Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Benzilpenicilina Procaína
  • Benzilpenicilina Potássica
  • Benzilpenicilina Benzatina
  • Estreptomicina

Classificaçāo

Antibiótico

Receita

Receita Simples

Espécies

Bovinos e Equinos

COMPOSIÇÃO

Cada frasco ampola contém:

Benzilpenicilina Procaína 4.000.000 UI

Benzilpenicilina Potássica 1.000.000 UI

Benzilpenicilina Benzatina 1.000.000 UI

Estreptomicina (sulfato) 2 g


Cada ampola com diluente contém:

Água para injeção 15 mL

ARMAZENAMENTO

O produto deve ser mantido na embalagem original até a completa utilização, entre 15 e 30 ºC, ao abrigo da luz solar, umidade e calor, fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Registro no mapa

Licenciado no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento sob o nº 8.898 em 30/06/2004.

Responsável técnico

Dr. Alan Fioroni Kastein CRF-SP 31640.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Agrosil 6 Milhões, frasco ampola (15 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Bovinos: Mastites (Streptococcus sp), Edema Maligno (Clostridium septicum), Carbúnculo Sintomático (Clostridium chauvoei), Gangrena (Clostridium perfringens), Tétano (Clostridium tetani) e Hemoglobinúria (Clostridium haemolyticum).

Equinos: Garrotilho (Streptococcus equi), Onfaloflebite (Staphylococcus genitalium), Artrite Supurativa (E. coli, Salmonella spp, Actinobacillus spp), Linfangite Ulcerativa (Corynebacterium pseudotuberculosis), Pneumonia dos Potros (Corynebacterium equi), Listeriose (Listeria monocytogenes) e Septicemia dos Potros (Salmonella abortus equi).

Suínos: Enterite Necrótica (Clostridium perfringens), Diarréia dos leitões (Escherichia coli), Meningite, Septicemia e Artrite (Streptococcus suis), Síndrome da Agalactia MMA (Escherichia coli, Streptococcus spp e, Klebsiella spp), Erisipela (Erysipelotrix rhusiopathiae), Abcessos e infecções de ferimentos (Staphylococcus sp e Streptococcus spp).

Ovinos: Artrite Infecciosa dos Cordeiros (Streptococcus genitalium), Poliartrite dos Cordeiros (Actinomyces pyogenes, Streptococcus faecalis, Fusiobacterium necrophorus), Endocardite (Streptococcus pyogenes), Linfadenite Caseosa (Corynebacterium pseudotuberculosis), Listeriose (Listeria monocytogenes), Carbúnculo Sintomático (Clostridium chauvoei) e Edema Maligno (Clostridium septicum).

EFEITOS ADVERSOS

As penicilinas são substâncias de baixa toxicidade, mais com alto índice de sensibilização. As seguintes reações foram relatadas durante o uso das penicilinas: erupção cutânea, edema de glote, febre, artralgia e prostração. Reações anafiláticas têm sido relatadas. Em raras ocasiões podem ocorrer reações de hipersensibilidade às penicilinas e estreptomicinas. Ocorrendo estas reações deve-se imediatamente administrar medicação adequada, tal como Epinefrina e/ou anti-histamínicos.

Administração e doses

Via(s)

IM Profunda

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 / 24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

3 a 5 dias até o desaparecimento dos sintomas

Doses

30 a 40 kg

Bovinos e Equinos

1 mL / animal

Modo de usar

Bovinos, Equinos, Suínos e Ovinos: Aplicar 1 ml para cada 30 a 40 kg de peso ou um frasco para cada 600 a 800 kg de peso, diariamente, durante 3 a 5 dias. O tratamento deve se prolongar por mais 48 horas após o desaparecimento dos sintomas.

