Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Claritromicina

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Macrolídeos)

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada frasco-ampola de Pó liofilizado injetável contém:

claritromicina 500 mg

Excipientes: ácido lactobiônico (agente solubilizante).


Cada comprimido de liberação prolongada contém:

claritromicina 500 mg

Excipientes: ácido cítrico anidro, alginato de sódio, alginato de cálcio e sódio, lactose, povidona, talco, ácido esteárico, estearato de magnésio, hipromelose, macrogol 400 e 8000, dióxido de titânio, corante amarelo quinolina E104, ácido sórbico.


Após a reconstituição de KLARICID(claritromicina) grânulos para suspensão pediátrica 25 mg/mL, cada 1 mL da suspensão conterá:

claritromicina. 25 mg

Excipientes: ácido cítrico, dióxido de titânio, sacarose, sorbato de potássio, goma xantana, maltodextrina, sabor ponche frutas, dióxido de silício e água.


Após a reconstituição de KLARICID(claritromicina) grânulos para suspensão pediátrica 50 mg/mL, cada 1 mL da suspensão conterá:

claritromicina 50 mg

Excipientes: ácido cítrico, dióxido de titânio, sacarose, sorbato de potássio, goma xantana, maltodextrina, sabor ponche frutas, dióxido de silício e água.

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado em temperatura ambiente (15-30°C), protegido da luz e da umidade.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antibiótico macrolídeo bacteriostático, predominantemente contra Gram-positivos e micobactérias. Tem boa ação descrita contra Rhodococcus equi (GIRARDINI, 2013).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em gestantes ou pacientes com hipersensibilidade a outros macrolídeos.

EFEITOS ADVERSOS

Em humanos causa efeitos adversos no sistema gastrointestinal. Vômito, diarreia e desconforto/dor abdominal são os mais comuns (CARVALHO e CARVALHO, 2010).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Retardo do crescimento fetal foi relatado em macacos, o uso da claritrominina não é recomendado em gestantes (CARVALHO e CARVALHO, 2010).

Administração e doses

Via(s)

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 / 12 horas

Potros (tratamento de Rhodococcus equi)

Recomendado

Equinos

7,5 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Interações medicamentosas: A administração concomitante com Alfentanila, alprazolam, bromocriptina, buspirona, carbamazepina, cisaprida, digoxina, disopiramida, fluconazol, metilprednisolona, midazolan, omeprazol, quinidina, tacrolimo sistêmico, teofilina e varfarina podem modificar a absorção dessas substâncias e causar efeitos adversos.

Efeitos adversos: Náusea, vômito, dor abdominal, diarréia, hepatotoxicidade, trombocitopenia e reações de hipersensibilidade.

Estabilidade após reconstituição: 1.4 dias em temperatura ambiente.

Interações medicamentosas

Acetato de Metilprednisolona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico do acetato de metilprednisolona exacerbado

Mecanismo de Ação

Diminuição do clearance hepático

Conduta

Ajustar dose

Amiodarona

Tipo de Interação

Arritmia cardíaca grave

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Arritmia cardíaca grave

Mecanismo de Ação

Possível efeito aditivo no prolongamento do intervalo QT

Conduta

Incompatível

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis dos Anticoagulantes

Conduta

Ajustar dose

Astemizol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Astemizol

Conduta

Ajustar dose

Carbamazepina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento nos níveis de Carbamazepina

Conduta

Ajustar dose

Ciclosporina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Ciclosporina

Conduta

Ajustar dose

Cisaprida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Cisaprida

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Fenitoína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Lovastadina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis da Lovastadina

Conduta

Ajustar dose

Midazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Midazolam

Conduta

Ajustar dose

Pimozida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Pimozida

Conduta

Ajustar dose

Rifabutina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Rifabutina

Conduta

Ajustar dose

Teofilina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento nos níveis de Teofilina

Conduta

Ajustar dose

Terfenadina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Terfenadina

Conduta

Ajustar dose

Zidovudina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Decrescimo do estado de equilíbrio das concentrações da Zidovudina

Conduta

Intercalar as doses de ambas as medicações

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os macrolídios são agentes bacteriostáticos que atuam na inibição da síntese proteica de microrganismos procariotas atuando na translocação do ARNt do sítio aceptor de aminoácido. Os macrolídios se ligam à subunidade 50S ribossômica, o que impede o crescimento da cadeia peptídica no microrganismo. Seu local de ligação é muito próximo ao do clorafenicol, o que possibilita antagonismo quando administrados em conjunto, porém ao contrário deste, não atravessa a membrana da mitocôndria, portanto não causa supressão da medula óssea. (CARVALHO e CARVALHO, 2010; MACDOUGALL e CHAMBERS, 2012; PAPICH e RIVIERE, 2013)

FARMACOCINÉTICA

A claritromicina é absorvida satisfatoriamente no trato gastrointestinal e metabolizada no fígado. Em humanos apresenta pico de concentração plasmática de 2 horas quando utilizada via oral, e demonstra ampla distribuição nos tecidos como pulmões, rins, fígado e mucosa nasal, alcançando altas concentrações intracelulares. Apresenta eliminação pela urina e em menor quantidade nas fezes (CARVALHO e CARVALHO, 2010).

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Os macrolideos podem causar alterações nos exames de: Fosfatase alcalina, bilirrubina, sulfobromoftaleína, contagem de leucócitos total, contagem de eosinófilos, teor de colesterol, AST e ALT (KAHN, 2013).

EFEITOS ADVERSOS

Em humanos causa efeitos adversos no sistema gastrointestinal. Vômito, diarreia e desconforto/dor abdominal são os mais comuns (CARVALHO e CARVALHO, 2010).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Retardo do crescimento fetal foi relatado em macacos, o uso da claritrominina não é recomendado em gestantes (CARVALHO e CARVALHO, 2010).

MONITORAMENTO

Monitoramento de sintomas gastrointestinais e hidratação do paciente.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

CARVALHO, R. D. S. e CARVALHO, W. A. Eritromicina, Azitromicina e Claritromicina. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

GIRARDINI, Lilian Kolling et al. Perfil de suscetibilidade antimicrobiana e presença do gene vapA em Rhodococcus equi de origem humana, ambiental e equina. Pesq. Vet. Bras., Rio de Janeiro, v. 33, n. 6, p. 735-740, 2013.

KAHN, C. M. et al. Manual Merck de Veterinária. [tradução José Jurandir et al.]. - 10. ed. - São Paulo : Roca, 2013.

MACDOUGALL C. e CHAMBERS H. F. Inibidores da síntese de proteínas e agentes antibacterianos diversos. In: BRUNTON, L. L. et al. As Bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman & Gilman [tradução: Augusto Langeloh et al. ; revisão técnica: Almir Lourenço da Fonseca] 12. ed. Porto Alegre: AMGH, 2012.

PAPICH M. G. e RIVIERE J. Cloranfenicol e derivados, macrolídeos, lincosamidas e antimicrobianos diversos. In: ADAMS, H. Richard. Farmacologia e terapêutica em veterinária / editoria de H. Richard Adams; [tradução Cid Figueiredo]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.