Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Dalteparina

Classificaçāo

Anticoagulante

Receita

Receita Simples

Espécies

Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada mL de Fragmin® solução injetável 2.500 UI ou5.000 UI contém 12.500 UI ou 25.000 UI de dalteparina sódica respectivamente.

Excipientes utilizados no Fragmin® solução injetável 2.500 UI: cloreto de sódio, ácido clorídrico (1), hidróxido de sódio(1) e água para injetáveis. (1)para ajuste de pH.

Excipientes utilizados no Fragmin® solução injetável 5.000 UI: ácido clorídrico(1), hidróxido de sódio(1) e água para injetáveis. (1)para ajuste de pH.

A potência é descrita em unidades internacionais de anti-Xa (UI) segundo o 1º Padrão Internacional da Heparina de Baixo Peso Molecular (HBPM).

ARMAZENAMENTO

Permanece estável por até duas semanas após aberto.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Heparina fragmentada de baixo peso molecular, para tratamento e profilaxia de doenças tromboembólicas.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em portadores de trombocitopenia ou desordens da coagulação e empregar com cautela em nefropatas.

EFEITOS ADVERSOS

Hemorragias, trombocitopenia, osteoporose, redução da função renal, hipercalemia e priapismo; o uso via IM pode causar hematomas e dor no local da aplicação.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Estudos em animais de laboratório não revelaram evidência de mutagenicidade, teratogenicidade ou prejuízo da fertilidade porém deve-se ter cautela no uso durante gestação e lactação.

SUPERDOSAGEM

Superdosagens podem provocar principalmente hemorragias.

Administração e doses

Via(s)

SC

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 / 24 horas

Doses

Recomendado

Equinos

50 Ul / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Interações medicamentosas: A administração concomitante com aspirina, clopidogrel, outros agentes tromboembolíticos e varfarina aumentam o risco de hemorragias. Efeitos adversos: Hemorragias, trombocitopenia, osteoporose, redução da função renal, hipercalemia e priapismo; o uso via IM pode causar hematomas e dor no local da aplicação. Observação: 1 mg = 110 a 210 Ul.

Interações medicamentosas

Acetato de Desmopressina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Desmopressina

Conduta

Evitar o uso

Acetato de Isoflupredona

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Conduta

Evitar o uso

Acetato de Metilprednisolona

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico dos anticoagulantes exacerbado/diminuido

Conduta

Evitar o uso

Amiodarona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do anticoagulante

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do anticoagulante

Conduta

Incompatível

Antiinflamatórios não-esteróides

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de sangramento

Conduta

Evitar o uso

Azatioprina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos anticoagulantes

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Benzoilmetronidazol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de hemorragias

Mecanismo de Ação

Diminuição do catabolismo hepático

Conduta

Evitar o uso

Betametasona

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado ou diminuido dos anticoagulantes

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Cefazolina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Cefoxitina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Cetoprofeno

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Diminuição da agregação plaquetária e irritação gástrica causadas pelo Cetoprofeno

Conduta

Incompatível

Ciclofosfamida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do anticoagulante

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo dos Anticoagulantes

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do anticoagulante, com possibilidade de sangramento

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo dos Anticoagulantes

Conduta

Evitar o uso

Claritromicina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis dos Anticoagulantes

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Levamisol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis dos Anticoagulantes

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Oxitetraciclina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

As Tetraciclinas podem afetar a hemostasia

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Tetraciclina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

As Tetraciclinas podem afetar a hemostasia

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Tramadol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Dexametasona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Anticoagulantes

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Diclofenaco de Sódio

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Diminuição da agregação plaquetária e irritação gástrica causadas pelo Diclofenaco

Conduta

Incompatível

Ácido Acetilsalicílico

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de sangramento

Conduta

Evitar o uso

Ácido Acetilsalicílico

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento dos efeitos terapêuticos do anticoagulante e acentuar o efeito hemorrágico do ácido acetilsalicílico sobre a mucosa gástrica

Mecanismo de Ação

Efeito aditivo sinérgico e outros mecanismos envolvidos

Conduta

Incompatível

Ácido Nalidíxico

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de hemorragias

Conduta

Ajustar dose

Ácido Tolfenâmico

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos Anticoagulantes

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A dalteparina sódica, é uma heparina de baixo peso molecular (HBPM), com propriedades antitrombóticas, que possui peso molecular médio de 5000.

O efeito antitrombótico da dalteparina é devido a sua capacidade de potencializar a inibição do Fator de coagulação Xa e da trombina, porém ao contrário da heparina convencional, produz menor inibição da trombina (fator IIa).

A dalteparina possui uma capacidade relativamente maior de potencializar a inibição do Fator Xa do que de prolongar o tempo de formação de coágulos no plasma.

Apresenta também um efeito relativamente menor na função e adesão plaquetária do que a heparina e, desse modo, exerce um efeito pequeno na hemostasia primária.

FARMACOCINÉTICA

Em pequenos animais a dalteparina apresenta meia vida de apenas 2 horas, não apresentando assim, vantagens sobre a heparina, porém em equinos acredita-se que a dalteparina apresente farmacocinética próxima aquela conhecida em humanos.

EFEITOS ADVERSOS

Hemorragias, trombocitopenia, osteoporose, redução da função renal, hipercalemia e priapismo; o uso via IM pode causar hematomas e dor no local da aplicação.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Estudos em animais de laboratório não revelaram evidência de mutagenicidade, teratogenicidade ou prejuízo da fertilidade porém deve-se ter cautela no uso durante gestação e lactação.

SUPERDOSAGEM

Superdosagens podem provocar principalmente hemorragias.

MONITORAMENTO

O animal deve ficar em observação para quaisquer sinais de hemorragia.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

PARDO, A. et al. Coagulopatías en équidos. 83 anales - Vol. 23 (1) - Dic. 2010 - Real Academia de Ciencias Veterinarias de Andalucía Oriental. 2010.