Em 1 ml do produto reconstituído temos 0,43 g de pó em suspensão na seguinte proporção:

Benzilpenicilina Procaína: 200.000 UI

Benzilpenicilina Potássica: 50.000 UI

Benzilpenicilina Benzatina: 50.000 UI

Streptomicina (Sulfato): 134 g

Agrosil deve ser administrado por via intramuscular. Transferir para o frasco o conteúdo do diluente, com o auxílio de uma seringa, agitando bem, até obter uma suspensão homogênea.

OBSERVAÇÕES

Usar agulhas com diâmetro mínimo de 1 mm e tamanho de 25 a 30 mm.

Alterações na posologia e modo de uso a critério do Médico Veterinário.

Interações medicamentosas

Outras drogas neurotóxicas ou nefrotóxicas tais como as Cefalosporinas (especialmente a Cefaloridina), Polimixina B, Colistina, Vancomicina, Anfotericina B, diuréticos potentes tais como Ácido Etacrínico, Furosemida, Manitol, etc.

Tipo de Interação

Sequencial ou concomitante

Efeito Clínico

Com relação às penicilinas quando associadas ao Probenecide a excreção destas é sensivelmente diminuída, assim como são aumentados os níveis sanguíneos. Com relação à Estreptomicina, devido à similaridade com outros antibióticos Aminoglicosídeos as interações medicamentosas mencionadas abaixo precisam ser consideradas durante seu uso.

Conduta

Evitar

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Os antibióticos β-lactâmicos exercem seus efeitos bactericidas impedindo a síntese da parede celular bacteriana e rompendo a sua integridade. Os β-lactâmicos ligam-se a uma série de enzimas, conhecidas como proteínas de ligação de penicilina, que estão envolvidas nos estágios finais da síntese da parede celular. O anel β-lactâmico é um análogo estrutural da ponte peptídica final (D-alanina-D-alanina), que liga de forma cruzada as cadeias de peptideoglicano, as quais compõem a parede celular bacteriana.

O Sulfato de estreptomicina pertence ao grupo dos aminoglicosídeos, antibióticos bactericidas que interferem na síntese proteica ligando-se à subunidade 30 S do ribossomo, e para exercerem esse efeito há necessidade de penetrarem na célula bacteriana, por isso são associados aos antibióticos betalactâmicos para obter efeito sinérgico.

FARMACOCINÉTICA

As penicilinas se difundem pelo líquido extracelular e se distribuem por vários tecidos, não penetram no SNC em grande extensão; não são biotransformadas no organismo, sendo eliminadas pelos rins, 90% por secreção tubular (processo ativo que pode ser inibido pela probenecida) e 10% por filtração glomerular. A penicilina G potássica, apresenta latência de cerca de 30 min para atingir os níveis terapêuticos via injetável, e estes se mantêm de 4 a 6 h. A penicilina G procaína, por esta mesma via, tem latência de 1 a 3 h para atingir níveis terapêuticos, mantidos de 12 a 24 h, porém os níveis séricos são mais baixos. A penicilina G benzatina apresenta latência de 8 h, com níveis séricos podendo perdurar por 3 a 30 dias.

Os aminoglicosídeos se distribuem por vários tecidos, principalmente nos líquidos sinovial, pleural, peritoneal, pericárdico e perilinfa. A taxa de concentração leite-plasma é de aproximadamente 0,5. A meia-vida de eliminação dos aminoglicosídeos é curta, de 1 a 2 h. A eliminação renal, na sua forma inalterada, ocorre por filtração glomerular.

EFEITOS ADVERSOS

As penicilinas são substâncias de baixa toxicidade, mais com alto índice de sensibilização. As seguintes reações foram relatadas durante o uso das penicilinas: erupção cutânea, edema de glote, febre, artralgia e prostração. Reações anafiláticas têm sido relatadas. Em raras ocasiões podem ocorrer reações de hipersensibilidade às penicilinas e estreptomicinas. Ocorrendo estas reações deve-se imediatamente administrar medicação adequada, tal como Epinefrina e/ou anti-histamínicos.

Estudos

Não há nenhum estudo relacionado à este produto.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.