Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Acetazolamida

Classificaçāo

Diurético Inibidor da Anidrase Carbônica

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

COMPOSIÇÃO

Acetazolamida 250 mg

Excipientes: amidoglicolato de sódio, povidona, fosfato de cálcio dibásico, amido, estearato de magnésio

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Caso ocorram reações de hipersensibilidade ou reações graves o uso da acetazolamida deve ser descontinuado e o médico veterinário consultado.

ARMAZENAMENTO

A acetazolamida em forma de solução, que tem pH de 9,2, deve ser acondicionada em geladeira e utilizada em 24 horas por não apresentar aditivos conservadores (CARVALHO, 2012).

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Inibidor da anidrase carbônica antIglaucomatoso e para tratamento da alcalose metabólica.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em gestantes, lactantes ou portadores de insuficiência hepática, renal ou adrenocortical, desequilíbrios hidroeletrolíticos, hipoventitação pulmonar e alterações hematológicas.

EFEITOS ADVERSOS

Pode provocar acidose metabólica, hipocalemia, hiponatremia e hiperuricemia, efeitos no SNC como parestesia, sonolência ou excitação e ainda causar distúrbios gastrointestinais, efeitos hematológicos (depressão de medula óssea), insuficiência hepática e efeitos renais diversos (CARVALHO, 2012).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A acetazolamida é excretada no leite materno e há potencial de reações adversas no lactente. Seu uso durante prenhez deve ser evitado por falta de estudos que comprovem sua segurança.

SUPERDOSAGEM

Pode ocorrer desesquilíbrio eletrolítico importante além de alterações de pH.

Administração e doses

Via(s)

SC

EV

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 / 12 horas

24 / 24 horas

Doses

Recomendado

Bovinos

6 - 8 mg / kg

calcular

Equinos

2 - 4 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Equinos administrar via oral a cada 12 h. Em bovinos pode ser administrada via EV, IM, SC, VO (na água ou alimento) a cada 24 h.

Interações medicamentosas: A administração concomitante com Anfotericina B, antidepressivos tricíclicos, corticosteráides, digoxina, fenobarbital, insulina,metenamína, outros diuréticos, primidona procainamida e salicilatos podem modificar a absorção dessas substâncias.

Interações medicamentosas

Anfetaminas

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do grau e duração dos efeitos da anfetamina

Mecanismo de Ação

Diminuição da excreção renal da anfetamina

Conduta

Ajustar dose

Bicarbonato de sódio

Tipo de Interação

Urolitíase renal

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Urolitíase renal

Conduta

Evitar o uso

Ciclosporina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da ciclosporina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Fenitoína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Risco de osteomalácia

Mecanismo de Ação

Acetazolamida altera o metabolismo da fenitoína, resultando em aumento dos níveis séricos de fenitoína

Conduta

Incompatível

Inibidores da anidrase carbônica

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da anidrase carbônica

Conduta

Incompatível

Primidona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de convulsões

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção intestinal de primidona

Conduta

Ajustar dose

Quinidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do grau e duração dos efeitos da quinidina

Mecanismo de Ação

Diminuição da excreção renal da quinidina

Conduta

Ajustar dose

Subs. Hipoglicemiantes

Tipo de Interação

Antagonismo/Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Diminuição/Aumento da glicemia

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar a dose

Ácido acetilsalicílico

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Risco de acidose metabólica grave

Mecanismo de Ação

Redução da taxa de ligação às proteínas plasmáticas e a depuração renal da acetazolamida

Conduta

Incompatível

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

A acetazolamida sódica liofilizada pode ser diluída em água destilada estéril para injeção. A preparação injetável é compatível com cloridrato de cimetidina e soluções para hidratação intravenosa em geral (CARVALHO, 2012).

FARMACODINÂMICA

A acetazolamida é um diurético inibidor de anidrase carbônica (DIAC), inibidor enzimático que age especificamente sobre a enzima que catalisa a reação reversível envolvendo a hidratação do dióxido de carbono e a desidratação do ácido carbônico. Quando acontece a inibição da anidrase carbônica citoplasmática, como resultado tem-se a diminuição da disponibilidade de próton para troca com Na+. A acetazolamida tem como efeito terapêutico principal a redução da produção de bicarbonato e a formação de humor aquoso, conseguindo a diminuição da pressão intraocular dos pacientes com glaucoma (CARVALHO, 2012).

FARMACOCINÉTICA

Administrada por via oral, a acetazolamida é bem absorvida e amplamente distribuída no organismo, atingindo as concentrações máximas em tecidos que contêm altas concentrações de anidrase carbônica, especialmente eritrócitos e córtex renal e humor aquoso. Em humanos a concentração plasmática máxima é atingida em 2 a 3 horas e a ação dura de 8 a 12 horas (CARVALHO, 2012).

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Durante o uso da acetazolamida pode ocorrer a diminuição da concentração urinária de cloreto e redução da excreção de amônia, além de aumento de volume e alcalinização da urina (CARVALHO, 2012). Pode ainda alterar exames de proteína urinária (FP) e T3/T4.

EFEITOS ADVERSOS

Pode provocar acidose metabólica, hipocalemia, hiponatremia e hiperuricemia, efeitos no SNC como parestesia, sonolência ou excitação e ainda causar distúrbios gastrointestinais, efeitos hematológicos (depressão de medula óssea), insuficiência hepática e efeitos renais diversos (CARVALHO, 2012).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A acetazolamida é excretada no leite materno e há potencial de reações adversas no lactente. Seu uso durante prenhez deve ser evitado por falta de estudos que comprovem sua segurança.

SUPERDOSAGEM

Pode ocorrer desesquilíbrio eletrolítico importante além de alterações de pH.

MONITORAMENTO

Recomenda-se acompanhamento de alterações hematológicas importantes através de hemograma, contagem de plaquetas e eletrólitos séricos.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

CARVALHO, M. B. Diuréticos. In: BARROS, C. M. e DI STASI, L. C. Farmacologia veterinária. Manole. Barueri-SP, 2012.