Uso do Marbopet® Comprimidos para tratamento de piodermite e afecções bucais em cães

Empresa

Ceva

Data de Publicação

17/05/2016

PDF

Produtos Relacionados

O desenvolvimento de mecanismos de resistência bacteriana a determinados antibióticos é considerado um dos maiores problemas para a saúde pública mundial, sendo uma crescente preocupação na medicina humana e veterinária. A busca por antibióticos efcazes, seguros e com amplo espectro de ação, é uma necessidade constante, no entanto, deve-se ressaltar a importância para tratamento de piodermite da escolha cuidadosa em seu emprego, de modo a minimizar o risco de seleção de bactérias resistentes. Marbopet® comprimidos é um antibiótico oral palatável para cães que contém em sua fórmula a marbofloxacina, que segundo VOULDOUKIS et al. (2006) é um princípio ativo pertencente à terceira geração quanto a estrutura química da molécula.

MODO DE AÇÃO

As fluorquinolonas penetram nas células através dos poros da membrana celular e acumulam-se rapidamente nas bactérias susceptíveis agindo por meio da inibição da DNA-girase ou da topoisomerase IV bacteriana, impedindo o espiralamento e a replicação do DNA. Desta forma, o metabolismo e a divisão celular, bem como, outros processos bacterianos são interrompidos, levando à perda da integridade da membrana celular e morte rápida do micro-organismo. Por possuir amplo espectro de ação, Marbopet® comprimidos atua em bactérias Gram positivas e Gram negativas, sendo indicado no tratamento de todas as infecções.

Num estudo realizado por Frazier D.L. et al (2000), que comparou a farmacocinética de fluorquinolonas (marbofloxacina, enrofloxacina, difloxacina e ciprofloxacina), foi demonstrado que o pico de concentração sérica de marbofloxacina foi signifcantemente superior às concentrações das outras substâncias testadas, o que resultou numa maior concentração plasmática em menor dose. (Fig. 1) 02 Por essa característica, a marbofloxacina é considerada um antibiótico efcaz, seguro e de baixa toxicidade para cães.

Fig.1 – concentração plasmática após 5 dias de doses diárias de marbofloxacina (2,75mg/Kg), enrofloxacina (5mg/Kg), difloxacina (5mg/Kg), ciprofloxacina (metabólito da enrofloxacina) administradas a 12 cães.

Eficácia e segurança do marbopet® comprimidos no tratamento de piordermite em cães

Foram selecionados 18 cães, machos e fêmeas, de raças e idades variadas, com diagnóstico confrmado de piodermite superfcial (13 animais) ou profunda (5 animais). As lesões foram submetidas à cultura - para identifcação do micro-organismo envolvido-, e antibiograma, sendo testada a sensibilidade aos seguintes antibióticos: marbofloxacina, ampicilina, cefoxitina, amicacina e amoxicilina com clavulanato. Todos os animais foram submetidos ao tratamento sistêmico por meio de comprimidos à base de marbofloxacina (Marbopet® comprimidos), na dose de 2,75mg/Kg, a cada 24 horas, por via oral, por um período mínimo de 21 dias para casos de piodermite superfcial e 30 dias para os casos de piodermite profunda. Os sintomas e sinais clínicos evidenciados na primeira consulta (alopecia, prurido, presença de crostas, epilação fácil, hipotricose, tonsura pilosa, eritema cutâneo, placas melicéricas e exsudação) foram minuciosamente avaliados e comparados ao término do tratamento. Para avaliação da segurança, os animais foram submetidos ao hemograma e avaliação bioquímica sérica da fosfatase alcalina, uréia e creatinina, antes e após a terapia, sendo também observada a ocorrência de êmese, anorexia, diarreia, emaciação, icterícia, reações farmacodérmicas e sialorréia.

Houve melhoria clínica após 15 dias de tratamento (Figuras 2 e 3). Dos 13 animais avaliados com piodermite superficial, 84,6% (11/13) apresentam 100% de melhora nos sinais clínicos 21 dias. E dos 5 animais com piodermite profunda 80% (4/5) também apresentam 100% de melhora nos sinais clínicos após 30 dias.

Em relação aos testes sanguíneos, a administração prolongada de marbofloxacina não ocasionou nenhuma alteração significativa nos parâmetros avaliados nos animais estudadis.

Segundo os proprietários dos animais avaliados, Marbopet comprimidos foi de fácil administração e de tamanho apropriado para consumo pelos animais.

Com base nos resultados desse estudo, verificou-se que a marbofloxacina (Marbopet comprimidos) apresentou um bom perfil de sensibilidade frente ao Staphylococcus intermedius. A partir da avaliação dos sintomas clínicos foi observada a efic´cia do uso de Marbofloxacina (Marbopet comprimidos) na dose de 2,75 mg/Kg, via oral, uma a duas vezes ao dia, até a completa remissão da piodermite superficial e profunda em cães.

Constatou-se ainda que o uso de Marbopet comprimidos foi seguro no tratamento e controle da piodermitecanina, já que não produziu efeitos colaterais significativos e nem alterações no hemograma e bioquímica sérica.

