Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloridrato de Dobutamina

Receita

Restrito a Hospitais

Espécies

Equinos

ARMAZENAMENTO

É estável por 24 horas após diluição em temperatura ambiente (15°C a 30°C).

O medicamento não deve ser congelado devido à possibilidade de cristalização.

Medicamentos intravenosos devem ser inspecionados visualmente e não devem ser usados se houver presença de material particulado.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Dobutamil 250 mg / 20 mL, frasco-ampola
  • - Dobutrex 250 mg/20 mL, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Agente inotrópico análogo da dopamina com ação cardiotônica, para tratamento da insuficiência cardíaca aguda e choque.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com cautela em animais hipovolêmicos, doenças miocárdicas e distúrbios da condução.

EFEITOS ADVERSOS

Ao contrário da dopamina, que causa alterações significantes na frequência cardíaca, taquicardia e arritmias, a dobutamina apresenta baixa ação nos receptores adrenérgicos, ocasionando esses efeitos de maneira discreta.

Pode ocasionar tambem alteração da pressão arterial.

Os efeitos podem ser diminuídos alterando a velocidade de infusão.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser utilizado com cautela em gestantes e lactantes por não existirem estudos suficientes que comprovem sua segurança nessas condições.

SUPERDOSAGEM

A superdosagem provoca taquicardia e arritimia.

Administração e doses

Via(s)

EV

OBSERVAÇÕES

Modo de Usar: Misturar 250 mg em 500 mL de solução fisiológica e administrar 1 - 10 mcg / kg / minuto.

A hipovolemia deve ser corrigida antes da administração da dobutamina.

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Pode ser diluído em soluções de glicose 5%; cloreto de sódio 0,9%; glicose 5% em cloreto de sódio 0,45%; glicose 5% em cloreto de Sódio 0,9%; glicose 10%; ringer lactato; glicose 5% em ringer lactato ou lactato de sódio.

A dobutamina é compatível com dopamina, lidocaína, verapamil, cloreto de potássio.

A dobutamina é incompatível com soluções alcalinas, portanto, não misturar com bicarbonato de sódio a 5% ou outras soluções alcalinas.

Não usar a dobutamina em conjunto com outros medicamentos ou diluentes contendo bissulfito de sódio e etanol.

A dobutamina é também incompatível com: succinato sódico de hidrocortisona; cefazolina; cefamandol; cefalotina neutra; penicilina; ácido etacrínico e heparina sódica.

FARMACODINÂMICA

A dobutamina é uma catecolamina sintética desesnvolvida para ser mais seletiva do que a dopamina, ocasionando menos efeitos adversos.

Atua estimulando os receptores beta1-adrenérgicos e alfa-adrenérgicos.

A dobutamina não age sobre receptores dopaminérgicos, portanto não dilata seletivamente os vasos renais ou esplâncnicos.

FARMACOCINÉTICA

A meia vida da dobutamina é de cerca de 2 minutos, portanto deve ser administrada em infusão contínua e logo após o término da infuão, já não é mais encontrada no plasma.

A infusão deve ser de maneira lenta e em 8 minutos atinge o platô de concentração plasmática.

É metabolizada principalmente no fígado e excretada pela urina em forma de metabólitos.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode alterar potássio sérico.

EFEITOS ADVERSOS

Ao contrário da dopamina, que causa alterações significantes na frequência cardíaca, taquicardia e arritmias, a dobutamina apresenta baixa ação nos receptores adrenérgicos, ocasionando esses efeitos de maneira discreta.

Pode ocasionar tambem alteração da pressão arterial.

Os efeitos podem ser diminuídos alterando a velocidade de infusão.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser utilizado com cautela em gestantes e lactantes por não existirem estudos suficientes que comprovem sua segurança nessas condições.

SUPERDOSAGEM

A superdosagem provoca taquicardia e arritimia.

MONITORAMENTO

Monitorar sinais adversos para ajuste de dose e velocidade de infusão.

Monitorar pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, TPC e coloração de mucosas.

Recomendado acompanhamento eletrocardiográfico.

Acompanhar os animais durante infusão para que não haja extravasamento de medicamento no local de infusão.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

TÁRRAGA, K. M. Medicamentos que Atuam no Sistema Cardiovascular: Inotrópicos Positivos e Vasodilatadores. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.