Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Manitol

Classificaçāo

Diurético

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Diurético osmótico para condições agudas.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não utilizar em portadores de anúria, desidratação grave e edema ou congestão pulmonar.

Cautela em animais com hipovolemia.

EFEITOS ADVERSOS

Desequilíbrio hidroeletrolítico, edema pulmonar, taquicardia e ataxia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não existem estudos que comprovem a segurança durante a gestação.

Deve ser utilizado em gestantes e lactantes apenas quando o médico veterinário julgar necessário.

SUPERDOSAGEM

Doses altas ou repetidas podem causar sobrecarga cardíaca, edema pulmonar agudo e alterações de equilíbrio hidroeletrolítico.

Administração e doses

Via(s)

EV Lenta

Doses

Recomendado

Bovinos e Equinos

0,25 - 1 g / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Modo de usar:

Via EV lento (Sol. 20%)

Interações medicamentosas

Lítio

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade do Lítio

Conduta

Evitar o uso

Morfina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Diuréticos

Mecanismo de Ação

Indução da liberação de hormônios antidiuréticos

Conduta

Evitar o uso

Sotalol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da cardiotoxicidade do Sotalol

Mecanismo de Ação

Hipocalemia e hipomagnesemia causadas pelo diurético levam a toxicidade do Sotalol

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Não misturar com soluções muito ácidas ou alcalinas e sangue total.

FARMACODINÂMICA

O manitol eleva a osmolaridade do filtrado glomerular, impedindo a absorção tubular da água e otimizando a excreção de sódio e cloreto.

O aumento de osmolaridade extracelular que ocorre na administração intravenosa do manitol acarreta no movimento de água intracelular para um espaço extracelular e vascular.

Ocorre a diminuição da resistência vascular renal e aumento do fluxo sanguíneo renal, além da remoção de radicais livres.

FARMACOCINÉTICA

A injeção intravenosa de manitol é rapidamente excretada através de filtração glomerular, antes de qualquer metabolismo hepático.

Apresenta efeito em poucos minutos. Já na primeira hora de administração atinge fluxo urinário de 8 a 10 mL por minuto (KOGYKA e YAMATO, 2011).

EFEITOS ADVERSOS

Desequilíbrio hidroeletrolítico, edema pulmonar, taquicardia e ataxia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não existem estudos que comprovem a segurança durante a gestação.

Deve ser utilizado em gestantes e lactantes apenas quando o médico veterinário julgar necessário.

SUPERDOSAGEM

Doses altas ou repetidas podem causar sobrecarga cardíaca, edema pulmonar agudo e alterações de equilíbrio hidroeletrolítico.

MONITORAMENTO

Monitorar metabolismo de cálcio e fósforo.

Monitorar a hidratação do paciente.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

FARIA, Thalita Tainá R. et al. Mieloencefalite protozoária equina de evolução clínica aguda: Relato de Caso. PUBVET, v. 11, p. 1-102, 2016.

KOGIKA, M. M. e YAMATO, R. J. Diuréticos. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

MATA, Diogo Alexandre Tenório et al. Trauma cerebral, fratura de arco zigomàtico e exoftalmia em um equino. Ciência Veterinária nos Trópicos, v. 19, n. 2, p. 27-27, 2016.