Voluntários recebem ajuda de MS para controlar febre-amarela em macacos da Serra da Cantareira

SIGO Homeopatia Veterinária doou produtos para o grupo Sonho de Bugio, responsável pela ação de resgate dos animais

A febre-amarela, doença infecciosa e letal ressurgiu no final de 2017 e está assustando o País, principalmente moradores do Estado de São Paulo, onde macacos que habitavam a Serra da Cantareira morreram, vítimas da doença, transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes.

De acordo com o grupo Um Sonho de Bugio, formado para salvar os primatas, cerca de dois mil animais já morreram e os bugios praticamente desapareceram da área. Para colaborar no restabelecimento da saúde dos animais da Serra da Cantareira, a SIGO Homeopatia Veterinária, empresa sul-mato-grossense doou produtos para que, inseridos na rotina dos animais silvestres, fortaleça sua saúde e previna maior infestação da doença.

A homeopatia veterinária está sendo aplicada nas nascentes, onde os animais bebem água. Não há qualquer risco de alteração no equibílibrio da água e solo pela característica de ultra diluição da homeopatia e assim, mais animais serão beneficiados.

“Quando fomos contactados a ajudar nessa situação, a intenção era oferecer aos macacos algum tipo de medicação preventiva e curativa. Mas, infelizmente, capturar os animais para medicar era impossível. No caso da Serra da Cantareira, foi estudado qual o princípio homeopático que equlibraria o ambiente e então foi usada a mesma estratégia do desastre de Mariana: colocar o princípio homeopático  nas minas de água; essa conduta reequilibra o ecossistema como um todo levando a informação curativa da homeopatia de forma preventiva e curativa para todos os seres vivos do ambiente, de firma ampla e eficaz. O conceito de Gênio Epidêmico já e utilizado em rebanhos animais e organismos agropecuários por nós e já foi  utilizado na Europa pelo médico inventor da terapêutica homeopática desde o século XIX para tratamento de epidemias humanas, como a escarlatina”, explica a médica veterinária e diretora da SIGO, Mônica Souza.

De acordo a médica Adriana Homem, moradora da Serra da Cantareira, que iniciou o projeto Sonho de Bugio, desde que a homeopatia passou a ser aplicada nas nascentes os animais apresentam mais tranquilidade e os bugios, que até então haviam desaparecido, começaram a ressurgir em seu habitat.

“Não sabemos se foi coincidência, mas acreditamos na homeopatia. Os bugios estão voltando e os animais estão reagindo melhor. Vale lembrar que não foram só macacos que morreram de febre-amarela, muitas aves e até esquilos foram vítimas da doença”, revela Adriana.

Sonho de Bugio – O projeto criado em novembro de 2017 conta com cerca de 100 pessoas, moradores da Serra da Cantareira. O objetivo é salvar a fauna local, combater a proliferação das larvas do mosquito Aedes aegypti e esclarecer que o transmissor da doença não é o macaco.

“Cada um atua na sua área de conhecimento. No começo, resgatávamos os bugios e levávamos ao veterinário, mas nenhum sobreviveu. Alguns morreram de pauladas ou envenenados e por isso também fazemos panfletagem e campanhas de vacinação, lembrando que o macaco não é o transmissor e que se ele desaparece há um desequilíbrio na natureza e isso torna os humanos mais vulneráveis à doença”, explica a médica e criadora do grupo Sonho de Bugio, Adriana Homem.

Com muita dedicação e trabalho, além da homeopatia para fortalecer a imunidade dos animais, os voluntários estão combatendo as larvas do mosquito e colocando mosquiteiros em áreas de maior concentração de macacos.

As ações são autorizadas pelo poder público que, inclusive pediu apoio ao grupo para controlar a situação. “ O município de São Paulo pediu ajuda para controlar o Aedes aegypti, já que eles não têm acesso à Serra da Cantareira. Estamos colocando mosquiteiros em áreas de concentração dos macacos que sobraram e fazendo armadilhas para os mosquitos”, relata Adriana.

De acordo com a volutária, após o controle da situação, o trabalho vai continuar em prol da preservação.

“Esse trabalho será eterno. Nosso objetivo agora é construir um hospital veterinário para animais silvestres aqui”, finaliza Adriana.

SIGO Solidária – Não é a primeira vez que a SIGO doa produtos para controle de tragédias ambientais. Em 2015, a empresa colaborou para descontaminação do solo e logo, para a recuperação de animais vítimas da tragédia de Mariana (MG) e em outubro de 2017, colaborou na recuperação de animais feridos no incêndio de grandes proporções que atingiu a Chapada dos Veadeiros (GO).

