Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cimetidina

Classificaçāo

Antagonista H2

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido de 200 mg contém:

cimetidina 200 mg

excipientes* q.s.p. 1 comprimido


Cada comprimido revestido de 400 mg contém:

cimetidina 400 mg

excipientes* q.s.p. 1 comprimido


*excipientes: laurilsulfato de sódio, amido de milho, estearato de magnésio, celulose microcristalina, amidoglicolato de sódio, povidona, corante amarelo ocre cosmético, corante azul FDC nº 2, Opadry Y-5-11290.

ARMAZENAMENTO

Estabilidade após reconstituição: 48 horas em temperatura ambiente.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antagonista de receptores H2 da histamina de secreções gastroduodenais, imunomodulador (experimental) e adjuvante no tratamento de melanomas em equídeos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com cautela em pacientes geriátricos e portadores de insuficiência hepática ou renal (ajustar a dose).

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos adversos são raros. Pode ocasionar galactorreia e ginecomastia em machos. A diminuição da libido também pode ocorrer.

Raramente agranulocitose, arritmias cardíacas e dor no local da injeção.

Em geral efeitos colaterais decorentes do uso de bloqueadores de H2 são revertidos rapidamente após a descontinuação da terapia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Cautela no uso durante gestação e lactação.

É encontrada em altas concentrações no leite e pode atravessar a barreira placentária.

Não parece apresentar alterações reprodutivas.

SUPERDOSAGEM

A superdosagem não constuma ocasionar efeitos graves.

Não existe antídoto. O tratamento deve ser de suporte.

Administração e doses

Via(s)

IM

IV

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

6 / 6 horas

8 / 8 horas

12 / 12 horas (bovino)

Bovino

Bovino (IV, IM, VO)

Bovinos

8 - 16 mg / kg

calcular

Equino - Equinos

Úlcera gástrica (VO 12 / 12 h)

6 - 18 mg / kg

calcular

Tratamento adjuvante de melanomas (VO)

2,5 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

A administração concomitante com antiácidos, antidepressívos tricíclicos, benzodiazepínicos, beta-bloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio, cetoconazol, cloranfenicol, fármacos mielossupressores, fenitoína, lidocaína, itraconazol, metronidazol, pentobarbital, procainamida, triaterena e varfarina podem modificar a absorção dessas substâncias e causar efeitos adversos.

Pode alterar o metabolismo vários outros fármacos por inibição das enzimas microssomias hepáticas.

Interações medicamentosas

Acetato de Octreotida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico da cimetidina diminuido

Mecanismo de Ação

Retardo na absorção intestinal

Conduta

Evitar o uso

Alprazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito sedativo aumentado do alprazolam

Mecanismo de Ação

Inibição das enzimas envolvidas no metabolismo oxidativo hepático do alprazolam

Conduta

Ajustar dose

Aminofilina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento nos níveis de teofilina com possível toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da teofilina

Conduta

Ajustar dose

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do anticoagulante, com possibilidade de sangramento

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo dos Anticoagulantes

Conduta

Evitar o uso

Carbamazepina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da carbamazepina, com possível toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo hepático da carbamazepina

Conduta

Ajustar dose

Cetoconazol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cetoconazol

Mecanismo de Ação

Diminuição da biodisponibilidade do Cetoconazol causada pela diminuição da sua solubilidade em Phs aumentados

Conduta

Incompatível

Cloridrato de Amitriptilina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Cloridrato de Amitriptilina

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Verapamil

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Verapamil

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do Verapamil

Conduta

Ajustar dose

Diazepam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Diazepam

Mecanismo de Ação

Inibição das enzimas envolvidas no metabolismo oxidativo hepático do Diazepam

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado ou diminuido da Cimetidina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Fenitoína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína pela Cimetidina

Conduta

Ajustar dose

Fluconazol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Itraconazol

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Itraconazol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Itraconazol

Mecanismo de Ação

Diminuição da biodisponibilidade do Itraconazol causada pela diminuição da sua solubilidade em Phs aumentados

