Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Glicerilguaiacolato

Classificaçāo

Relaxante Muscular, Anticonvulsivante, Respiratório

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Animais anestesiados devem ser monitorados por um profissional qualificado.

ARMAZENAMENTO

Observe o aspecto do medicamento antes de utilizar pela via intravenosa.

Qualquer alteração deve ser considerada deterioração do produto.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Bloqueador central da transmissão do impulso nervoso, empregado como relaxante muscular, anticonvulcionante, agente de contenção e expectorante.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Evitar a administração de soluções com concentração maior que 5% em ruminantes.

EFEITOS ADVERSOS

Hipotensão, taquicardia, trombofiebite e hemólise.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em gestantes.

Administração e doses

Via(s)

EV

Oral

Equinos - Equinos

Expectorante

3 mg / kg

calcular

Anestésico, associado a barbitúricos

55 - 110 mg / kg

calcular

Bovinos

Anestésico

Bovinos

55 - 110 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Modo de usar:

Em equinos: Via VO (expectorante) ou EV (anestésico, associado a barbitúricos);

Em bovinos: EV (anestésico) - (sol. 5%)

Interações medicamentosas

Observações da interação

A administração concomitante com fisostigmina pode modificar a absorção dessa substância e causar efeitos adversos.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

As formulações para humanos podem conter outros princípios não estudados em animais e causar efeitos negativos.

Utilize as formulações apropriadas para a finalidade requerida.

É solúvel em água morna e pode ser misturada á quetamina e xilazina.

FARMACODINÂMICA

Atua no bloqueio da transmissão nervosa, sendo utilizado como relaxante muscular esquelético de ação central, ocasionando sedação e relaxamento muscular na medicação pré-anestésica.

Em humanos a guaifenesina é utilizada como expectorante, aumentando a eliminação da secreção brônquica pela redução da adesividade e tensão superficial.

As secreções com menor viscosidade facilitam a ação ciliar da mucosa do trato respiratório, transformando a tosse seca e improdutiva em uma tosse mais produtiva e com menor frequência.

FARMACOCINÉTICA

Apresenta meia-vida de 60 a 84 minutos em potros e uma duração da ação na espécie de aproximadamente 30 minutos (PAPICH, 2012).

A excreção da guaifenesina é renal e em humanos é completamente metabolizada antes da excreção.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Em anestesia em conjunto com xilazina e quetamina foram observadas alterações hematológicas que retonam ao normal após 24 horas (YOUNG et al, 1993).

EFEITOS ADVERSOS

Hipotensão, taquicardia, trombofiebite e hemólise.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em gestantes.

MONITORAMENTO

Durante a sedação deve ser monitorada frequência cardíaca e respiratória e pressão sanguínea (risco de hipotensão).

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

BROCK, N.; HILDEBRAND, S. V. A comparison of xylazine–diazepam–ketamine and xylazine–guaifenesin–ketamine in equine anesthesia. Veterinary Surgery, v. 19, n. 6, p. 468-474, 1990.

HERSCHL, M.; TRIM, CYNTHIA M.; MAHAFFEY, EDWARD A. Effects of 5% and 10% guaifenesin infusion on equine vascular endothelium. Veterinary Surgery, v. 21, n. 6, p. 494-497, 1992.

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012.

YOUNG, LESLEY E. et al. Clinical evaluation of an infusion of xylazine, guaifenesin and ketamine for maintenance of anaesthesia in horses. Equine veterinary journal, v. 25, n. 2, p. 115-119, 1993.