ATENÇÃO IMPRENSA

Agendamento de pautas e entrevistas, falar com:

Karine Dias – Assessora de Imprensa

karine@dikabr.com

Telefone: (67) 99265-5761

Veterinária alerta sobre consequência do abandono de animais 

Durante as férias, cresce número de animais abandonados nas ruas

Férias, aquele período esperado para descansar e viajar. Para a família é um momento especial e feliz, mas e para os animais? De acordo com reportagem do site Terra, com dados da Suipa (Sociedade União Internacional de Protetora dos Animais), o abandono de animais de estimação nesse período pode aumentar em até 70%.

Este ato cruel tem uma série de consequências: ao animal, o abandono gera medo, risco de maus-tratos, atropelamento, fome e exposição a doenças. Há ainda risco de o animal assustado e fora de seu habitat, atacar as pessoas e causar acidentes.

“É uma covardia e falta de respeito e amor a um ser vivo vulnerável. A orientação é procurar informação com o veterinário que poderá sugerir opções onde deixar o animal ou procurar a ajuda de amigos e vizinhos para cuidar do pet na ausência do seu tutor. Animais abandonados ficam com sequelas comportamentais e na saúde, muitas vezes incuráveis. Veterinários de abrigos relatam diversos problemas resultantes do abandono, como atropelamentos, apatia, inapetência, vômitos, doenças infecciosas por queda de resistência devido ao estresse, muitas vezes seguidas de óbito. Eles morrem literalmente, de tristeza”, explica a médica-veterinária e diretora da Sigo Homeopatia Veterinária, Mônica Souza.

Para quem vai viajar no período e tem dúvidas se deve ou não levar seu pet, a médica-veterinária esclarece que com suporte da homeopatia é possível ter uma viagem, seja de carro ou avião, tranquila e em companhia do bichinho, já que a fórmula estimula o organismo a se equilibrar física e comportamenlatmente.

“A homeopatia age equilibrando o organismo do animal, diminuindo o estresse a tudo que seja mudança na sua rotina normal, como no caso de viagens de carro ou avião, onde os enjoos, medo e ansiedade são os principais transtornos encontrados. O resultado do uso desta terapêutica é restabelecer a tranquilidade, permitindo que o animal se estresse o menos possível, com nenhum efeito colateral”, esclarece a veterinária, destacando que para estes casos, o ideal é o uso do produto homeopático CalmSigo.

Mas, para o dono que não poderá levar seu pet durante as férias, mas quer garantir sua saúde física e emocional, a orientação é sempre mudar o mínimo possível a rotina do pet e se isso não for possível, fazer uso de terapêuticas adequadas, como a homeopatia, para equilibrar o máximo possível o seu amiguinho e poder usufruir das férias sem problemas.

“Muitos animais, acostumados à rotina e à companhia dos tutores adoecem e param de se alimentar quando da ausência deles. São vários tipos de estresse que somados podem levar o animal à adoecer. Ficar em casa com outras pessoas cuidando é um estresse, mas permanecer em ambiente desconhecido com pessoas estranhas é um estresse bem maior. Se incluirmos medo de rojões a tudo isso, a situação fica ainda mais preocupante. O uso da homeopatia não substituirá a presença dos tutores, mas poderá levar mais tranquilidade e até permitir que ele se alimente normalmente e que possa repousar sem a presença dos donos e da sua casa e com tantos outros fatores estressantes, como os rojões e barulhos vários das recentes festas de fim de ano”, destaca a diretora da Sigo Homeopatia Veterinária.

Portanto, se vai deixar seu animal sob cuidados de outras pessoas ou levá-lo na viagem de férias, a prevenção e cuidado com a saúde física e emocional do pet é essencial. Além do uso da homeopatia como aliada, é importante sempre consultar um veterinário  para obter mais orientações. Para quem vai deixar o bichinho, há hoteis e profissionais especializados em cuidados com os pets em sua casa – os Petsisters. Um familiar ou amigo de confiança também são boas opções para manter seu amigo bem cuidado.

Posse responsável –  Vale ressaltar que o abandono de animais é crime. Em vigor desde 1998, a Lei Ambiental Federal 9.605 prevê multa e prisão para donos que negligenciam seus animais, o que inclui maus-tratos, abandono e qualquer tipo de crueldade.

Sobre a SIGO Homeopatia – Empresa sul mato-grossense com linha de produtos para pecuária bem estabelecida no mercado há 20 anos, a marca conta atualmente com 12 produtos da linha SIGOPEC, que podem ser adicionados ao suplemento alimentar e utilizados em bovinos, caprinos, ovinos, suínos, equinos, bubalinos e silvestres, na prevenção e tratamento de diarreias neonatais, sodomia, verminoses, mastite, carrapatos, moscas do chifre e bernes resistentes a aditivos químicos, problemas de casco e pele, verrugas (papilomatose), incremento para fertilidade e ainda para acabamento e cobertura da carcaça na fase de engorda de bois.

