Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Ivermectina

Classificaçāo

Antiparasitário

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL contém:

Ivermectina 1,0 g

Veículo q.s.p 100 mL

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Não guardar ou aplicar junto de alimentos, bebidas, produtos de higiene e domésticos. Usar luvas de borracha na aplicação, evitando o contato com a pele; se ocorrer, lavar as mãos após o manuseio do produto.

O manipulador não deve fumar, comer ou beber durante a aplicação do produto.

Recomenda-se o uso de instrumentos estéreis, assim como a limpeza completa do local de injeção.

Os recipientes devem ser incinerados ou enterrados. Não jogá-los em arroios, açudes e rios, já que podem afetar os peixes e organismos aquáticos.

O produto não causa dependência física ou psíquica nas doses indicadas.

ARMAZENAMENTO

Conservar a temperatura ambiente (15°C a 30°C), em local seco e ao abrigo da luz solar direta. Manter fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Registro no mapa

Licenciado no Ministério da Agricultura sob o ng 8.633 em 18/06/2003.

Responsável técnico

Dra. Vera de Fátima Costa Calixto - CRF/SP n° 11.427

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Synmectin (Ivermectina 1%) Injetável, frasco-ampola (1 mL)
  • - Synmectin (Ivermectina 1%) Injetável, frasco-ampola (50 mL)
  • - Synmectin (Ivermectina 1%) Injetável, frasco-ampola (200 mL)
  • - Synmectin (Ivermectina 1%) Injetável, frasco-ampola (500 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O synmectin é indicado para tratamento e/ou controle das principais endo e ectoparasitoses de bovinos, ovinos e suínos, causadas por vermes gastrointestinais (adulto e larvas de 4° estágio): Bunostomun phebotomum, Cooperia oncophora, Cooperia pectinata, Cooperia punctata, Cooperia spp, Haemonchus placei, Nematodirus helvetianos, Nematodirus spathiger, Ostertagia lyrata, Ostertagia ostertagi, Oesophagostomum radiatum, Strongyloides papillosus, Trichostrongylus axei, Trichostrongylus colubriformis, Trichuris discolar. Vermes pulmonares (adulto e larvas de 42 estágio): Dictyocaulus viviparus. Vermes renais: Stephanurus dentatus. Outros vermes redondos: Parafilaria bovicola, Thelazia spp. Bernes: larvas de Dermatobia hominis, Hypoderma lineatum. Piolhos: Linognathus vitulli, Haematopinus eurystemus, Solenopotes capillatus, Damalinia bovis*. Ácaros: Psoroptes bovis, Sarcoptes scabiei var. bovis, Chorioptes bovis*. Carrapatos: Boophilus spp. Ornithodores savgnui. *Ivermectina auxilia o controle destes parasitas quando usado como parte de um programa contínuo. Ovinos: Vermes redondos gastrointestinais (adultos e larvas de 32 e 42 estágio): Chabertia ovina, Gaigeria pachyscelis, Oesophagostomum columbianum, Oesophagostomum venulosun, Strongyloides papillosus, Trichuris ovis, Haemonchus contortus, Ostertagia circuncinata, Ostertagia trifurcata, Trichostrongylus axei, Trichostrongylus colubriformis, Trichostrongylus vitrinus, Nematodirus filicillis, Nematodirus spathiger, Cooperia curticei e Protostrongylus rufences. Vermes pulmonares: Dictyocaulus filaria. Bicho de cabeça: Oestrus ovis.Ácaros de sarna: Sarcoptes scabiei var. ovis, Psoroptes ovis. Suínos: Vermes redondos gastrointestinais (adulto e larvas de 4g estágio): Ascaris suun, Hystrongylus rubidus, Oesophagostomum dentatum, Strongyloides ransoni, Ascaroptes strongylinia. Vermes pulmonares: Metastrongylus spp. Verme renal: Stephanurus dentatus. Piolho: Haematopinus suis. Ácaros de sarna: Sarcoptes scabiei var. suis.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser usado em fêmeas leiteiras em período de reprodução. Não há contraindicações de importância clínica. Deve ser administrado somente pela via subcutânea, não administrar pelas vias intramuscular ou intravenosa.

EFEITOS ADVERSOS

Quando usado para tratar larva de Hypoderma bovis, a Ivermectina por induzir sérios efeitos adversos, matando a larva quando ela está em áreas vitais.

Larva morta no canal vertebral pode causar paralisia e vertigem. Larva morta perto da garganta pode induzir salivação e inchaço. Esses efeitos podem ser evitados, tratando o verme imediatamente após deus estágios de desenvolvimento, onde essas áreas serão afetadas.

Bovinos podem também experimentar desconforto ou aumento de volume transitório no local de injeção. Usando um máximo de 10 mL em qualquer local da injeção, pode ajudar a reduzir esses efeitos.

Outros efeitos adversos relatados para a Ivermectina são geralmente considerantes como uma leve Reação de Mazotti, surgindo de seus efeitos na microfilariose.

Eles incluem febre, prurido, artralgia, mialgia, hipotensão postural, edema, linfoadenopatia, sintomas gastrointestinais, tosse e cefaleia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em geral, o aumento duplo nas dosagens e as administrações múltiplas não afetam adversamente a espermatogênese, a concepção, a longevidade da gestação ou o desenvolvimento fetal. A droga é segura para uso e animais reprodutores e gestantes. Não deve ser usado em fêmeas leiteiras em período de reprodução.

Não há contraindicações de importância clínica.

SUPERDOSAGEM

No caso de intoxicação por superdosagem poderá ocorrer incoordenação, paralisia, coma e morte do animal.

