Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Fenitoína Sódica

Classificaçāo

Anticonvulsivante

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Bovinos e Equinos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Informe ao médico veterinário sobre alterações comportamentais observadas.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Inibidor da irradiação de descargas anômalas anticonvulsionante e antiarrítmico.

EFEITOS ADVERSOS

Sinais gastrintestinais, sedação, ataxia, hepatotoxicidade e hiperplasia gengivas.

Doses elevadas provocaram excitação e decúbito em equinos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em gestantes ou lactantes.

SUPERDOSAGEM

Sinais de sedação em equinos indicam concentrações plasmáticas elevadas.

A superdose pode causar hipotensão, depressão respiratória e coma.

Administração e doses

Via(s)

EV

Oral

IM

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Para tratamento de Epilepsia: 8 / 8 horas - VO

Para tratamento de Arritmias: Dose de ataque + 12 / 12 horas

Epilepsia VO

Recomendado

Equinos

5 - 15 mg / kg

calcular

Arritimia VO (WIJNBERG et al, 2000; 2004)

Recomendado

Equinos

10 - 20 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

A administração concomitante com Ácido valpróico, alimentos, alopurinol, antiácidos, antineoplásicos, barbitúricos, cloranfenicol, clorfeniramina, cimetidina, corticosteróides, diazepam, diazóxido, disopiramida, dopamina, doxiciclina, estrógenos, fenilbutazona, fenobarbital, furosemida, isoniazida, lítio, meperidina, nitrofurantoína, piridoxina, primidona, quinidina, sais de cálcio, salicilatos, sulfonamidas e teofilina podem modificar a absorção dessas substâncias e causar efeitos adversos.

Interações medicamentosas

Acetato de Metilprednisolona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico do acetato de metilprednisolona diminuido

Mecanismo de Ação

Aumento do clearance hepático

Conduta

Ajustar dose

Acetazolamida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Risco de osteomalácia

Mecanismo de Ação

Acetazolamida altera o metabolismo da fenitoína, resultando em aumento dos níveis séricos de fenitoína

Conduta

Incompatível

Aciclovir

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de convulsões

Mecanismo de Ação

Aumento do trânsito gastrointestinal diminuindo a absorção da fenitoína

Conduta

Considerar outra terapia antiviral

Amiodarona

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da fenitoína e diminuido da amiodarona

Mecanismo de Ação

Provavelmente a diminuição do metabolismo de fenitoína e aumento do metabolismo da amiodarona

Conduta

Ajustar dose

Benzoilmetronidazol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Benzoilmetronidazol

Conduta

Ajustar dose

Besilato de Atracúrio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico do besilato de atracúrio diminuido ou com duração mais curta

Mecanismo de Ação

Fenitoína aumenta o metabolismo do besilato de atracúrio

Conduta

Ajustar dose

Betametasona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas substâncias

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo do corticóide, devido a indução enzimática pela fenitoína. A betametasona aumenta a eliminação hepática da fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Brometo de Rocurônio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo do Rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína pela Cimetidina

Conduta

Ajustar dose

Ciprofloxacino

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado ou diminuido da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Claritromicina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Cloranfenicol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Cloranfenicol diminui o metabolismo da Fenitoína

Conduta

Evitar o uso

Cloridrato de Dopamina

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipotensão profunda e possível parada cardíaca

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Incompatível, quando a Dopamina está sendo feita por infusão contínua

Corticosteróides

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Resposta inadequada ao corticosteróides

Conduta

Ajustar dose

Dexametasona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Dexametasona

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo da Dexametasona, aumentando sua eliminação hepática

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Dissulfiram

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis sanguíneos da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína pela Cimetidina

Conduta

Ajustar dose

Fenilbutazona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína

Conduta

Evitar o uso

Fenobarbital

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Fluconazol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Furosemida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Redução da absorção oral de furosemida

Conduta

Ajustar dose

Halotano

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do risco de hepatotoxicidade do Halotano

Conduta

Evitar o uso

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Fenitoína, levando a crises convulsivas

Mecanismo de Ação

Diminuição da taxa e extensão da absorção da fenitoína

Conduta

Separar a dose de fenitoína e antiácido por várias horas

Leucovorina Cálcica

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Meperidina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Meperidina

Mecanismo de Ação

Fenitoína parece aumentar o metabolismo de meperidina

Conduta

Ajustar dose

Metronidazol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Omeprazol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo oxidativo hepático da Fenitoína

Conduta

Evitar o uso

Pirimetamina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Pirimetamina

Conduta

Ajustar dose

Prednisona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo do corticóide, devido a indução enzimática pela Fenitoína. A Dexametasona pode aumentar a eliminação hepática da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Progesterona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Progesterona

Conduta

Ajustar dose

Propanolol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Salicilatos

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da concentração da Fenitoína

Conduta

Evitar o uso

Sulfonamidas

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis sanguíneos da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína pela Cimetidina

Conduta

Evitar o uso

Teofilinas

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Metabolismo aumentado de ambas as subst.

Conduta

Ajustar dose

Varfarina

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado ou diminuido da Varfarina

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Não misturar com qualquer outro fármaco ou solução.

FARMACODINÂMICA

Atua de modo similar ao da lidocaína, sendo utilizada principalmente para o tratamento de arritmias ventriculares induzidas por digitálicos.

Aumenta o limiar de disparo das arritmias ventriculares e reduz a velocidade de condução mas diminui apenas discretamente o período refratário.

FARMACOCINÉTICA

Após sua absorção, é amplamente distribuída através fluidos corporais. Se liga fortemente às proteínas (cerca de 90% em humanos), sendo a albumina, a proteína de maior ligação no plasma.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Em humanos a fenitoína pode causar diminuição dos níveis séricos de T4.

Também pode produzir valores menores que os normais para teste de metirapona ou dexametasona.

A fenitoína pode causar níveis séricos aumentados de glicose, fosfatase alcalina e gama glutamil transpeptidase.

EFEITOS ADVERSOS

Sinais gastrintestinais, sedação, ataxia, hepatotoxicidade e hiperplasia gengivas.

Doses elevadas provocaram excitação e decúbito em equinos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em gestantes ou lactantes.

SUPERDOSAGEM

Sinais de sedação em equinos indicam concentrações plasmáticas elevadas.

A superdose pode causar hipotensão, depressão respiratória e coma.

MONITORAMENTO

As concentrações de fenitoína plasmática devem ser monitoradas durante o tratamento.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

WIJNBERG, Inge D.; VERVERS, F. F. T. Phenytoin sodium as a treatment for ventricular dysrhythmia in horses. Journal of veterinary internal medicine, v. 18, n. 3, p. 350-353, 2004.

WIJNBERG, I. D.; BACK, W.; VAN DER KOLK, J. H. The use of electromyographic examination as a diagnostic tool and phenytoin sodium as treatment in a case of classic springhalt in a Dutch warmblood horse. Tijdschrift voor diergeneeskunde, v. 125, n. 24, p. 743-747, 2000.