Já para os animais de estimação, a linha SIGOPET oferece 13 produtos que atuam no trato de infecções urinárias, anemia advinda de doença do carrapato, problemas cardíacos, ansiedade e excesso de latido dos cães, artrite, controle de pulgas e carrapatos, doenças de pele, infecções, fraturas e lesões. Muitos protocolos como aquele citado acima para tratamento de sequelas da cinomose têm ampliado o campo de ação desta linha, que é indicada para cães e gatos.

_________________________________________________________________

ATENÇÃO IMPRENSA

Agendamento de pautas e entrevistas, falar com:
Karine Dias – Assessora de Imprensa
karine@dikabr.com
Telefone: (67) 99265-5761

Novembro Verde: Homeopatia Veterinária comprova eficácia por meio de resultados

Tratamento garante prevenção e colabora na cura de doenças de pets e animais de campo

Livre de efeitos colaterais e com eficácia comprovada por diversos estudos, a homeopatia ganha cada dia mais espaço dentro da medicina, seja ela destinada a humanos ou animais. A homeopatia veterinária, além de resultados, garante uma série de benefícios, tanto nas ações de prevenção, tratamento e na garantia da qualidade de derivados de origem animal, no caso da pecuária.

No dia 21 de novembro foi celebrado o Dia da Homeopatia, mas o mês todo é dedicado a essa especialidade. O Novembro Verde tem por objetivo disseminar os benefícios do tratamento e a SIGO Homeopatia Veterinária, empresa sul-mato-grossense com 15 anos de experiência no segmento, apoia esta causa.

No caso do tratamento de rebanhos e animais de campo, a homeopatia garante grande viabilidade devido a ausência de efeitos colaterais. Sem aditivos químicos e resíduos, o tratamento colabora inclusive para grandes produções pecuárias destinadas às exportações, como avalia o diretor da SIGO, Marco Antônio Cucco.

“Para o agronegócio brasileiro a homeopatia oferece segurança, por não haver interação química. Nesse caso, os riscos são eliminados e reduz a possibilidade de um comprador  internacional reprovar e devolver alimentos originados de animais homeopatizados. Contudo, o grande apelo é a eficácia e o retorno econômico, já que muitos insumos químicos e antibióticos já perderam seu efeito, enquanto os homeopáticos exibem,  há tempos,  efetividade plena no controle de parasitoses e infecções causadas por parasitas e bactérias resistentes aos químicos convencionais. Por isso a aceitação de insumos homeopáticos vem crescendo nas últimas três décadas, colocando o Brasil na liderança mundial em produção desse tipo de linha, revela Cucco.

Para os amigos pets, a homeopatia traz segurança e garantia de qualidade de vida ao bicho, seja ele cão, gato, coelho e até mesmo pássaros.

“A procura por tratamentos homeopáticos para pets é grande. Os donos buscam a homeopatia para que seus animais tenham saúde preservada, livre de efeitos colaterais e tóxicos dos produtos químicos, permitindo sua convivência com  seus tutores de forma harmônica. Também são fáceis de administrar e de baixo custo”, avalia a diretora da SIGO e médica-veterinária Dra. Mônica Souza.

Resultado garantido – A média de resultados aparentes da atuação da homeopatia é variável, mas há casos de retorno em horas ou poucos dias. Há poucos meses, o Hospital Veterinário da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), que utiliza os protocolos homeopáticos da SIGO, registrou relato de sucesso da administração do produto homeopático.

Ao receber um cachorro que, ao estranhar o ambiente e a ausência do dono entrou em desespero e, agitado e que não parava de latir por muito tempo, a veterinária residente Beatriz Crepaldi Aléssio ministrou o produto no animal e o resultado foi imediato.

“Ele estava muito agitado e latia sem parar, estranhou ficar longe do dono, então administrei o CalmSigo, que em menos de cinco minutos fez ele se acalmar e dormir, comenta Beatriz, surpresa com o resultado.

Compromisso com a excelência – Há 24 anos, foi criada no Brasil a AMVHB (Associação Médico Veterinária Homeopática Brasileira), entidade presidida atualmente pela médica-veterinária sul-mato-grossense Mônica Souza e que tem por finalidade contribuir para a difusão da Homeopatia na Medicina Veterinária, seja na pesquisa, ensino, extensão e divulgação desta, bem como de organizar Congressos Brasileiros para promover o aprimoramento e a excelência profissional dos Médicos Veterinários neste campo de saber. Foi a primeira Associação habilitada a conceder Título de Especialista em Homeopatia Veterinária, com a chancela do CFMV.