Conduta

Incompatível

Lidocaína

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Lidocaína, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Lidocaína e diminuição do fluxo sanguíneo hepático

Conduta

Evitar o uso

Loratadina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Loratadina

Conduta

Ajustar dose

Mebendazol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentao do Mebendazol

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático

Conduta

Ajustar dose

Melatonina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Melatonina

Mecanismo de Ação

Inibição da metabolização hepática

Conduta

Ajustar dose

Meperidina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Meperidina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo do analgésico opióide pela cimetidina

Conduta

Evitar o uso

Metadona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Metadona

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo do analgésico opióide pela cimetidina

Conduta

Evitar o uso

Metronidazol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Metronidazol

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Midazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Midazolam

Mecanismo de Ação

Inibição das enzimas envolvidas no metabolismo oxidativo hepático do benzodiazepínico

Conduta

Ajustar dose

Mirtazapina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Mirtazapina

Conduta

Ajustar dose

Morfina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Morfina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo do analgésico opióide pela cimetidina

Conduta

Evitar o uso

Praziquantel

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Praziquantel

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da primeira passagem de Praziquantel

Conduta

Ajustar dose

Propanolol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Cimetidina

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Cimetidina

Conduta

Ajustar dose

Sulfato Ferroso

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Sulfato Ferroso

Mecanismo de Ação

Redução na solubilidade de ferro, decorrente do aumento do pH gástrico

Conduta

Ajustar doseObservações:

Teofilinas

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado das Teofilinas, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da teofilina

Conduta

Ajustar dose

Terbinafina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Terbinafina

Mecanismo de Ação

Diminuição do clearance devido inibição do metabolismo da Terbinafina

Conduta

Ajustar dose

Tetraciclina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cloridrato de Tetraciclina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Vitamina B12

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Vitamina B12

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção gastrintestinal da Vitamina B12

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Antiácidos, metoclopramida, sucralfato, digoxina e cetoconazol devem ser administrados com pelo menos 2 horas de diferença da administração da cimetidina.

FARMACODINÂMICA

Os antagonistas histaminérgicos do tipo H2 bloqueiam competitivamente os receptores H2. Com ação dose-dependente inibem a secreção gástrica induzida pela histamina, gastrina e acetilcolina.

Atuam tanto na secreção gástrica basal quanto na secreção pós-prandial e o volume e também o pH da secreção gástrica são alterados pelo uso do medicamento (SANTOS e SILVA, 2010), porém os níveis de secreção ainda não foram profundamente estudados em medicina veterinária.

Sabe-se que o grau de inibição ácida depende da dose e da concentração sérica da droga.

FARMACOCINÉTICA

Bem absorvida pela via oral, intravenosa ou intramuscular.

A excreção ocorre pela urina em sua maioria (cerca de 60%) em sua forma original (SPINOSA, 2011).

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode causar alteração em testes alérgicos pela inibição da histamina.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos adversos são raros. Pode ocasionar galactorreia e ginecomastia em machos. A diminuição da libido também pode ocorrer.

Raramente agranulocitose, arritmias cardíacas e dor no local da injeção.

Em geral efeitos colaterais decorentes do uso de bloqueadores de H2 são revertidos rapidamente após a descontinuação da terapia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Cautela no uso durante gestação e lactação.

É encontrada em altas concentrações no leite e pode atravessar a barreira placentária.

Não parece apresentar alterações reprodutivas.

SUPERDOSAGEM

A superdosagem não constuma ocasionar efeitos graves.

Não existe antídoto. O tratamento deve ser de suporte.

MONITORAMENTO

Monitoramento da regressão da úlcera por endoscópio se possível.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

SANTOS, D. R. D. e SILVA, L. R. Farmacologia clínica das drogas antiulcerosas e antidispépticas. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

SPINOSA, H. S. Medicamentos que Interferem nas Funções Gastrintestinais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

VIEIRA F. C e PINHEIRO V. A. Monografias Farmacêuticas. In: VIEIRA F. C e PINHEIRO V. A. Formulário Veterinário Farmacêutico. 1ª edição, São Paulo: Pharmabooks, 2004.