Nome da Raça

Charolês

Porte

Grande

Peso

900 kg

Produtividade

Alta

Introdução

Introdução

Essa raça foi melhorada unicamente para produção de carne, houve um aperfeiçoamento de sua estrutura corpórea. É utilizada em cruzamentos para melhorar outras raças por todo o mundo, sendo a referência em todas as pesquisas científicas relativas à produção de carne na França.

Origem

Essa raça veio de Charolais e Brionais, no Distrito de Charolles, na França. A partir do melhoramento genético, adquiriu aperfeiçoamento de massa corpórea e espessura da abundante massa muscular, sendo o principal gado para rebanhos de corte em 68 países dos cinco continentes. Chegou ao Brasil pelo Rio Grande do Sul em 1885, na cidade de Pelotas, pois ali se encontravam os estabelecimentos industrializados de carne e o crescimento da raça no Brasil se deu ali.

Cypriano de Souza Mascarenhas, estanceiro do município de Júlio de Castilhos, foi responsável por sucessivas importações de touros charoleses da França, indo contra a tendência do mercado Uruguaio de utilizar animais ingleses para produção de carne.

Em 1922, o governo da França doou ao governo brasileiro um plantel de 20 animais por ocasião da Grande Exposição Nacional, no Rio de Janeiro. Esses animais foram transferidos para o Goiás e, posteriormente, para o Rio Grande do Sul.

No Brasil, a raça é mais difundida no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo.

Nome original

Charolles

País de origem

França

Características gerais

Pelagem

Branco, creme e lobunos. Orelhas: médias e finas. Chifres: brancos ou amareladas, voltados para frente e para cima.

Aptidões

Bovinocultura de Corte

Aspectos reprodutivos

As novilhas parem pela primeira vez com três anos, se receberem alimentação adequada. Os bezerros nascem com, aproximadamente, 43 kg. A raça é conhecida por ter propensão a partos gemelares.

Sanidade

Os animais têm tolerância a diversas temperaturas e bom desempenho geral em diferentes sistemas. São relativamente resistentes a ecto e endoparasitas.

Comportamento e cuidados

Não Informado

Manejo

Nutricional

Capacidade de adaptação a qualquer tipo de forragem com alto rendimento de carcaça. Em campo, alcança até 65% do rendimento de carcaça, enquanto que em confinamento chega a 70%.

Referências bibliográficas