Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Aciclovir

Classificaçāo

Antiviral

Receita

Receita Simples

Espécies

Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido contém:

aciclovir 200 mg

ARMAZENAMENTO

O aciclovir deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antiviral análogo da purina, para tratamento de infecções por Herpesvirus. Em equinos pode ser usado para o tratamento de encefalites causadas por Herpesvírus (GIUFFRIDA, 2012).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em animais desidratados e portadores de alterações neurológicas ou insuficiência renal; usar com cautela em lactantes.

EFEITOS ADVERSOS

Disfunções renais são os efeitos mais comuns associados ao uso de aciclovir sistêmico (GIUFFRIDA ,2012), pode ainda causar alterações gastrointestinais, nefropatia obstrutiva, irritação no local de aplicação e flebite.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não existem estudos que garantam a segurança de uso durante a gestação, deve ser utilizado com precaução durante lactação.

SUPERDOSAGEM

Doses altas foram associadas a nerose muscular quando administradas por via IM (PAPICH, 2013).

Administração e doses

Via(s)

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8 / 8 horas

Doses

Recomendado

Equinos

20 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

O uso do aciclovir em grandes animais pode apresentar alto custo, a instituição de tratamento com esse medicamento deve ser avaliada juntamente com o proprietário do animal.

Interações medicamentosas: A administração concomitante com Fármacos nefrotóxicos, produtos biológicos, dopamina, dobutamina, meperidina, morfina e zidovudina (depressão do SNC). Podem modificar a absorção dessas substâncias e causar efeitos adversos.

Interações medicamentosas

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de convulsões

Mecanismo de Ação

Aumento do trânsito gastrointestinal diminuindo a absorção da fenitoína

Conduta

Considerar outra terapia antiviral

Meperidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de convulsões

Mecanismo de Ação

Aumento da estimulação do SNC

Conduta

Evitar o uso

Micofenolato

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Aciclovir

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Tenofovir

Tipo de Interação

Diarreia, vômito, neuropatia

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Diarreia, vômito, neuropatia

Conduta

Incompatível

Zidovudina

Tipo de Interação

Letargia e fadiga grave

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Letargia e fadiga grave

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Ácido Valpróico

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de convulsões

Mecanismo de Ação

Aumento do trânsito gastrointestinal diminuindo a absorção do ácido valpróico

Conduta

Considerar outra terapia antiviral

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O aciclovir é monofosforilado pela enzima viral timidina cinase, criando as formas difosfato e trifosfato, que inibem de maneira seletiva a ADN polimerase viral por competição com o trifosfato de desoxiguanosina (PAPICH, 2013). O aciclovir funciona como a cadeia terminal no DNA viral, não permitindo a replicação viral já que impede que o acoplamento dos novos nucleosídeos. Esse efeito não afeta as células dos mamíferos, sendo extremamente seletivo (GIUFFRIDA ,2012).

FARMACOCINÉTICA

A biodisponibilidade do aciclovir oral é de 15 a 30% e sua metabolização é baixa, sendo que mais de 70% é excretado não metabolizado (PAPICH, 2013).

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode causar alterações em hemograma e urinálise.

EFEITOS ADVERSOS

Disfunções renais são os efeitos mais comuns associados ao uso de aciclovir sistêmico (GIUFFRIDA ,2012), pode ainda causar alterações gastrointestinais, nefropatia obstrutiva, irritação no local de aplicação e flebite.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não existem estudos que garantam a segurança de uso durante a gestação, deve ser utilizado com precaução durante lactação.

SUPERDOSAGEM

Doses altas foram associadas a nerose muscular quando administradas por via IM (PAPICH, 2013).

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

GIUFFRIDA R. Antivirais. In: BARROS, C. M. e DI STASI, L. C. Farmacologia veterinária. Manole. Barueri-SP, 2012.

PAPICH, M. G. et al. Fármacos antifúngicos e antivirais. In: ADAMS, H. Richard. Farmacologia e terapêutica em veterinária / editoria de H. Richard Adams; [tradução Cid Figueiredo]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.