No mês em que se comemora o Dia Nacional da Homeopatia a Campanha Novembro Verde contou com diversos eventos de conscientização à população sobre os benefícios da homeopatia em todas as áreas da saúde, destacando a realização do 8º Congresso Brasileiro de Homeopatia Veterinária pela AMVHB -realizado entre os dias 23 e 26, oportunidade de troca de experiências clínicas e científicas entre os maiores expoentes atuantes em Homeopatia Veterinária do País.

__________________________________________________________

ATENÇÃO IMPRENSA
Agendamento de pautas e entrevistas, falar com:
Karine Dias – Assessora de Imprensa
karine@dikabr.com
Telefone: (67) 99265-5761

Para ajudar animais vítimas do incêndio, empresas de MS enviam medicamentos homeopáticos e florais para Chapada dos Veadeiros

SIGO Homeopatia Veterinária e Florais Pantanal Cerrado se uniram para colaborar com recuperação de animais feridos na tragédia ambiental

Há cerca de 20 dias, um incêndio de grandes proporções atingiu a reserva da Chapada dos Veadeiros, em Goiás (GO). Uma verdadeira força-tarefa foi criada com profissionais de vários segmentos para ajudar no combate ao fogo e resgate dos animais feridos ou assustados com as chamas, que já devastaram 64 mil hectares, o equivalente a 25% de toda a área da reserva, segundo informações da mídia nacional.

De Mato Grosso do Sul, a ajuda partiu de duas empresas voluntárias, a Florais Pantanal e Cerrado, de responsabilidade da veterinária homeopata Heloísa Fernandes e pela SIGO Homeopatia Veterinária, no dia 1º de novembro, enviaram lote de medicamentos para as equipes de resgate para o trato dos animais.

“Muitos animais estão abalados e traumatizados física e psicologicamente com a situação, por isso vamos enviar o TraumaSigo, para o trato desse trauma causado pelo estresse e ferimentos”, explica a médica veterinária e diretora da SIGO Homeopatia, Mônica Souza.

A médica veterinária homeopata Heloísa Fernandes, foi quem teve contato com as equipes de resgate e buscou maneiras de auxiliar os animais feridos.

Tragédia de Mariana – Essa não é a primeira vez que a indústria sul-mato-grossense SIGO colabora na recuperação de animais vítimas de catástrofes. Em 2015, quando o município mineiro de Mariana foi atingido pela maior tragédia ambiental registrada no Brasil, além de matar e desabrigar milhares de pessoas, os animais também sofreram, muitos foram resgatados doentes e feridos por grupos de voluntários, que precisavam de ajuda para tratar os mais de 600 animais recolhidos à época, de acordo com informações divulgadas na época pelo Estadão.

Cães, gatos, cavalos, galinhas, patos, porcos e até mesmo bois foram resgatados e, diante de tantas notícias sobre a necessidade de ajuda, a doutora em homeopatia, Leoni Bonami, que mora em São Paulo, decidiu mobilizar voluntários que pudessem ajudar.

“Fiz contato com a Mônica, diretora da SIGO pedindo que ajudasse com essa situação. Já conhecia seu trabalho com a homeopatia tanto veterinária, como para o trato de solo em geral, como pastos. Pensei que poderíamos ao menos atuar na recuperação de trechos da cidade. Foram encontrados muitos metais pesados na lama tóxica que se espalhou e a homeopatia poderia colaborar no controle”, relata Leoni.

Além do tratamento em parte do solo, que colabora para a recuperação da área e para a saúde de toda comunidade, os animais receberam atenção com homeopatia voltada pós-trauma e imunidade. Devido a umidade e infestação de mosquitos, houve risco de epidemia de leishmaniose.

“Na área endêmica havia risco grande de leishmaniose e enviamos lotes de produtos específicos para garantir o controle por meio do aumento da imunidade dos cães, os resultados foram positivos e muitos animais já foram adotados e os que não conseguiram um lar os próprios voluntários estão cuidando”, comenta.

Para a médica veterinária e diretora da SIGO Homeopatia Veterinária, o essencial é que cada um faça sua parte para amenizar os impactos sociais e ambientais das tragédias que muitas vezes atingem cidades ou regiões inteiras.

“Nós podemos ajudar por meio da homeopatia, mas o esforço precisa ser grande, há pessoas trabalhando na área e vítimas que precisam de ajuda de todos os setores, não só do poder público, mas também da iniciativa privada. É importante a mobilização coletiva”, finaliza a diretora Mônica Souza.

