Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Amantadina

Classificaçāo

Antiviral

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Equinos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Em caso de ingestão acidental, não provocar vômito. Procure orientação médica.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Estimulante da liberação da dopamina com ação antiviral adjuvante no tratamento da dor crônica. Tem sido usada no tratamento de equinos com infecções respiratórias por influenzavírus (GIUFFRIDA, 2012).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com cautela em portadores de dermatites eczematóides, nsuficiência hepática e/ou renal, insuficiência cardíaca congestiva e epilepsia. A associação da amantadina a anti-inflamatórios não esteroidais, como adjuvante ao controle da dor crônica, pode levar cinco a sete dias para apresentar resultados positivos.

EFEITOS ADVERSOS

Pode ocasionar transtornos neurológicos transitórios (GIUFFRIDA, 2012).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não não recomendado para gestantes. Seu uso deve ser evitado em lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em humanos, a superdosagem manifesta-se por hipertermia, arritmias cardíacas, hipertensão, edema pulmonar, convulsões e coma.

Administração e doses

Via(s)

EV

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

4 / 4 horas

Doses

Recomendado

Equinos

5 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Interações medicamentosas: A administração concomitante com Ácido ascórbico, anticolinérgicos, cloreto de amônio (In diuréticos tiazídicos, estimulantes do SNC, metionina, quinidina, sulfa/trimetoprima e triantereno podem modificar a absorção dessas substâncias e causar efeitos adversos.

Interações medicamentosas

Anticolinérgicos

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento das reações adversas e anticolinérgicas

Mecanismo de Ação

Toxicidade sinérgica e efeito farmacológico aditivo

Conduta

Ajustar dose

Atropina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento das reações adversas e anticolinérgicas

Mecanismo de Ação

Toxicidade sinérgica e efeito farmacológico aditivo

Conduta

Ajustar dose

Escopolamina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da ação anticolinérgica

Conduta

Evitar o uso

Orfenadrina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento das reações adversas e anticolinérgicas

Mecanismo de Ação

Toxicidade sinérgica e efeito farmacológico aditivo

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A amantadina é eficiente contra os influenzavírus pois atua nos canais de íons, impedindo a acidificação necessária para que o microrganismo possa dissociar as proteínas de replicação viral complexada. A acidificação deveria ocorrer durante o carreamento do vírus pelas vesículas de endocitose, porém a amantadina atua bloqueando os canais de íon M2 o que impede essa acidificação (GIUFFRIDA, 2012).

FARMACOCINÉTICA

A amantadina pode ser administrada por via oral em equinos, porém apresenta biodisponibilidade sérica bastante irregular. Estudos apontam doses 5 mg/kg a cada 4 horas para garantir concentrações adequadas durante tratamento de infecções agudas (GIUFFRIDA, 2012).

EFEITOS ADVERSOS

Pode ocasionar transtornos neurológicos transitórios (GIUFFRIDA, 2012).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não não recomendado para gestantes. Seu uso deve ser evitado em lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em humanos, a superdosagem manifesta-se por hipertermia, arritmias cardíacas, hipertensão, edema pulmonar, convulsões e coma.

MONITORAMENTO

Possíveis efeitos adversos devem ser monitorados.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

GIUFFRIDA R. Antivirais. In: BARROS, C. M. e DI STASI, L. C. Farmacologia veterinária. Manole. Barueri-SP, 2012.