Avaliação Nutricional para Cães com Cardiopatias

Empresa

Total Alimentos - Equilíbrio

Data de Publicação

07/07/2014

Produtos Relacionados

Descrição da Doença

A cardiopatia é o termo que usamos para descrever doença cardíaca. Existem diversos tipos de doença cardíaca, sendo três as mais comumente observadas na clínica de pequenos animais: a cardiomiopatia dilatada e a doença degenerativa da valva mitral em cães e a cardiomiopatia hipertrófica nos gatos. A doença cardíaca tem diversos estágios, sendo que a alimentação terapêutica pode variar conforme o estádio da doença.

Segundo o American College of Veterinary Internal Medicine (ACVIM) a classificação da doença valvar crônica da mitral em cães pode ser representada pelos estágios abaixo:

  • A - Paciente com risco de desenvolvimento de insuficiência cardíaca, mas nenhuma anormalidade cardíaca estrutural aparente identificada.
  • B - Anormalidade estrutural cardíaca evidente (ex: sopro), mas sem sinais clínicos de insuficiência cardíaca.
  • B1 - pacientes assintomáticos, sem sinais de remodelamento cardíaco ao ecodopplercardiograma e radiografia torácica.
  • B2 - pacientes assintomáticos, com sinais de remodelamento cardíaco ao ecodopplercardiograma e radiografia torácica.
  • C - Pacientes com sinais de insuficiência cardíaca congestiva associada à anormalidade estrutural cardíaca.
  • D - Pacientes com doença cardíaca avançada e insuficiência cardíaca congestiva refratária à terapia usual.

Considerações nutricionais importantes para a redução dos sinais e sintomas da doença cardíaca

Baixo Sódio: Ajuda a controlar os sinais clínicos associados à hipertensão ou retenção de sódio e fluidos (ascite/edema).

Baixo teor de fósforo: auxilia na manutenção da função renal.

Taurina: ajuda na contratilidade cardíaca e previne a hipertrofia dos miócitos.

Ômega-3: auxilia na perfusão sanguínea atuando melhorando a circulação sanguínea; menor produção de citocinas caquetizantes, melhora do apetite e redução de arritmias.

Potássio: importante eletrolítico para manter a função cardíaca. O uso de diuréticos pode levar à hipocalemia e piorar o quadro cardíaco, portanto a utilização de quantidades maiores de potássio na alimentação ajuda na manutenção do funcionamento cardíaco. Vale lembrar que, embora o uso de diuréticos cause perda de potássio através da urina, aqueles tratados com inibidores da enzima conversora de angiotensina excretarão menos potássio.

Magnésio: importante para algumas reações enzimáticas. A diminuição exagerada de magnésio pode causar risco de arritmias e diminuição da contração do coração. Vitaminas do complexo B e Magnésio em maior quantidade ajudam a repor a perda destes nutrientes, no caso da utilização de diuréticos.

L-Carnitina: necessária para transportar as gorduras dos ácidos graxos de cadeia longa – AGCL nas mitocôndrias do músculo cardíaco. A suplementação de L-Carnitina favorece a produção de energia pelo miocárdio.

A proteína do soro de leite: contém vários componentes bioativos que podem ter efeito positivo sobre a saúde cardiovascular. Certos peptídeos bioativos podem proteger contra a hipertensão, inibindo a enzima conversora da angiotensina (ECA).

Tratamento com Rações Terapêuticas

O tratamento pode ser realizado através da utilização de rações terapêuticas, tal como a ração Equilíbrio Veterinary - Cardiac CA - Canino.

Indicação

  • Insuficiência cardíaca congestiva
    (Ascite / Edema Pulmonar / Efusão Pleural / Edema Periférico)
  • Hipertensão arterial primária

Modo de Uso

Recomendação diária de consumo.
(Uma xícara de chá contém aproximadamente 85 g)

Peso do Cão Qtde. Diária
1 kg 23 g
2,5 kg 45 g
3 kg 52 g
7 kg 98 g
10 kg 128 g
15 kg 173 g
20 kg 215 g
25 kg 254 g
30 kg 292 g
35 kg 327 g
40 kg 362 g
45 kg 395 g
50 kg 428 g
60 kg 491 g

  • Estas são as quantidades sugeridas. As porções podem variar de acordo com a idade, atividade e temperamento do cão.
  • Mantenha água fresca e limpa disponível todo o tempo.
  • Leve o cão periodicamente ao veterinário.
  • Caso o cão não esteja sendo alimentado com Equilíbrio Veterinary - Cardiac CA - Canino, recomenda-se que a substituição seja feita gradualmente ao longo de 5 dias.

Contraindicação

  • Gestação, lactação e crescimento;
  • Paciente com quadro de depleção de sódio;
  • Hipoadrenocorticismo;
  • Hiperlimidemia, pancreatite (histórico ou risco).

Período de Administração

  • Energia metabolizável: 4212 Kcal/Kg;
  • É de grande importância, para o sucesso do tratamento, o animal não receber outros tipos de alimentos (caseiros ou industrializados);
  • Sempre utilize esse produto com critério, sem excluir a terapia com fármacos.

Protocolo Criado por

Luciano Pereira

CRMV 6482-SP

Referências

ATKINS C.; BONAGURA J.; ETTINGER S.; FOX P.; GORDON S.; HAGGSTROM J.; HAMLIN R.; KEENE B.; LUIS-FUENTES V.; STEPIEN R. Guidelines for the Diagnosis and Treatment of Canine Chronic Valvular Heart Disease. Journal of Veterinary Internal Medicine, v.26, p.1142-50, 2009.

BOON, J. A. Veterinary echocardiography. 2nd ed., Blackwell publishing, 2011.

FREEMAN L. M.; RUSH J. E.; MARKWELL P. J. Effects of Dietary Modification in Dogs with Early Chronic Valvular Disease. Journal of Veterinary Internal Medicine v. 20, p. 1116-1126, 2006.

OLSEN L. H.; HÄGGSTRÖM, J.; PETERSEN, H. D. Acquired valvular heart disease. In: ETTINGER, S. J.; FELDMAN, E. C. Textbook of veterinary internal medicine. Vol. 2. 2nd ed. Saint Louis: Saunders Elsevier, 2010. p. 1299-1314.

SCHOBER, K.E.; HART, T.M.; STERN, J.A.; LI, X.; SAMII, V.F.; ZEKAS, L.J.; SCANSEN, B.A.; BONAGURA, J.D. Detection of congestive heart failure in dogs by Doppler echocardiography. Journal of Veterinary Internal Medicine, v. 24, n.6, p. 1358-1368, 2010.

WARE, W. A. Cardiovascular disease in small animal medicine. Londres: Manson Publishing, 2007.