Referência em homeopatia veterinária, empresa sul-mato-grossense leva experiência no trato a animais de produção para acadêmicos do Rio Grande do Sul

SIGO Homeopatia Veterinária participa da da XVIII Semana Acadêmica de Veterinária da UFRGS

Referência em homeopatia veterinária há mais de 15 anos, a empresa sul-mato-grossense SIGO participa nesta quarta-feira (18) da XVIII Semana Acadêmica de Veterinária da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre.

Organizada pelo Diretório Acadêmico da Faculdade de Veterinária (DAFV), o evento tem como slogan “Da teoria a Realidade: o que os livros não dizem!” e conta com 92 palestras, relacionadas a bem-estar animal, marketing e postura profissional, saúde pública, animais silvestres e grandes animais.

A SIGO, representada pela diretora Mônica Souza, participa da Semana Acadêmica pela primeira vez e levará sua experiência no tratamento e prevenção de doenças de animais de campo com a palestra “Uso da Homeopatia na Produção Animal”.

“É uma honra participar desse evento, complementando o conhecimento na área de homeopatia, que integra a grade de disciplinas do curso. Eles poderão acompanhar casos de sucesso e demonstrações da eficácia da homeopatia veterinária”, avalia Mônica.

A diretora da SIGO, que também é presidente da Associação Médica Veterinária Homeopática Brasileira, destaca que, além de eficaz, a homeopatia oferece segurança e economia ao produtor. Além disso, colabora para a qualidade dos produtos e a aceitação destes em outros países.

Por não  haver  efeito colateral aos animais e ausência de resíduos químicos, os riscos são eliminados, o que reduz a possibilidade de um comprador internacional reprovar e devolver alimentos originados de animais homeopatizados. Além da eficácia e da segurança, outro ponto forte é o retorno econômico, já que vários pesticidas e antibióticos já perderam seu efeito, enquanto os homeopáticos exibem, há tempos,  efetividade plena no controle de parasitoses e infecções causadas por parasitas e bactérias resistentes aos químicos convencionais”, destaca a palestrante.

Sobre a SIGO Homeopatia – Empresa sul mato-grossense com linha de produtos para pecuária bem estabelecida no mercado há 20 anos, a marca conta atualmente com 12 produtos da linha SIGOPEC, que podem ser adicionados ao suplemento alimentar e utilizados em bovinos, caprinos, ovinos, suínos, equinos, bubalinos e silvestres, na prevenção e tratamento de diarreias neonatais, sodomia, verminoses, mastite, carrapatos, moscas do chifre e bernes resistentes a aditivos químicos, problemas de casco e pele, verrugas (papilomatose), incremento para fertilidade e ainda para acabamento e cobertura da carcaça na fase de engorda de bois.

Já para os animais de estimação, a linha SIGOPET oferece 13 produtos que atuam no trato de infecções urinárias, anemia advinda de doença do carrapato, problemas cardíacos, ansiedade e excesso de latido dos cães, artrite, controle de pulgas e carrapatos, doenças de pele, infecções, fraturas e lesões. Muitos protocolos como aquele citado acima para tratamento de sequelas da cinomose têm ampliado o campo de ação desta linha, que é indicada para cães e gatos.

ATENÇÃO IMPRENSA

Agendamento de pautas e entrevistas, falar com:
Karine Dias – Assessora de Imprensa
karine@dikabr.com
Telefone: (67) 99265-5761

Dedicada à saúde e bem-estar animal, empresa de homeopatia veterinária sul-mato-grossense comemora 15 anos com muitas conquistas

Há 15 anos, uma empresa visionária iniciava suas atividades em Mato Grosso do Sul. Com o propósito de oferecer tratamento diferenciado a animais de campo, com menor custo e eficácia nos resultados, nasceu em 2002 a SIGO Homeopatia Veterinária, sediada em Campo Grande.

As atividades iniciaram da necessidade de soluções ágeis para os desafios que atingem a pecuária. Foi quando o médico veterinário Marco Antônio Cucco, com ampla experiência no trato com animais de campo, pedu suporte à sua mulher, a também médica veterinária Mônica Filomena de Souza, especializada e uma das pioneiras no Estado na homeopatia veterinária.

“Fiz especialização em Homeopatia Veterinária para atuar em pequenos animais na clínica que eu tinha, mas precisei fechar o local para dedicar melhor aos meus três filhos. Nesse período meu marido, que atuava no campo, me pedia para fazer fórmulas para atender seus clientes de forma particularizada. Em determinado momento um grande cliente percebeu a eficácia do tratamento no controle de carrapatos do rebanho de Angus e para atender a demanda de forma regulamentada, fomos impelidos a abrir a empresa”, conta a veterinária e diretora da SIGO, Mônica Souza.

