Eficácia anti-helmíntica da Ivermectina na forma de comprimido em cães naturalmente infectados por nematoides gastrintestinais

Empresa

UCBVET Saúde Animal

Data de Publicação

04/11/2016

PDF

Produtos Relacionados

Gisele Maria de Andrade*
(gisele@ucbvet.com.br)
M.V., Dra. em Medicina Veterinária pela UNESP/Jaboticabal
Depto. de PD&I Técnico, UCBVET Saúde Animal

Moacir Marchiori Filho
(moacir@ucbvet.com)
M.V., Dr. em Medicina Veterinária Preventiva pela FMVZ/USP.
Diretoria de Tecnologia e Qualidade, UCBVET Saúde Animal

Thaís Marino Silva Girio
(thais@ucbvet.com)
M.V., Dra. em Medicina Veterinária Preventiva pela UNESP/Jaboticabal Depto. Regulatório, UCBVET Saúde Animal

Carlos Roberto da Silva
(carlosroberto@gaiasaudeanimal.com.br)
M.V., Mestre pela UFU/MG Pesquisador: Gaia Pesquisa e Desenv. em Saúde Animal Ltda

Francisco de Sales Resende Carvalho
M.V., Dr. em Medicina Veterinária pela USP, Gaia Pesquisa e Desenv. em Saúde Animal Ltda

Raquel Amador Ré
(Raquel@ucbvet.com.br)
Química e Farmacêutica, Depto. de PD&I Analítico, UCBVET Saúde Animal

Armando Leonelo Neto
(armando.leonelo@ucbvet.com)
Farmacêutico, Depto. de PD&I Farmacotécnico, UCBVET Saúde Animal

Alice Tereza Sampaio de Matos
(alice.matos@ucbvet.com.br)
Química, Depto. de PD&I Analítico, UCBVET Saúde Animal

Marcelo Brunini
(marcelo.brunini@ucbvet.com)
M.D. FCM/UNICAMP, Presidente UCBVET Saúde Animal

* Autora para correspondência

RESUMO: O presente estudo foi realizado para avaliar a eficácia anti-helmíntica da ivermectina oral no controle de helmintos em cães. Foram utilizados cães sem raça definida (SRD), machos e fêmeas, naturalmente infectados por nematoides Ancylostoma sp, Toxocara sp e Trichuris sp. A parasitose foi confirmada pela quantificação de ovos por grama de fezes (OPG) através da técnica McMaster e identificação do gênero de helmintos antes do tratamento. Os cães foram divididos em dois grupos de sete animais, sendo que no primeiro foi administrada ivermectina a 0,2 mg/kg de peso corpóreo por via oral (Grupo 1) tratado com Ivermectan Pet*. O segundo não foi tratado (Grupo 2 controle). No Grupo 1 foram administradas duas doses com intervalo de sete dias entre elas (D0 e D+7). Os cães foram avaliados quanto ao parasitismo nos dias experimentais -7, +3, +7 e+14. No Grupo 1, a eficácia foi de 100% para a redução de OPG para as três espécies de nematoides a partir do dia +3, permanecendo com exames de OPG negativos até o final do período experimental. Diferenças significantes (p≤0,05) entre os grupos foram observadas nos dias +3,+7 e +14. A ivermectina por via oral na dose de 0,2 mg/kg foi eficaz na redução de OPG no grupo tratado contra as três espécies de nematoides.
Unitermos: Ancylostoma sp, cães, ivermectina, Toxocara sp, Trichuris sp

Introdução

As infecções causadas por nematoides gastrintestinais são muito comuns em cães no mundo inteiro. Essas infecções parasitárias são os principais fatores responsáveis pelo aumento da mortalidade e risco para a saúde pública pela possível transmissão de zoonoses aos seres humanos5,2,4. Os nematoides intestinais com significante potencial zoonótico são o Ancylostoma spp, Toxocara canis11 e Trichuris vulpis12.

Nos cães, os parasitas causam perda de peso, diarreia, caquexia, convulsões, obstruções intestinais e anemia, além disso, os animais se tornam susceptíveis a outros problemas de saúde que podem causar a morte9,17,15.

As endoparasitoses são tratadas normalmente com medicamentos anti-helmínticos. Atualmente existem muitos produtos com diferentes princípios ativos disponíveis para tratar e prevenir as parasitoses em cães1,19. Entre eles, destaca-se a ivermectina, pertencente à classe das avermectinas, originária do fungo actinomiceto Streptomyces avermectilis. Seu mecanismo de ação antiparasitário é estimular a liberação do neurotransmissor ácido gamaamino-butírico (GABA) na fenda sináptica do parasita provocando paralisia flácida da musculatura e consequentemente a sua morte3. O objetivo do presente estudo foi avaliar a eficácia anti-helmíntica da ivermectina comprimido administrada a cães naturalmente infectados por nematoides gastrintestinais.

