Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Benzoato de Estradiol

Classificaçāo

Hormônio

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada 5mL contém:

Benzoato de Estradiol 0,005 g

Veículo q. s. p. 5,00 mL

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco e fresco, abaixo de 30°C, ao abrigo da luz solar e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Este produto ainda não tem informações de Apresentações e concentrações

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Cio: Regularização de cios, tratamento de cio silencioso e anestro. Produzir cios com copulação fértil.

Retenção de Placenta: Na insuficiência contrátil primária e secundária da musculatura uterina durante o parto. Na atonia do útero e hemorragias pós-parto.

Prolapso Uterino e Vaginal: Casos recentes.

Mastites: Como auxiliar no tratamento das mastites nos casos de retenção do leite (leite residual) e como preventivo das mastites provadas por acúmulo de leite pós-parto.

Iminência de febre puerperal: vacas e éguas.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

ESTROGIN não deve ser administrado em fêmeas durante o período de gestação por provocar aborto.

Administração e doses

Via(s)

Epidural

IM Profunda

SC

Vacas e Éguas - Bovinos e Equinos

Subcutânea ou intramuscular

2 - 5 mL / animal

Epidural

1,5 - 3 mL / animal

OBSERVAÇÕES

Nas fêmeas em lactação, o emprego de ESTROGIN em doses baixas (1/5 da dose habitual = 1mL) provoca o aumento da produção de leite e as doses altas a diminuição

na produção.

Mastite e retenção de leite: ordenhar o animal e administrar ESTROGIN, após 5 a 10 minutos ordenhar novamente para a saída do leite residual. Feito este procedimento, voltar a utilizar produtos específicos para o tratamento da mastite.

Partos normais: o período de expulsão será encurtado após a aplicação do produto. Se excepcionalmente 20 ou 30 minutos após a aplicação não forem observadas contrações suficientes para o parto, recomenda-se aumentar a dosagem.

Prolapso uterino (casos recentes): recomenda-se administrar o produto por via epidural, conjuntamente com anestésico para se obter contrações uterinas, antes de iniciar a reposição.

Retenção de placenta, atonia uterina e hemorragia pós-parto: administrar via intramuscular. Em vacas e éguas os melhores resultados são obtidos por meio da administração epidural.

Indução de cio (vacas e éguas): geralmente 5mL de ESTROGIN é suficiente para que até o 7° ou 8° dia após a administração, a fêmea entre em cio. Caso o animal não apresente cio neste prazo, pode-se repetir a dose.

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

ESTROGIN (Benzoato de Estradiol) age sobre a musculatura do útero e das glândulas mamárias dos animais.

Possui ação estimulante sobre as contrações uterinas durante o parto e puerpério.

Age sobre a musculatura dos alvéolos e canais da glândula mamária que será contraída provocando o esvaziamento das células lactíferas. Desta forma, o conteúdo dos alvéolos é impulsionado aos condutores galactóforos e às cisternas, resultando na saída do leite e completo esvaziamento da glândula mamária.

ESTROGIN não exerce ação sobre o peristaltismo intestinal e tampouco sobre o sistema circulatório sanguíneo.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

ESTROGIN não deve ser administrado em fêmeas durante o período de gestação por provocar aborto.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.