A empresa, que surgiu ‘por acaso’, hoje é referência em produtos homeopáticos veterinários, e nesses 15 anos se destaca em soluções inovadoras, em sustentabilidade, na geração de empregos e consequente fortalecimento da marca. Com 15 colaboradores, a SIGO Homeopatia, que conta com 13 produtos na linha SigoPec e 13 na linha SigoPet, iniciou recentemente exportação para países da América Latina.

“Participamos de rigorosa capacitação realizada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e APEX (Agência de Brasileira de Promoção de Exportação e Investimento) voltada a empreendimentos inovadores e sustentáveis. A Sigo Homeopatia destacou-se, sendo a única empresa da região Centro-Oeste a ser selecionada, juntamente com 30 empresas sustentáveis, em um processo que envolveu mais de 100 empreendimentos inscritos. Para nós foi determinante, aprendemos muito e com o conhecimento adquirido, ampliaremos nossos negócios para países vizinhos”, relata o diretor e médico veterinário, Marco Antônio Cucco.

Crescimento da Homeopatia Veterinária – O que antes era visto como algo pouco provável e cujos resultados precisavam ser comprovados e questionados a todo tempo, hoje é um mercado consolidado. O Brasil é referência no segmento e Mato Grosso do Sul se destaca por meio da SIGO Homeopatia.

O tratamento homeopático não interfere no trato com alopáticos, contudo, fundamentalmente, tem menor custo e eficiência comprovada. Além disso, a administração do produto aos animais é muito simples, podendo ser misturada ao alimento dos animais (ração ou suplementos), na água ou borrifada diretamente na boca do animal, nos casos de pets.

“Nada se compara à resposta do mercado crescente de homeopáticos. Os produtos foram criados a partir das necessidades não atendidas pelos alopáticos; algumas soluções são inéditas na medicina convencional, como o direcionador de gordura visceral para subcutânea, combinado com controlador de estresse para bois não castrados”, relata a diretora Mônica Souza.

A empresa também atua com preocupação e respeito ao meio-ambiente, com embalagens compactas, sem excesso de uso de plástico ou papelão. Sua linha de produtos é marcada pela inovação como fórmulas 2 em 1  e 3 em 1, com produtos de atuação conjunta, em uma só embalagem, gerando economia ao cliente e menos geração de resíduos, com a mesma eficácia já comprovada dos produtos SIGO.

Homeopatia veterinária: fórmulas combinadas garantem solução no campo e maior lucratividade ao produtor

Economia, eficiência e praticidade no manejo. Esses são os principais benefícios dos produtos combinados da SIGO Homeopatia Veterinária. São fórmulas que reúnem dois ou três protocolos na  mesma embalagem e que tratam e previnem doenças variadas em animais de campo.

As fórmulas SIGOPEC foram desenvolvidas para tratar curativa e preventivamente as enfermidades mais comuns na pecuária de corte, de leite e na ovinocultura, entre elas: mastite, afecções de casco,  sodomia ,parasitas como verminoses, carrapatos, moscas do chifre e estábulo e bernes, entre outros. Outro diferencial do tratamento homeopático é o seu caráter melhorador, como o incremento na engorda,  agregado também aos produtos combinados.

“Os produtos SIGO foram desenvolvidos sob  o pilar do amplo conhecimento em Homeopatia e a experiência de muitos anos no trato pecuário dos técnicos criadores das fórmulas. Nosso objetivo é levar solução ao produtor, verificar o que ele precisa e oferecer fórmulas que atendam a sua necessidade, aliado ao atendimento técnico pós venda altamente especializado”, avalia Mônica Souza, médica veterinária e diretora da SIGO.

A veterinária explica que a grande vantagem na apresentação combinada de seus produtos é a facilidade de aplicação ( não precisa abrir um monte de embalagens) e principalmente, a economia . Ao adquirir produtos combinados, o produtor não paga o equivalente a três fórmulas , sem falar no menor  impacto ambiental com descarte de embalagens,  uma das grandes preocupações da empresa.

“Para o produtor, além de ser mais fácil administrar um produto para três problemas, há muita vantagem na relação custo-benefício, já que vai pagar por dois produtos o equivalente ao valor de a 1,5 item. Também há menos produção de embalagem, ou seja, menos resíduo na natureza”, avalia.

