Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloprostenol Sódico

Classificaçāo

Hormônio

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL contém:

Cloprostenol (sódico) 250 mg

Veículo q.s.p 100 mL

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Mulheres grávidas e asmáticas não devem manusear o produto.

Recomenda-se uso de luvas de borracha para o manuseio e aplicação do produto.

Evitar contato direto com a pele e, em casos acidentais, lavar a área afetada com água;

Não reutilizar as embalagens vazias.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Indicado como sincronizador de cio, indutor de parto, para eliminação de gestação indesejável e para tratamento de distúrbios reprodutivos, como estro não detectável (cio silencioso), infecções uterinas (endometrite e metrite crônica ou piometra), fetos mumificados, cistos luteinizados e diestro prolongado.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Suspender a medicação quando for detectado reação de sensibilidade.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

SINCROSIN não deve ser administrado em animais prenhes, no qual o objetivo não seja provocar aborto.

SUPERDOSAGEM

Interrupção imediata de esquema de administração prolongada da prostaglandina em questão e o pronto atendimento sintomático.

Deve-se tratar a agitação e as convulsões com benzodiazepínicos, em especial com Diazepam.

Atropina e outros anticolinérgicos podem ser úteis na diminuição dos espasmos e de cólicas abdominais.

Se necessário, empregar bronco dilatadores, devendo a escolha recair sobre os agonistas de receptores beta adrenérgico como o salbutamol ou clembuterol.

Nestas condições, o uso de antiinflamatórios esteroidais ou não esteriodais não tem validade, pois não se trata de inibir a síntese das prostaglandinas, mas sim de antagonizar fisiologicamente as manifestações de doses excessivas de agonistas de seus receptores.

Administração e doses

Via(s)

IM

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Dose única.

Para uso terapêutico em bovinos a dose poderá ser repetida 10 a 14 dias após a primeira aplicação, conforme a necessidade do caso clínico.

Doses

Recomendado

Bovinos

2 mL / animal

Equinos

1 mL / animal

OBSERVAÇÕES

Bovinos:

Tratamento de distúrbios reprodutivos:

a) Estro não detectável (Cio silencioso)

Esta condição pode ocorrer em vacas na época do pico de lactação e, apesar da atividade ovariana normal estar presente, há uma manifestação pobre de cio. As fêmeas que se encontram nestas condições devem ser examinadas por palpação retal para confirmar a presença de corpo lúteo. Em caso positivo, devem ser tratadas com 2 mL de SINCROSIN e observadas para a identificação de cio, antes de se proceder a inseminação.

Aquelas fêmeas que não apresentarem cio deverão ser novamente tratadas 11 dias depois da primeira injeção e inseminadas 72 a 96 horas após a aplicação.

b) Endometrite e metrite crônica ou piometra

Estes distúrbios podem ser tratados com sucesso, usando uma dose simples de SINCROSIN. Em casos de longa duração, recomenda-se repetir o tratamento 10 a 14 dias após, garantindo melhor resposta à inseminação ou monta natural. A cura completa pode ser acelerada com o uso de produtos específicos para infusão uterina e/ou antibioticoterapia por via parenteral, à critério do médico veterinário.

c) Fetos mumificados

A indução da luteólise resulta na expulsão de fetos mumificados para a vagina, que

podem ser retidos manualmente, se necessário. Não há contra indicação para inseminação artificial ou monta após o primeiro cio observado, no entanto, melhores resultados serão obtidos com a indução de um segundo estro 8 a 11 dias após.

d) Cistos luteinizados

Quando os cisto ovarianos estão associados com tecido persistente e ausência de cio é diagnosticada, SINCROSIN demonstrou ser efetivo na correção desta condição, trazendo de volta a ciclicidade.


Sincronização do cio em rebanhos:

A atividade luteolítica do SINCROSIN proporciona a sincronização de cio dos rebanhos. Existe uma grande variedade de protocolos de sincronização de cio.. Antes de adotar qualquer um deles, o veterinário deve avaliar o estado geral dos animais e situação da propriedade.

Obs: SINCROSIN somente será eficaz em fêmeas ciclando, e em presença de corpo lúteo funcional. Não deve portanto, ser aplicado antes do quinto dia pós-estro e nem após o 16º dia.

