Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Digoxina

Classificaçāo

Glicosídeo Cardiotônico

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido contém:

digoxina 0,25 mg

Excipientes q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: álcool etílico, amido, estearato de magnésio, povidona, manitol, talco, lactose, laurilsulfato de sódio, crospovidona, água de osmose reversa.


Cada mL do elixir contém:

digoxina 0,05 mg

veículo q.s.p. 1 mL

Excipientes: fosfato de sódio dibásico, ácido cítrico, metilparabeno, sacarose, corante amarelo nº10 quinolina, propilenoglicol, álcool etílico, aroma natural de damasco, água purificada.

ARMAZENAMENTO

Durante o consumo este produto deve ser mantido no cartucho de cartolina, manter este medicamento em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), em lugar seco e ao abrigo da luz.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Glicosídeo cardioativo cardiotônico e diurético, para o tratamento de insuficiência cardíaca congestiva, fibrilação atrial e taquicardias supraventriculares. Seu uso em medicina veterinária é restrito, porém existem relatos (BRUMBAUGH, 1982,1983; BUTTON, 1980; KORITZ, 1983).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não utilizar em pacientes com fibrilaçâo ventricular e usar com cautela em doença pulmonar severa, hipóxia, insuficiência renal.

EFEITOS ADVERSOS

Pode causar arritmias cardíacas, anorexia, vômito, diarreia e perda de peso e sinais neurológicos (letargia e depressão) (ROCHA e BARROS, 2012).

SUPERDOSAGEM

A superdosagem pode causar efeitos similares aos efeitos adversos.

Administração e doses

Via(s)

IV

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 /12 horas

Doses

Recomendado

Bovinos

0,005 mg / kg

calcular

Equinos

0,011 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Alprazolam

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Amiodarona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da digoxina e da sua toxicidade

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Incompatível

Amoxicilina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da digoxina

Mecanismo de Ação

Aumento na absorção da digoxina

Conduta

Ajustar dose

Azitromicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da digoxina

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo da digoxina

Conduta

Ajustar dose

Betametasona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Arritmia e toxicidade digitálica

Conduta

Evitar o uso

Bromoprida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da digoxina

Conduta

Ajustar dose

Carvedilol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da digoxina, podendo ocorrer bradicardia

Mecanismo de Ação

Aumento da biodisponibilidade da digoxina. Depressão da condução cardíaca e diminuição da secreção tubular renal da digoxina

Conduta

Evitar o uso

Ciclofosfamida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Ciclofosfamida

Conduta

Evitar o uso

Ciclosporina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado ou diminuido da Cimetidina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Citarabina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Diminuição da concentração plasmática de Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Citrato de Sódio

Conduta

Evitar o uso

Claritromicina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento dos níveis de Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Metoclopramida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da digoxina

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção da Digoxina, por aumentar a motilidade gastrointestinal

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Tetraciclina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Verapamil

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Verapamil e Digoxina tem efeitos aditivos no sentido de diminuir a velocidade na condução atrioventricular, além disso o Verapamil diminui a eliminação da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Cloroquina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade da Digoxina

Conduta

Evitar o uso

Diltiazem

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição da depuração renal e extra-renal da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Eritromicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição da excreção renal da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Espironolactona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina

Mecanismo de Ação

Diminuição da secreção tubular renal da Digoxina, reduzindo sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Flecainida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso, administrados várias horas depois da Digoxina

Inibidores da ECA

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado ou diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Observações da interação

Captopril, Enalapril

Itraconazol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição da excreção renal da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Metoclopramida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção da Digoxina, por aumentar a motilidade gastrointestinal

Conduta

Ajustar dose

Milbemicina Oxima

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade

Conduta

Evitar o uso

Nefazodona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Neomicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Omeprazol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina

Mecanismo de Ação

Aumento da absorção da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Propafenona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Quinidina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Redução da eliminação renal e da excreção biliar e do volume de distribuição da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Rifampicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Sucralfato

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Sulfasalazina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Mecanismo de Ação

Redução da absorção gastrointestinal da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Topiramato

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Não misturar a qualquer outro fármaco ou solução.

FARMACODINÂMICA

Através da inibição da adenosina trifosfatase, alterando a bomba sódio/potássio, a digoxina causa um aumento na disponibilidade de cálcio no momento do acoplamento excitação-contração, aumentando a contratilidade do miocárdio.

FARMACOCINÉTICA

A distribuição leva de 6 a 8 horas e os órgãos onde é encontrada em maior quantidade são fígado, coração e rins. Em bovinos, por via intravenosa apresenta meia-vida de aproximadamente 8 horas, tempo menor do que outras espécies (KORITZ, 1983). É excretada pelos rins, portanto pacientes com disfunção renal podem apresentar meia -vida de eliminação total elevada, podendo ainda apresentar reação de toxicidade.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Podem ocorrer alterações variadas nos resultados de eletrocardiograma.

EFEITOS ADVERSOS

Pode causar arritmias cardíacas, anorexia, vômito, diarreia e perda de peso e sinais neurológicos (letargia e depressão) (ROCHA e BARROS, 2012).

SUPERDOSAGEM

A superdosagem pode causar efeitos similares aos efeitos adversos.

MONITORAMENTO

O acompanhamento do nível plasmático de digoxina no paciente é aconselhável para ajuste de dose. Em equinos, o nível plasmático deve estar entre 0,5 e 2 mg/mL.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

BRUMBAUGH, G. W.; THOMAS, W. P.; HODGE, T. G. Medical management of congestive heart failure in a horse. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 180, n. 8, p. 878-883, 1982.

BRUMBAUGH, G. W. et al. A pharmacokinetic study of digoxin in the horse. Journal of veterinary pharmacology and therapeutics, v. 6, n. 3, p. 163-172, 1983.

BUTTON, C. et al. Digoxin pharmacokinetics, bioavailability, efficacy, and dosage regimens in the horse. American journal of veterinary research, v. 41, n. 9, p. 1388-1395, 1980.

KORITZ, G. D. et al. Pharmacokinetics of digoxin in cattle. Journal of veterinary pharmacology and therapeutics, v. 6, n. 2, p. 141-147, 1983.

ROCHA, N. P. e BARROS, C. M. Autacoides e anti-inflamatórios. In: DI STASI, L. C. e BARROS, C. M. Farmacologia veterinária. Manole. Barueri-SP, 2012.