Material e Métodos

O protocolo experimental do presente estudo foi aprovado pela Comissão de Ética no Uso de Animais da Empresa Gaia Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde Animal Ltda. (CEUA no 018/ 03-2012).

Quatorze cães, sem raça definida (SRD), com idade de 1 a 5 anos, (machos e fêmeas na mesma proporção), vacinados e não vermifugados nos últimos 90 dias anteriores ao início do estudo, pertencentes ao canil da Fazenda Experimental Cachoeira, em Abadia dos Dourados/MG foram utilizados neste estudo. Os animais foram selecionados baseado no exame de fezes pela contagem de ovos por grama de fezes (OPG) empregando o método quantitativo de McMaster7. A identificação do gênero de helmintos foi determinada pelas características morfológicas dos ovos observados nas fezes dos animais utilizando-se microscópio óptico (aumento de 425x) de acordo com Georgi8.

Os animais foram divididos aleatoriamente em dois grupos experimentais: G1 (tratado) formado por 7 cães que receberam ivermectina comprimido (Ivermectan Pet), 0,2 mg/kg de peso corpóreo em duas doses com intervalo de 7 dias entre um e outro tratamento, e o grupo G2 (controle) não foi tratado com nenhum medicamento. Os animais foram avaliados quanto aos parâmetros clínicos: temperatura, frequência cardíaca, frequência respiratória, grau de hidratação e avaliação das mucosas, e quanto aos parâmetros laboratoriais: hemograma, bioquímico e OPG, em tempos determinados durante o período experimental (Quadro 1).

Amostras de fezes foram colhidas individualmente e transportadas imediatamente para o laboratório nos tempos determinados e analisadas quanto ao número de OPGs, seguida de identificação de gênero dos helmintos encontrados de acordo com a técnica de McMaster7,8.

Quadro 1: Parâmetros avaliados e dias de avalição durante o período experimental

A porcentagem de eficácia foi mensurada de acordo com as médias aritméticas das contagens de ovos por grama de fezes, de acordo com a fórmula6:

Os dados obtidos foram analisados utilizando-se a metodologia proposta por Little & Hills13, onde os dados foram transformados em log (x+1) e submetidos ao programa estatístico INSTAT10.

Resultados e Discussão

Os resultados encontrados para os parâmetros clínicos, hematológicos e bioquímicos não apresentaram diferenças estatísticas significativas (p>0,05), entre o grupo tratado e o grupo controle, sendo os resultados encontrados situados dentro da faixa de referência para a espécie canina. Também foi demonstrado que os animais do grupo controle permaneceram infectados durante todo o período experimental, apresentando média de 585,71 ovos por grama de fezes (OPG) no início do estudo (D-7) e em D+14 média de OPG de 628,57 (Tabela 1).

Tabela 1: Contagens* individuais de ovos de helmintos (Ancylostoma sp, Toxocara sp, Trichuris sp) dos animais do grupo Controle e Tratado, e média nos momentos experimentais

* Soma dos resultados do número de ovos encontrados envolvendo as três espécies x25

Já no grupo tratado, a média no D-7 foi de OPG de 589,28, seguidas de médias de valor zero observados em D+3 permanecendo até o fim do estudo no D+14 (Tabela 1, Gráfico 1). Foi observada diferença significante nos valores médios de contagem de OPG entre grupo tratado e controle nos dias D+3, D+7 e D+14 (p≤0,05). Com relação à eficácia anti-helmíntica em função da redução de OPG para os gêneros Ancylostoma sp e Toxocara sp, os percentuais de redução máximo de OPG foram observados a partir de D+3, e os resultados obtidos nesse estudo estão em concordância com os encontrados por Verocai18, que também observaram redução de 100% na contagem de ovos por gramas de fezes (OPG) após a utilização de ivermectina na dose de 0,4 mg/kg pela via oral em cães. A redução da OPG também foi relatada por Mendonça14 após a administração de ivermectina 0,5 mg/kg associada a outras formulações em cães naturalmente infectados.

Gráfico 1: Redução na quantidade média de ovos de nematoides nos cães dos grupos Tratado e Controle durante o período experimental

Conclusão

A formulação Ivermectan Pet (UCBVET Saúde Animal), administrada na dose de 0,2 mg/kg com duas aplicações com intervalo de 7 dias nos animais naturalmente infectados alcançou níveis satisfatórios de eficácia anti-helmíntica de 100% em D+3 pós-tratamento, para os gêneros Ancylostoma sp, Toxocara sp e Trichuris sp. Essa redução foi observada até a última contagem de ovos de nematoides no D+14. O Ivermectan Pet utilizado na dose indicada também se mostrou seguro uma vez que os animais não apresentaram nenhuma reação de toxicidade pós-tratamento e os parâmetros fisiológicos se mantiveram dentro da normalidade.