Não há antídoto conhecido e considerado completamente eficaz. Entretanto algum estudo tem demonstrado que a Picrotoxina, um antagonista GABA, reverte o bloqueio do estímulo nervoso induzido pela Ivermectina.

Em casos menos agudo o tratamento de apoio dá lugar a uma recuperação completa.

Administração e doses

Via(s)

SC

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Doses únicas

Doses

Recomendado

Bovinos

0,02 mL / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Synmectin é o antiparasitário injetável à base de Ivermectina a 1% é utilizado para o tratamento e/ou controle de parasitas internos e externos em bovinos, ovinos e suínos.

Modo de usar

Administrar exclusivamente por via subcutânea, em dose única, sob a pele solta, na dose correta. Usar equipamentos estéreis, obedecendo às normas de assepsia. Para doses maiores do que 10 mL recomendam-se dividir as aplicações em dois ou mais locais. Para ácaros são necessárias duas injeções com intervalos de 7 dias para a eliminação total dos mesmos.

Peso - Doses para Bovinos:

Até 50 kg - 1 mL

51 a 100 kg - 2 mL

101 a 150 kg - 3 mL

151 a 200 kg - 4 mL

201 a 250 kg - 5 mL

251 a 300 kg - 6 mL

Interações medicamentosas

Cloridrato de Levamisol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento significativamente da área sob a curva da Ivermectina

Conduta

Ajustar dose

Spinosad

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade da Ivermectina

Conduta

Incompatível

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Synmectin Injetável é um potente parasiticida de amplo espectro, cujo princípio ativo é a Ivermectina, que é derivada das Avermectinas. A ação da Ivermectina contra os parasitas se relaciona à inibição da motilidade. O componente Bla da Ivermectina aparentemente aumenta a liberação de ácidos Y-aminobutíricos (GABA) das sinapses do sistema nervoso. A função normal do GABA nos mamíferos e invertebrados (lagostim, lagosta, Ascaris suum e provavelmente outros helmintos) é a inibição da transmissão nervosa. A maior liberação de GABA aumenta (hiperpolariza) o potencial de repouso normal das células pós-sinápticas, tornando mais difícil a neurotransmissão dos estímulos para os músculos; assim, as células musculares não se contraem. Sob influência da Ivermectina, os vermes ficam paralisados e conseqüentemente são expelidos de maneira semelhante àquela pela qual os ascarídeos são expelidos após a terapia com piperazina.

FARMACOCINÉTICA

A injeção da formulação via subcutânea da Ivermectina prolonga o tempo de resistência no plasma e resíduos persistentes da droga particularmente no fígado e tecidos adiposos, aumentando o conteúdo de solvente orgânico da formulação subcutânea diminui a liberação da droga no local de injeção e dessa forma, prolonga sua presença na corrente sanguínea. Devido ao fato da Ivermectina e os seus metabólitos serem principalmente excretados na bile, os resíduos continuam a aparecer nas fezes por um tempo substancialmente maior após a injeção subcutânea. Em animais de estômago simples, mais de 95% da Ivermectina é absorvida após administração oral. Ruminantes absorvem somente 1/4 - 1/3 da dose para inativação da droga no rúmem. Embora haja extensa biodisponibilidade após a administração subcutânea, a absorção após dosagem oral é mais rápida do que a subcutânea. A Ivermectina é bem distribuída para a maior parte dos tecidos, mas não penetra facilmente no fluido cérebro espinhal, reduzindo desse modo a sua toxicidade. A meia vida final é de 2 a 3 dias em bovinos. O volume de distribuição é de 0,45 a 2,4 L/Kg em bovinos. A Ivermectina é metabolizada pelas vias oxidativas do fígado e é excretada principalmente nas fezes. Menos de 5% da droga é excretada na urina. O clearance corporal total em bovinos é de 0,79 L/Kg/dia.

EFEITOS ADVERSOS

Quando usado para tratar larva de Hypoderma bovis, a Ivermectina por induzir sérios efeitos adversos, matando a larva quando ela está em áreas vitais.

Larva morta no canal vertebral pode causar paralisia e vertigem. Larva morta perto da garganta pode induzir salivação e inchaço. Esses efeitos podem ser evitados, tratando o verme imediatamente após deus estágios de desenvolvimento, onde essas áreas serão afetadas.

Bovinos podem também experimentar desconforto ou aumento de volume transitório no local de injeção. Usando um máximo de 10 mL em qualquer local da injeção, pode ajudar a reduzir esses efeitos.

Outros efeitos adversos relatados para a Ivermectina são geralmente considerantes como uma leve Reação de Mazotti, surgindo de seus efeitos na microfilariose.

Eles incluem febre, prurido, artralgia, mialgia, hipotensão postural, edema, linfoadenopatia, sintomas gastrointestinais, tosse e cefaleia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em geral, o aumento duplo nas dosagens e as administrações múltiplas não afetam adversamente a espermatogênese, a concepção, a longevidade da gestação ou o desenvolvimento fetal. A droga é segura para uso e animais reprodutores e gestantes. Não deve ser usado em fêmeas leiteiras em período de reprodução.

Não há contraindicações de importância clínica.

SUPERDOSAGEM

No caso de intoxicação por superdosagem poderá ocorrer incoordenação, paralisia, coma e morte do animal.

Não há antídoto conhecido e considerado completamente eficaz. Entretanto algum estudo tem demonstrado que a Picrotoxina, um antagonista GABA, reverte o bloqueio do estímulo nervoso induzido pela Ivermectina.

Em casos menos agudo o tratamento de apoio dá lugar a uma recuperação completa.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Distribuidores Syntec

Syntec

E-MAIL

sac@syntec.com.br

CONTATO(S)

Mila

REGIÕES ATENDIDAS

Todo o Brasil

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.