Linha Canex no combate à giardíase. Confira!

Empresa

Ceva

Data de Publicação

30/04/2018

PDF

Produtos Relacionados

Dentre os protozoários de maior importância na clínica veterinária de animais de companhia, destacase Giardia intestinalis pela sua alta incidência, gravidade dos sintomas, diculdade de tratamento e potencial zoonótico.

Este protozoário apresenta-se em duas formas principais:

  • • Trofozoíto: forma ativa, móvel, encontrada no trato gastrointestinal.
  • • Cisto: estágio latente e resistente, responsável pela transmissão do agente.

O cisto é sensível ao calor e à dessecação, porém pode sobreviver por vários meses fora do hospedeiro em condições propícias (terrenos com elevada umidade e baixas temperaturas).

A giardíase: transmissão, ciclo, sintomas e diagnóstico

TRANSMISSÃO E CICLO

O cisto é a forma infectante do protozoário. Os cães são infectados a partir da ingestão de água e/ou alimentos contaminados com cistos oriundos das fezes de outro animal doente, sendo mais comum em áreas de aglomeração de cães como canis, clínicas veterinárias e parques.

No intestino, eles se rompem e liberam os trofozoítos, que penetram o epitélio intestinal causando danos estruturais por provocar redução na área de superfície das microvilosidades. Esta redução diminui a eficiência da digestão, resultando em uma variedade de distúrbios gastrointestinais.

Uma vez infectado, o animal elimina os cistos nas fezes, após um período de pré-patência de 1 a 2 semanas. Todo animal com giardíase, apresentando ou não sintomas, eliminará os cistos, tornando-se um importante foco de contaminação ambiental.

Uma vez no ambiente, o cisto é muito resistente a produtos de limpeza comuns e pode sobreviver por longos períodos tanto em locais frios e úmidos quanto em climas quentes e secos.

Por este motivo, é necessário que após a retirada das fezes do ambiente – medida recomendada para se evitar a dispersão dos cistos – utilizemse produtos desinfetantes à base de amônia quaternária, ou ainda, vapor d´água fervente ou vassoura de fogo para limpeza do local.

SINTOMAS CLÍNICOS

Os sintomas mais comuns são fezes amolecidas de odor fétido, desconforto intestinal pela formação de gases e episódios de diarreia aguda associados ou não à desidratação.

Outras possíveis manifestações clínicas incluem vômito e motilidade intestinal aumentada, perda de peso e, em alguns casos, inapetência.

DIAGNÓSTICO

Os métodos de avaliação fecal são os mais indicados, sendo o sulfato de zinco a 33% a solução mais eficaz e com a vantagem de ser econômico e permitir o diagnóstico de outros agentes parasitários.

Quando se suspeita de giardíase, o resultado negativo de uma única amostra não é conclusivo, sendo o ideal examinar pelo menos três amostras fecais em um intervalo de uma semana, pois uma das características do protozoário é a eliminação intermitente de cistos pelas fezes.

Controle e tratamento de giardíase em cães

CONTROLE E TRATAMENTO

Medidas de desinfecção ambiental são fundamentais para o controle da doença, evitando-se a reinfecção dos animais.

Para isto, após a retirada das fezes para prevenção da disseminação dos cistos, recomenda-se a limpeza do ambiente com uma solução de amônia quaternária (deixando-a agir por 30 a 40 minutos), ou ainda, água fervente ou vapor d´agua, durante 5 minutos.

Tais medidas são eficazes na inativação dos cistos. Uma vez que o protozoário é sensível a locais secos, recomenda-se evitar umidade no ambiente, principalmente antes da reintrodução dos animais.

Ambientes com grande exposição à luz solar podem favorecer o controle da doença. Os animais devem ser banhados antes de voltar ao local, o que implica em lavá-los com xampu, visando a remoção dos cistos aderidos à pelagem.

Para tratamento da giardíase recomenda-se o uso de vermífugos a base de febendazol, albendazol ou febantel.

O febantel, presente em Canex® Premium e Canex® Plus 3, é um medicamento que após absorvido e metabolizado em benzimidazol, interfere com o metabolismo energético dos parasitos, resultando no seu esgotamento energético, e causando sua morte.

Um estudo realizado para se avaliar a eficácia do vermífugo Canex® Premium (à base de Pamoato de Pirantel, Praziquantel, Febantel e Ivermectina) no tratamento da giardíase foi conduzido com 5 cães naturalmente infectados por Giardia sp com idade variando entre 3 e 6 meses.

No dia seguinte à administração do produto verificou-se uma diminuição acentuada de cistos nas amostras fecais, e do 5º ao 24º dia póstratamento não se detectou mais a presença de cistos.

Conclui-se que o Canex® Premium na dose recomendada em bula foi eficaz na eliminação de cistos em animais infectados por Giardia sp (SESPO; 2011).

A eficácia de Canex® Plus 3 no controle de giardíase em cães

Um outro estudo foi realizado com 12 animais da raça Beagle com idade variando entre 1 e 5 anos, naturalmente infectados por Giardia sp.

Seis animais do grupo tratado receberam 01 comprimido para cada 10kg de Canex® Plus 3 (produto à base de Pamoato de Pirantel, Praziquantel e Febantel), por três dias consecutivos, e seis animais do grupo controle foram mantidos sem tratamento.

Dos animais tratados, 100% apresentaram-se negativos para cistos no 7º,8º e 9º dias após o término do tratamento, ao passo que no grupo controle todos os animais foram positivos para a pesquisa de cistos nos mesmos tempos.

Concluiu-se que a administração de Canex® Plus 3 na dose recomendada (01 comprimido para cada 10kg de peso corporal), durante 3 dias consecutivos, foi eficaz no controle de giardíase em cães (SESPO; 2011).