Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Dipirona

Classificaçāo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE), Analgésico

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Anti-inflamatório não esteroidal.

Analgésico e antipirético com fraca ação anti-inflamatória.

Utilizado para tratamento de cólica em equinos.

EFEITOS ADVERSOS

Quando aplicada pela via intramuscular pode causar reação local.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Usar com cautela em gestantes e lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em humanos a superdosagem pode causar agranulocitose, trombocitopenia, anemia aplásica, edema, hemorragia gastrointestinal e tremores.

Administração e doses

Via(s)

SC

IM

IV

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8 / 8 horas

Doses

Recomendado

Bovinos e Equinos

25 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo de ação dos AINEs (Anti-inflamatórios não esteroides) ainda não são completamente conhecidos, porém sabe-se uma das principais funções é a de inibir a síntese das prostaglandinas, importante processo da inflamação.

A inibição da síntese de prostaglandinas ocorre principalmente pela inibição específica das ciclixigenases (COX-1 e COX-2), e conseqüente redução da conversão do ácido araquidônico em prostaglandinas.

A dipirona é também inibidora da Cox-3, utilizada para analgesia leve e moderada, principalmente as viscerais.

Não apresenta bom efeito anti-inflamatório, provavelmente por não se ligar às proteínas plasmáticas, o que determina baixa concentração do fármaco no local da inflamação.

Seu potencial antiespasmódico e a ação curta (podendo ser reaplicada conforme necessidade) são fatores que auxiliam no tratamento da cólica nos equinos.

FARMACOCINÉTICA

É rapidamente metabolizada no organismo, porém seus efeitos analgésicos e antipiréticos tem ação curta.

Apesar de ser bem absorvida pela via sistêmica, pode causar choque anafilático quando utilizada pela via endovenosa em animais com maior sensibilidade.

EFEITOS ADVERSOS

Quando aplicada pela via intramuscular pode causar reação local.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Usar com cautela em gestantes e lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em humanos a superdosagem pode causar agranulocitose, trombocitopenia, anemia aplásica, edema, hemorragia gastrointestinal e tremores.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

TASAKA A. C. Anti-inflamatórios Não Esteroidais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.