Nome da Raça

Sindi

Porte

Pequeno

Peso

550 kg

Produtividade

Média

Introdução

Introdução

Originado da região de Kohistan, província de Sindi, atual Paquistão. Veio para o Brasil em 1952, juntamente com a raça Gir.

Origem

Os primeiros animais chegaram no Brasil em 1952 em um avião pertencente a Felisberto de Camargo, então diretor do Instituto Agronômico do Norte (IAN). Foi um feito considerado excêntrico por muitos, com o intuito de estabelecer no Pará um centro de pesquisas para a raça Sindi. Até conseguir liberar os animais e seu uso, Fernando de Noronha serviu como local para quarentena desses animais, posteriormente foram encaminhados para Belterra, para Ilha de Marajó e alguns exemplares para ESALQ, em Piracicaba. Somente em Piracicaba foram desenvolvidas pesquisas e disseminação da raça entre o Estado de São Paulo.

Nome original

Red Sindhi

País de origem

Paquistão

Características gerais

Pelagem

Vermelha escura ao amarelo alaranjado. Manchas: pintas brancas. Machos: espáduas e coxas escuras. Focinho: claro. Úbere: claro. Redor das quartelas: claro. Chifres: grossos e voltados em curva para cima.

Aptidões

Dupla (Bovinocultura de Corte e Leite)

Aspectos reprodutivos

Ocorrem poucos problemas de parto, visto que os bezerros são pequenos. A raça tem eficiência reprodutiva em torno de 85% e o primeiro parto ocorre com, aproximadamente, 31 meses.

Sanidade

A raça tem excelente adaptabilidade ao clima tropical, possui bastante resistência a ecto e endoparasitas e, no geral, são resistentes a enfermidades.

Comportamento e cuidados

Não Informado

Manejo

Nutricional

Requer boas pastagens, boa suplementação alimentar e manejo adequado.

Referências bibliográficas