Eficácia e segurança do Marbopet comprimidos para tratamento de infecções bucais em cães

Foram selecionados 15 cães, machos e fêmeas, de raças e idades variadas, portadores de doenças orais (cáculos dentário, gengivite e periodontite), que justificam o tratamento cirúrgico e a utilização de antibiótico sistêmico.

Todos os cães foram a exame clínico com registro da saúde bucal em fichas odontológicas e fotografias, além de exames laboratoriais pré-operatórios - hemograma, bioquímica sérica e urinálise -, incluindo-se ainda o exame microbiológico da cavidade bucal e teste de sensibilidade antimicrobiana frente aosseguintes antibióticos: marbofloxacina, enrofloxacina, genta micina, norfloxacina,penicilina, ampicilina com ácido clavulânico, cefalexina e cefalotina.

Os animais foram tratados com marbofloxacina da dose 2,75mg/Kg, por via oral, a cada 24horas. Nos casos de gemgivite leve, recomendou-seo inicio do tratamento um dia antes do procedimento cirúrgico, e posteriormente, por três dias. Para cães com gengivite moderada a grave e periodontite, o tratamento foi iniciado três dias antes do procedimento cirúrgico e, posteriormente, por sete dias.

Após o término do tratamento foram realizados ezames bioquímicos do sangue com determiniação de uréia, creatina, transaminase pirúvica, urobilinog^rnio, bilirrubina, pH, presença de sangue e sedimentoscopia, com o objeitivo de detectar alterações sistêmicas e o estado da saúde bucal do animal. Foram ainda tomados registros fotográficos da cavidade oral para comparação em relação ao estado pré-operatório (Figuras 1 e 2).

Não houve diferença estatística signifcante em relação aos parâmetros bioquímicos (concentração sérica de ureia e creatinina, e determinação da atividade sérica da fosfatase alcalina) antes e após o tratamento com Marbopet® comprimidos nos animais estudados. Os animais foram submetidos ao procedimento cirúrgico para a remoção do cálculo dentário e tratados com Marbopet® comprimidos. Todos os animais se recuperam bem após procedimento cirúrgico, não sendo observado nenhum transtorno durante ou após o mesmo. Os cães tratados com marbofloxacina tiveram ótima resposta ao tratamento, sem o registro de ocorrências de efeitos adversos.

A partir dos resultados laboratoriais, exames clínicos e tratamento cirúrgico empregado no estudo, conclui-se:

• O tratamento com o Marbopet® comprimidos administrados a cães com gengivite leve (I) obteve um excelente resultado mesmo antes do tratamento cirúrgico.
• Para cães com gengivite moderada a grave (II e III) o resultado apresentou-se satisfatório após o tratamento.
• Para cães com periodontite a terapia utilizada resultou em melhora signifcante, reduzindo a halitose (redução do número de bactérias orais) e os efeitos causados pela ação da doença.
• O Marbopet® comprimidos foi bem tolerado pelos animais tratados, não sendo observados efeitos colaterais.

Conclusão

Marbopet® comprimidos é um antibiótico seguro e eficaz para diversas afecções bacterianas em cães.

Referências

SPRENG, M.; DELEFORGE, J.; THOMAS, V.; BOISRAMÉ, B.; DRUGEON, H. Antibacterial Activiy of marbofloxacin. A new fluorquinoloe for veterinary use against canine and feline isolates. Journal of Veterinary Pharmacology and Therapeutics, v.18, n. (4), p. 284-289, 1995. AIELLO, S.E., Manual Merck de Medicina Veterinária. São Paulo. Roca. 8. ed., 2001.

EMEA- The European Agency for the Evaluation of Medicinal Products. Committee for Veterinary Medicinal Products, Marbofloxacin, Summary Report(1), march, 1996.

FRAZIER, D. L.; THOMPSON, L.; TRETTIEN, A.; EVANS, E. I . Comparison of fluoroquinolone pharmacokinetic parameters after treatment with marbofloxacin, enrofloxacin, and dioxacin in dogs. Journal of Veterinary Pharmacology and Therapeutics. 23, 293–302, 2000.

CARLOTTI, D.N.; GUAGUERE, E.; PIN, D.; JASMIN, P.; THOMAS, E.; GUIRAL, V. - Therapy of difcult cases of canine pyoderma with marbooxacin: a report of 39 dogs. - Journal of Small Animal Practice. v. 40, p. 265-270, 1999.

VOULDOUKIS, I.; ROUGIER, S.; DUGAS, B.; PINO, P.; MAZIER, D.; & WOEHRLÉ, F. Canine visceral leishmaniasis: Comparison of in vitro leishmanicidal activity of marbofloxacin, meglumine antimoniate and sodium stibogluconate. Veterinary Parasitology, v.135, n.2, p.137-146, 2006

Farias, M.R. Avaliação de efcácia e segurança do produto Marbopet® comprimidos no tratamento da piodermite em cães (Canis familiaris). Paraná, 2007. Dados internos Ceva Saúde Animal