Inovação no mercado brasileiro para o controle da epilepsia idiopática canina.

PURINA® PRO PLAN® Veterinary Diets NC – Neurologic Care, da NESTLÉ®, auxilia no controle da epilepsia idiopática e nos sinais neurológicos relacionados ao envelhecimento.

A NESTLE® PURINA®, em 2016, lançou um alimento pioneiro no mercado para cães com epilepsia idiopática ou intratável: o PRO PLAN® Veterinary Diets NC – Neurologic Care.

O produto inovador é fruto dos resultados de longos anos de estudos, mais de 14 anos, os quais revelaram que dietas enriquecidas com ácidos graxos ou triglicerídeos de cadeia media (AGCM) fornecem uma fonte de energia alternativa para as células cerebrais. Os estudos demonstraram que os animais com epilepsia idiopática que foram alimentados com essa dieta enriquecida com AGCM tiveram uma redução na frequência, na duração e na intensidade das crises convulsivas, reforçando a ação de medicamentos antiepiléticos.

Segundo o Médico Veterinário e pesquisador sênior da Nestlé® Purina® responsável pela pesquisa Yuanlong Pan, o trabalho iniciou através da construção de uma plataforma de envelhecimento saudável que visava estudar as melhores soluções nutricionais para reduzir a velocidade do processo de envelhecimento nos pets. Foram analisadas as principais causas do declínio cognitivo dos animais, as mudanças nas habilidades cerebrais, o papel da glicose como uma fonte importante de energia para o cérebro, entre outros processos. No meio do estudo o grupo de estudos notou que, durante o envelhecimento dos cães o metabolismo da glicose começa a sofrer alterações que afetam a memória, aprendizagem, consciência e a tomada de decisão.

“Nossa pesquisa apontou a possibilidade de promovermos mudanças visíveis na saúde cognitiva de cães através dos ácidos graxos de cadeia média (AGCM) nos alimentos. Tivemos muito trabalho em equipe para chegar ao produto final. Cerca de 100 pessoas estiveram envolvidas em todo o processo, incluindo equipes de segurança alimentar, regulatório, especialistas em ingredientes, técnicos, nutricionistas, médicos veterinários, cientistas e engenheiros. Nós fizemos muitas pesquisas e isso toma muito tempo. Demoramos um ano e meio para ajustar o melhor protocolo para o estudo de epilepsia por exemplo, e foi muito difícil encontrar um fornecedor de AGCMs que entregasse constantemente a melhor qualidade. Nós somos apaixonados por animais e a nossa aspiração é desenvolver soluções nutricionais inovadoras para promover o bem-estar dos pets – por isso, nós continuamos pesquisando e trabalhando nisso! ” – Pan.

A epilepsia idiopática, ou primaria, como também é chamada, não possui origem identificável, mas tem uma possível predisposição genética em várias raças, como, Beagle, Dachshund, Pastor Alemão, Labrador Retriever, Golden Retriever, Pastor de Shetland, Bernese, entre outros. A indicação de uso do novo alimento é para cães que tem epilepsia idiopática e cães com idade avançada, que sofrem mudanças no metabolismo da glicose e podem apresentar alterações comportamentais e sinais neurológicos relacionados ao envelhecimento, tais como, perda de memória, dificuldade para reconhecer membros da família e executar tarefas simples, mudanças no ciclo do sono e vocalização fora do padrão usual, episódios de fobia, ausência de interação social, sinais de ansiedade de separação, agressão ou problemas compulsivos.

“A epilepsia é um transtorno neurológico que afeta não apenas as vidas dos pets, mas as de seus tutores. Ela pode ser causa de morte, além de acarretar mudanças comportamentais como agressividade ou medo. Além disso, nem todos os animais respondem bem aos medicamentos para tratar a enfermidade e por esse motivo nós desenvolvemos um suporte nutricional que dá aos médicos veterinários e aos donos mais uma alternativa para cuidar de cães epiléticos. ”  – Yuanlong Pan

Um dos estudos realizados em um período de três meses em 21 cães com epilepsia idiopática, que foram alimentados com a dieta teste contendo 5,5% AGCM em comparação a dieta controle, demonstrou uma frequência significativamente mais baixa de crises convulsivas. Sendo que, 3 cães chegaram a ficar livres de convulsões, 7 apresentaram uma redução de 50% ou mais nas crises e 5 tiveram uma redução de menos de 50%.

A frequência de convulsões diárias também foi significativamente reduzida em dezessete cães. Todos os animais receberam o tratamento farmacológico e tomaram medicamentos para epilepsia durante os três meses de teste.

As dietas cetogênicas tradicionais, isto é, dietas ricas em gorduras e pobres em proteínas e carboidratos (em uma proporção de 4 gorduras:1 proteínas e carboidratos), foram introduzidas pela primeira vez nos anos 1920 para o tratamento de crianças com epilepsia idiopática. Desde então outras dietas cetogênicas, como as enriquecidas com TCM, tem sido propostas para auxilio antiepilético para humanos. Para cães os estudos conduzidos pela NESTLÉ PURINA demonstraram a eficácia da dieta no controle da epilepsia idiopática e na melhora da função cerebral dos cães com sinais neurológicos relacionados ao envelhecimento, já que fornece uma fonte alternativa de energia cerebral. Resultados, como aumento do nível de alerta e destreza mental dos cães de idade avançada, são observados a partir de 30 dias de uso de PRO PLAN Neurologic Care. Já a redução das crises acontece em 90 dias de utilização.