Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloridrato de Detomidina

Classificaçāo

Sedativo

Receita

Controle Especial - Veterinário

Espécies

Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL contém:

Cloridrato de detomidina 1 g

Veículo q.s.p. 100 mL

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Deve-se ter cuidado para que não ocorra a ingestão acidental pelo homem, uma vez que a droga é bem absorvida pela via oral. Recomenda-se evitar a exposição da pele e dos olhos ao produto. Caso o contato ocorra, as áreas afetadas devem ser lavadas imediatamente com água. Deve-se adotar as medidas de precaução rotineiras para evitar injeções acidentais. O produto não é recomendado para uso em pacientes humanos. Em caso de ingestão ou aplicação acidentais, procurar auxílio médico imediatamente.

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, à temperatura ambiente (15°C a 30°C), ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Está indicado como sedativo e analgésico para facilitar a realização de cirurgias pequenas e procedimentos diagnósticos em equinos adultos e em potros. Pode ser utilizado para tranquilizar e transportar animais agitados, aliviar dores abdominais, facilitar a broncoscopia, a endoscopia, a lavagem broncoalveolar, a intubação nasogástrica, a palpação retal, a sutura de lacerações cutâneas, o tratamento de tendões, procedimentos odontológicos, remoção de tumores de pele e castrações. Adicionalmente, é indicado para a sedação visando á posterior utilização de anestesia infiltrativa durante as castrações. Este produto, fabricado para uso interno, é destinado especialmente para o tratamento de Equinos. A indicação a outras espécies de animais domésticos ou silvestres ficará a critério e sob responsabilidade do médico veterinário.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O produto é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida a qualquer componente da fórmula. O produto não deve ser administrado em equinos com bloqueios atrioventricular ou sinoatrial pré-existentes, com insuficiência coronariana grave, doenças cerebrovasculares, doença respiratórias ou insuficiência renal crônica.

EFEITOS ADVERSOS

Os equinos tratados com Dormiun V podem ocasionalmente exibir quadros de hipertensão. Bradicardia normalmente ocorre 1 minutos após a injeção. Piloereção, sudorese, salivação e tremores leves são frequentemente observados após a administração. Prolapso peniano transitório também pode ocorrer. Bloqueios atrioventricular e sinoatrial podem ser verificados com a diminuição das frequências cardíaca e respiratória. Micção ocorre comumente durante a recuperação, cerca de 45 a 60 minutos após o tratamento, dependendo da dosagem. Incoordenação ou andar cambaleante são normalmente observados durante os primeiros 3 a 5 minutos após a aplicação. Uma vez que a cabeça do animal irá abaixar continuamente durante a sedação, descargas mucosas podem ser eliminadas pelas narinas e, eventualmente, edema da cabeça e da face podem ser observados. A manutenção da cabeça em uma posição ligeiramente mais elevada geralmente previne esses efeitos. Como para todos os agentes alfa-2 agonistas, existe o potencial de indução de casos isolados de hipersensibilidade, incluindo resposta paradoxal (excitação). Relatos ocasionais de reações semelhantes aos choques anafiláticos tem sido registrados, tais como urticária, placas cutâneas, dispneia, edema das vias aéreas superiores, tremores, decúbito lateral e morte. O uso da epinefrina deve ser evitado uma vez que pode potencializar o efeito dos alfa-2 agonistas. Reações adversas mais brandas desaparecem sem a necessidade de tratamento; as mais exacerbadas devem ser tratadas de forma sintomática.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Como não há informações adequadas de segurança, o produto não é recomendado para animais utilizados em programas de reprodução.

SUPERDOSAGEM

A detomidina é bem tolerada pelos equinos em doses de até 200 mcg/kg de peso (10 vezes a dose terapêutica mais baixa e 5 vezes a mais alta). Em estudos de segurança com equinos, doses de 400 mcg/kg administradas diariamente durante 3 dias consecutivos produziram focos microscópicos de necrose do miocárdio em 1 de 8 animais.

Administração e doses

Via(s)

IM

EV

Doses

Recomendado

Equinos

0,2 - 0,4 mL / 100 kg

calcular

OBSERVAÇÕES

O produto é comercializado pronto para o uso, dispensando qualquer preparação prévia. Deve ser administrado diretamente do frasco-ampola na dose adequada ao peso do animal. Uso interno e administração por via intramuscular ou intravenosa. Utilize seringas e agulhas estéreis. Remova o lacre de alumínio do frasco-ampola somente no momento da utilização. Preferencialmente, não retorne ao frasco o produto previamente aspirado. Desinfete o local de injeção no animal com álcool iodado ou outros antissépticos eficazes. Cuidado deve ser tomado para evitar injeções acidentais no operador.