Produtos combinados:

  1. EngordSigo – dois produtos conjugados: controle de sodomia ( desvio de comportamento onde os bois não castrados se machucam)  aliado ao maior rendimento de carcaça oferecido pelo desvio de gordura das vísceras para a carcaça;
  2. ParaboiSigo (EngordSigo+ SodoSigo+EndectoSigo) – é a união dos protocolos de controle de endo e ecto parasitas ( carrapatos, moscas, bernes e vermes)  com controle de sodomia e incremento da engorda, garantindo maior cobertura de gordura na carcaça. Esse produto de apresentação 3 em 1 confere 1% a mais em peso de carcaça pela deposição de gordura , 1 arroba a mais nos animais por serem mantidos  inteiros e controle de parasitas, evitando recolhidas dos animais no curral para aplicação de produtos parasiticidas.

Essa combinação resulta em ótima relação custo: benefício de mais de 10:1;

  1. LactoSigo – É a solução para as principais doenças que atingem as vacas leiteiras, como mastite, carrapato, mosca do estábulo e problemas no casco;
  2. OvinoSigo- Trata a principal inimiga da ovinocultura, a verminose,  da ceratoconjuntivite, além de controle de afeções do fígado, como a fotossensibilização e as diarreias causadas por coccidioses em apriscos.Publicado por Sigo Homeopatia

Destaque entre empresas sustentáveis do país, indústria de MS inicia exportação para vários países

Mato Grosso do Sul é referência na pecuária e agora, também se destaca na exportação de produtos homeopáticos para tratamento de rebanhos para diversos países.

Com mais de 20 anos de experiência no mercado regional e nacional, a SIGO Homeopatia veterinária iniciou processo de exportação após minuciosa capacitação realizada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e APEX (Agência de Brasileira de Promoção de Exportação e Investimento) voltado a empreendimentos inovadores e sustentáveis. A Sigo foi a única empresa da região Centro-Oeste a ser selecionada, num grupo de 30 empresas sustentáveis, em um processo que envolveu mais de 100 empresas.

No dia 30 de agosto, acontece em São Paulo, uma rodada de negócios entre os empreendimentos participantes da capacitação e compradores internacionais, como EUA, China, Israel, Letônia, Africa do Sul, Nigéria Colômbia, Peru e México.

“Para nós foi muito importante participar dessa capacitação. A partir desses conhecimentos nos tornamos muito mais íntimos dos processos, principalmente, passamos a entender a importância do contato para a prática da exportação”, avalia a diretora da empresa, Mônica Filomena de Souza.

Durante a rodada de negócios, os participantes terão a oportunidade de trocar experiências, além de conhecer novas empresas. A programação inclui ainda visitas técnicas em variados setores, como moda, gastronomia,cosméticos e inovação.

“Esse intercâmbio de informações com certeza irá agregar muito mais conhecimento e valor ao aprendizado da capacitação. Além disso é uma ótima oportunidade para mostrar o potencial dos produtos desenvolvidos em nosso Estado, apresentando a qualidade de nosso indústria homeopática, seu valor industrial e também econômico para a região”, finaliza a diretora.

Sobre a SIGO Homeopatia – Empresa sul mato-grossense com linha de produtos para pecuária bem estabelecida no mercado há 20 anos, a marca conta atualmente com 12 produtos da linha SIGOPEC, que podem ser adicionados ao suplemento alimentar e utilizados em bovinos, caprinos, ovinos, suínos, equinos, bubalinos e silvestres, na prevenção e tratamento de diarreias neonatais, sodomia, verminoses, mastite, carrapatos, moscas do chifre e bernes resistentes a aditivos químicos, problemas de casco e pele, verrugas (papilomatose), incremento para fertilidade e ainda para acabamento e cobertura da carcaça na fase de engorda de bois.

Já para os animais de estimação, a linha SIGOPET oferece 13 produtos que atuam no trato de infecções urinárias, anemia advinda de doença do carrapato, problemas cardíacos, ansiedade e excesso de latido dos cães, artrite, controle de pulgas e carrapatos, doenças de pele, infecções, fraturas e lesões. Muitos protocolos como aquele citado acima para tratamento de sequelas da cinomose têm ampliado o campo de ação desta linha, que é indicada para cães e gatos.

Homeopatia apresenta resultados efetivos no tratamento da cinomose e doenças graves em cães e gatos

Quem ama seu animalzinho de estimação sabe o quanto é triste quando ele adoece.

Doenças graves de cães e gatos têm na homeopatia uma grande aliada, tanto na prevenção, quanto no tratamento. Como exemplo temos a cinomose, que pode deixar sequelas neurológicas ou até mesmo causar a morte do cão e nos gatos as doenças FIV – Síndrome da Imunodeficiência Felina e a FeLV – Leucemia Felina, têm inspirado preocupação em tutores e médicos veterinários, por serem incuráveis.