Exemplos de protocolos utilizados:

A) Após a detecção de corpo lúteo, realizar um tratamento com SINCROSIN, seguido de inseminação ou cobertura no próximo cio.

B) Após a “observação de cio” por seis dias, as fêmeas em cio devem ser separadas e inseminadas. As demais receberão um tratamento com SINCROSIN no sexto dia, seguido de inseminação artificial ou cobertura no próximo cio;

C) Aplica-se uma injeção de SINCROSIN em todas as fêmeas e observa-se o cio durante onze dias. Após esse período, as fêmeas que não manifestarem o cio devem receber o segundo tratamento, dando continuidade à observação de cio..

Obs: As fêmeas manifestam cio normalmente até seis dias após o tratamento com uma única dose de SINCROSIN. Essa resposta pode ser mais rápida adotando-se o protocolo de duas doses.

Em casos de programas de inseminação artificial com “tempo fixo”, recomenda-se a aplicação de duas doses de SINCROSIN. Nesse protocolo pode-se utilizar inseminação única 72 a 84 horas após a última aplicação do SINCROSIN ou duas inseminações, sendo a primeira 72 horas após e a segunda 24 horas depois. Este último procedimento dá resultados superiores, principalmente em casos de super ovulação.


Eliminação de gestação indesejável:

O SINCROSIN pode ser utilizado para induzir o rápido aborto em fêmeas até o 100º dia de gestação, com grande eficácia. Entre o 100º e o 150º dia essa prática não apresenta bons resultados, uma vez que, nesse período, é a placenta que passa a ser o principal mantenedor da gestação.


Indução do parto:

SINCROSIN induz o parto na fase final de gestação. A indução deverá ter lugar tão próximo quanto possível da data prevista para a parição e não mais do que 10 dias antes. À semelhança de outros métodos de encurtamento do período de gestação, uma incidência maior do que a normal de retenção de placenta deve ser esperada.


Equinos:

a) Indução da luteólise após a morte prematura e absorção fetal:

Cerca de 8 a 10% das éguas perdem o feto durante os primeiros 100 dias de gestação, passsando a manifestar o quadro de corpo lúteo persistente, o que é revertido pela aplicação de SINCROSIN

b) Eliminação de diestro persistente ou de anestro da lactação:

O uso de SINCROSIN em éguas que apresentam períodos prolongados de diestro ou anestro de lactação interrompe tais fases, promovendo o retorno à ciclicidade

c) Eliminação de pseudogestação:

Algumas éguas cobertas durante o cio normal e que apresentam sinais de gestação embora estando vazias, têm normalmente corpo lúteo, o qual é facilmente eliminado através do uso de SINCROSIN

d) Estabelecimento do ciclo estral em éguas inférteis e/ou virgens

Algumas éguas inférteis ou virgens podem estar sob influência de funções lúteas anormais ou não manifestarem cio enquanto a ciclicidade ovariana continua. O uso de SINCROSIN estabelece a ciclicidade normal.

e) Melhoramento de manejo:

Com o uso de SINCROSIN pode-se estabelecer um programa planejado de indução de cio para facilitar e tornar mais eficiente o manejo dos garanhões.

Interações medicamentosas

Observações da interação

Não informado

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

SINCROSIN não deve ser administrado em animais prenhes, no qual o objetivo não seja provocar aborto.

SUPERDOSAGEM

Interrupção imediata de esquema de administração prolongada da prostaglandina em questão e o pronto atendimento sintomático.

Deve-se tratar a agitação e as convulsões com benzodiazepínicos, em especial com Diazepam.

Atropina e outros anticolinérgicos podem ser úteis na diminuição dos espasmos e de cólicas abdominais.

Se necessário, empregar bronco dilatadores, devendo a escolha recair sobre os agonistas de receptores beta adrenérgico como o salbutamol ou clembuterol.

Nestas condições, o uso de antiinflamatórios esteroidais ou não esteriodais não tem validade, pois não se trata de inibir a síntese das prostaglandinas, mas sim de antagonizar fisiologicamente as manifestações de doses excessivas de agonistas de seus receptores.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.