Interações medicamentosas

Acepromazina

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Severa hipotensão

Conduta

Incompatível

Opióides

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito aditivo

Conduta

Ajustar dose

Subst. Cardiopressoras

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Risco de arritmias

Conduta

Evitar o uso

Sulfonamida

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Disritmia grave

Conduta

Incompatível

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

A detomidina é um potente alfa-2 agonista e, portanto, deve-se ter cuidado ao administrar o produto com outras drogas sedativas ou analgésicas, com risco de produção de efeitos aditivos. Ao utilizar qualquer agente analgésico para o alívio de dores abdominais, deve-se estabelecer o diagnóstico adequado para a determinação da etiologia do quadro. Sulfas potencializadas aplicadas pela via intravenosa não devem ser utilizadas em pacientes anestesiados ou sedados, uma vez que podem ocorrer arritmias fatais.

FARMACODINÂMICA

A detomidina é um agonista alfa-2 adrenérgico sintético e não-narcótico com propriedades sedativas e analgésicas (superficial e visceral) dose-dependentes. O equino tratado apresenta letargia e um abaixamento de cabeça característico, com redução da resposta a estímulos externos. Ocorre um período de incoordenação curto seguido de imobilidade. Os efeitos analgésicos são mais prontamente observados com o aumento do limiar à dor na superfície corpórea. Com a administração da detomidina, a frequência cardíaca diminui significativamente e a pressão arterial se eleva no início da aplicação. Podem ocorrer bloqueios atrioventricular e sinoatrial. As alterações de condução dos impulsos cardíacos podem ser prevenidas pela administração de atropina por via intravenosa na dose de 0,02 mg/kg de peso. A frequência respiratória diminui durante alguns segundos, cerca de 1 a 2 minutos depois da aplicação, normalizando em 5 minutos.

FARMACOCINÉTICA

Os efeitos sedativos dever sem atingidos 2 a 4 minutos após a administração intravenosa e de 3 a 5 minutos após o uso intramuscular. A aplicação de 20 mcg/kg resulta em 30 a 90 minutos de sedação e a administração de 40 mcg/kg resulta em 90 minutos a 2 horas de sedação. A aplicação de 20 mcg/kg usualmente gera efeitos analgésicos após 2 a 4 minutos, com duração de 30 a 45 minutos. A administração de 40 mcg/kg também produz analgesia após 2 a 4 minutos, com duração de 45 a 75 minutos.

EFEITOS ADVERSOS

Os equinos tratados com Dormiun V podem ocasionalmente exibir quadros de hipertensão. Bradicardia normalmente ocorre 1 minutos após a injeção. Piloereção, sudorese, salivação e tremores leves são frequentemente observados após a administração. Prolapso peniano transitório também pode ocorrer. Bloqueios atrioventricular e sinoatrial podem ser verificados com a diminuição das frequências cardíaca e respiratória. Micção ocorre comumente durante a recuperação, cerca de 45 a 60 minutos após o tratamento, dependendo da dosagem. Incoordenação ou andar cambaleante são normalmente observados durante os primeiros 3 a 5 minutos após a aplicação. Uma vez que a cabeça do animal irá abaixar continuamente durante a sedação, descargas mucosas podem ser eliminadas pelas narinas e, eventualmente, edema da cabeça e da face podem ser observados. A manutenção da cabeça em uma posição ligeiramente mais elevada geralmente previne esses efeitos. Como para todos os agentes alfa-2 agonistas, existe o potencial de indução de casos isolados de hipersensibilidade, incluindo resposta paradoxal (excitação). Relatos ocasionais de reações semelhantes aos choques anafiláticos tem sido registrados, tais como urticária, placas cutâneas, dispneia, edema das vias aéreas superiores, tremores, decúbito lateral e morte. O uso da epinefrina deve ser evitado uma vez que pode potencializar o efeito dos alfa-2 agonistas. Reações adversas mais brandas desaparecem sem a necessidade de tratamento; as mais exacerbadas devem ser tratadas de forma sintomática.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Como não há informações adequadas de segurança, o produto não é recomendado para animais utilizados em programas de reprodução.

SUPERDOSAGEM

A detomidina é bem tolerada pelos equinos em doses de até 200 mcg/kg de peso (10 vezes a dose terapêutica mais baixa e 5 vezes a mais alta). Em estudos de segurança com equinos, doses de 400 mcg/kg administradas diariamente durante 3 dias consecutivos produziram focos microscópicos de necrose do miocárdio em 1 de 8 animais.

MONITORAMENTO

Deve-se monitorar cuidadosamente os equinos com quadros de choque endotóxico ou traumático, com doenças renais ou hepáticas avançadas ou com estresse (térmico ou secundário ao trabalho muscular intenso). Os animais tratados devem ser protegidos de temperaturas extremas. Alguns equinos, embora aparentemente sedados, podem responder aos estímulos externos. Medidas de segurança de rotina devem ser praticadas para proteger a equipe médica e os tratadores. O animal deve permanecer em ambiente calmo e em repouso por 5 minutos antes da administração e por 10 a 15 minutos após a aplicação. Com esse procedimento, ocorrerá melhor resposta ao produto.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.