“A homeopatia não faz milagres, mas pode atuar em casos onde a alopatia esgotou todos os recursos, melhorando as condições orgânicas dos animais, como ferramenta coadjuvante ou única. Ela atua diferente da alopatia, pois não “mata” o agente agressor, como as infecções ou parasitas, mas equilibra o organismo animal, fortalecendo o hospedeiro e melhorando sua imunidade”, explica Dra. Mônica Filomena Assis, médica veterinária e diretora da Sigo Homeopatia, empresa sul-mato-grossense que atua com a homeopatia veterinária através das linhas SigoPec, voltada à pecuária e SigoPet, destinada a cães e gatos.

A homeopatia é indicada para atenuar sintomas de sequelas neurológicas presentes em enfermidades como a cinomose canina. O tratamento, além de proporcionar condições melhores de vida a animais com sequelas, permite que o animal expresse funções básicas, muitas vezes suprimidas pela grave doença, como andar, comer e beber água.

O produto testado e indicado nesta condição é o TraumaSigo. O protocolo de tratamento com este produto foi desenvolvido pela médica veterinária Raquel Braga, de Bonito (MS), que se baseou na formulação do produto, onde um dos princípios homeopáticos tem atuação terapêutica em inervação periférica, e assim, controlar a dor e a condução nervosa nos nervos periféricos, diminuindo as mioclonias, os ‘tiques’, permitindo assim, melhor qualidade de vida ao animal.

Graves transtornos em gatos, como a FIV e a FeLV, de difícil tratamento pelos meios convencionais, apresentam profilaxia e controle dos seus sintomas com a combinação dos produtos FortSigo, HemoSigo e InfectoSigo.

Homeopatia veterinária: Eficácia no tratamento de animais domésticos e lucratividade ao produtor

Qualidade, inovação e eficácia são as palavras que melhor definem a
linha Sigo Procedimentos Homeopáticos, linha criada e dedicada
exclusivamente à saúde e bem-estar animal, tanto dos pets, quando os de
produção pecuária.

Atuando há 20 anos no mercado, a Sigo nasceu do trabalho do casal de
médicos-veterinários Mônica Filomena Assis de Souza e Marco Antônio
Cucco, respectivamente responsável técnica e diretor técnico
administrativo da empresa.

eficácia da homeopatia para animais já é comprovada, não apenas em
tratamento de doenças, mas também no aumento de produtividade, como
destaca o Dr. Marco Antônio Cucco.

“Hoje já se sabe que produtos homeopáticos vão além da cura ou prevenção
de doenças. É possível melhorar o desempenho zootécnico de rebanhos
sadios, mas que podem ter seu metabolismo estimulado a melhor
aproveitamento e direcionamento de nutrientes, otimizando e reduzindo
custos da produção”, avalia o diretor.

A ausência de efeitos colaterais é outro benefício da homeopatia. Sem
aditivos químicos e resíduos, o tratamento colabora inclusive para
grandes produções destinadas às exportações. O diretor ressalta ainda
que o uso de insumos homeopáticos em grande escala e produzidos
industrialmente, colocam o Brasil na liderança mundial em produção desse
tipo de linha.

“O grande apelo da homeopatia é a eficácia e o retorno econômico. Muitos
antibióticos já perderam seu efeito, enquanto os homeopáticos exibem,
há tempos,  efetividade plena no controle de parasitoses e infecções
causadas por parasitas e bactérias resistentes aos químicos
convencionais,”, revela Cucco.

Os produtos são spray, podendo ser administrados via oral, tanto
diretamente na boca do animal, quanto em seu alimento. Qualquer produto
da linha pode ser utilizado com outros tratamentos, se necessário, sem
riscos à saúde do animal ou interferência na  eficácia de um ou outro
tratamento.

Sobre a SIGO – A marca conta atualmente com 12 produtos para pecuária, na forma de pó para ser adicionado ao suplemento alimentar e que podem ser
utilizados em bovinos, caprinos, ovinos, suínos, equinos, bubalinos e
silvestres, na prevenção e tratamento de diarreias neonatais, sodomia,
verminoses, mastite, carrapatos, moscas do chifre e bernes resistentes a
aditivos químicos, problemas de casco e pele, verrugas (papilomatose),
incremento para fertilidade e ainda para acabamento e cobertura da
carcaça.

Já para os animais de estimação, são 13 produtos que atuam no trato de
infecções urinárias, anemia, doença do carrapato, problemas cardíacos,
ansiedade e excesso de latido dos cães, artrite, pulgas, doenças de
pele, infecções, fraturas e lesões. A linha pode ser utilizada tanto em
cães, quanto em gatos.