Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Azitromicina

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Macrolídeos)

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido de Zitromax® contém:

azitromicina di-hidratada equivalente 500 mg de azitromicina base.


Excipientes: amido pré-gelatinizado, fosfato de cálcio dibásico anidro, croscarmelose sódica, estearato de magnésio, laurilsulfato de sódio e Opadry® branco (lactose, hipromelose, dióxido de titânio e triacetina).

ARMAZENAMENTO

Deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade. Mantenha o frasco-ampola na embalagem original até o uso.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antibiótico bacteriostático (macrolídeo) de amplo espectro. Possui atividade contra bactérias aeróbicas Gram-positivas e anaeróbicas. Possui também boa atividade contra microrganismos intracelulares por exemplo: Chlamydia e Toxoplasma, e ação moderada contra bactérias Gram-negativas. (KHAN, 2013; PAPICH, 2013; PRESCOTT, 2016).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O uso em equinos adultos é controverso, assim como em pacientes com alterações hepáticas prévias ao tratamento.

EFEITOS ADVERSOS

Pode causar distúrbios do sistema gastrointestinal em equinos (LECLERE, 2012).

Administração e doses

Via(s)

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 / 24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

5 dias

Potro

Recomendado

Equinos

10 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Antiácido contendo Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Azitromicina

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção da Azitromicina

Conduta

Ajustar dose

Antiácido contendo Magnésio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Azitromicina

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção da Azitromicina

Conduta

Ajustar dose

Ciclosporina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da nefrotoxicidade e neurotoxicidade

Mecanismo de Ação

Aumento da velocidade e extensão da absorção da Ciclosporina ou reduzir o seu volume de distribuição

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da digoxina

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo da digoxina

Conduta

Ajustar dose

Teofilina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da teofilina

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da teofilina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os macrolídios são agentes bacteriostáticos que atuam na inibição da síntese proteica de microrganismos procariotas atuando na translocação do ARNt do sítio aceptor de aminoácido. Os macrolídios se ligam à subunidade 50S ribossômica, o que impede o crescimento da cadeia peptídica no microrganismo. Seu local de ligação é muito próximo ao do clorafenicol, o que possibilita antagonismo quando administrados em conjunto, porém ao contrário deste, não atravessa a membrana da mitocôndria, portanto não causa supressão da medula óssea. (CARVALHO e CARVALHO, 2010; MACDOUGALL e CHAMBERS, 2012; PAPICH e RIVIERE, 2013)

FARMACOCINÉTICA

A azitromicina possui uma estabilidade maior do que a eritromicina no sistema gastrointestinal, tolerando com maior facilidade o ph ácido do estômago. Em humanos cerca de 37% da dose é absorvida de maneira rápida quando administrada por via oral (CARVALHO e CARVALHO, 2010). A concentração tecidual da azitromicina pode ser até 100 vezes maior do que a concentração sérica, principalmente encontrada nos leucócitos, macrófagos e fibroblastos (PAPICH e RIVIERE, 2013).

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Os macrolideos podem causar alterações nos exames de: Fosfatase alcalina, bilirrubina, sulfobromoftaleína, contagem de leucócitos total, contagem de eosinófilos, teor de colesterol, AST e ALT (KAHN, 2013)

EFEITOS ADVERSOS

Pode causar distúrbios do sistema gastrointestinal em equinos (LECLERE, 2012).

MONITORAMENTO

A hidratação do paciente deve ser monitorada, assim como demais efeitos adversos que podem ser causados pela droga.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

CARVALHO, R. D. S. e CARVALHO, W. A. Eritromicina, Azitromicina e Claritromicina. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

LECLERE, M. et al. Pharmacokinetics and preliminary safety evaluation of azithromycin in adult horses. Journal of veterinary pharmacology and therapeutics, v. 35, n. 6, p. 541-549, 2012.

MACDOUGALL C. e CHAMBERS H. F. Inibidores da síntese de proteínas e agentes antibacterianos diversos. In: BRUNTON, L. L. et al. As Bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman & Gilman [tradução: Augusto Langeloh et al. ; revisão técnica: Almir Lourenço da Fonseca] 12. ed. Porto Alegre: AMGH, 2012.

PAPICH M. G. e RIVIERE J. Cloranfenicol e derivados, macrolídeos, lincosamidas e antimicrobianos diversos. In: ADAMS, H. Richard. Farmacologia e terapêutica em veterinária / editoria de H. Richard Adams; [tradução Cid Figueiredo]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

PRESCOTT, J. F. Quimioterapia antimicrobiana. In: MCVEY, D. S. et al. Microbiologia veterinária. - 3. ed. [tradução José Jurandir Fagliari.] - Rio de Janeiro : Guanabara Koogan, 2016.