novos Negócios da Ourofino, José Ricardo Maio, acompanhou as principais tendências em pesquisa e tecnologia no segmento de saúde animal e trocou experiências com os principais líderes, pesquisadores e formadores de opinião do mundo, especialmente da Europa e América do Norte.

O gerente também foi palestrante no evento e falou sobre resistência antimicrobiana. “Palestrei durante uma das plenárias sobre o uso de antibióticos e problemas relacionados à resistência bacteriana, apresentando o cenário brasileiro, as inovações locais e o comportamento do mercado, além de discutir o futuro do setor. Foi uma oportunidade enriquecedora”, destaca.

É a terceira vez que a Ourofino participa da Vet Health Global, sendo a segunda edição com palestrante. “Como filosofia da companhia, a Ourofino busca inovar constantemente, tanto para animais de companhia quanto para os de produção, então é fundamental estarmos presentes nos principais eventos do setor”, completa Maio.

A indústria veterinária zela por atender às necessidades atuais e futuras do mercado de grandes e pequenos animais, com atenção ao meio ambiente e à sanidade animal, por isso a empresa investe na área de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e fomenta a interação com profissionais do agronegócio e do setor pet.

A Vet Health Global é uma conferência bienal e é tida como um local de encontro para os líderes da indústria internacional.

Sobre a Ourofino Saúde Animal

A Ourofino Saúde Animal é composta por diferentes empresas, que atuam na fabricação e distribuição de produtos veterinários nos segmentos de animais de produção e de companhia. Em uma área de 180 mil m2, em Cravinhos (SP), o complexo industrial está entre os mais modernos do setor e atende a rigorosas normas locais e internacionais para fabricação de produtos veterinários para bovinos, equinos, aves, suínos e pets.

São mais de mil colaboradores, incluindo a maior equipe comercial no Brasil para atender revendas, cooperativas, distribuidoras, agroindústrias e produtores rurais. A companhia foi fundada em 1º de junho de 1987 pelos empreendedores Norival Bonamichi e Jardel Massari. Mais informações em www.ourofinosaudeanimal.com.

 

Informações para a imprensa:

ComTexto Comunicação Corporativa

Thaís Campos – thaiscampos@ctexto.com.br
Fernanda Franco – fernanda@ctexto.com.br 
Tel.: (16) 99772-5907 / 3964-7000
www.ctexto.com.br