Betaglucana

Empresa

Mundo Animal

Data de Publicação

16/07/2018

Produtos Relacionados

Betaglucana (β-glucana) é um polissacarídeo constituinte estrutural da parede celular de leveduras, fungos e alguns cereais, que se diferenciam pelo tipo de ligação entre as unidades de glicose da cadeia principal e pelas ramificações que se conectam a essa cadeia.

Nas últimas décadas estes polímeros vem recebendo especial atenção por sua bioatividade, principalmente no que se refere a imunomodulação. Além disso, inúmeros efeitos benéficos como antitumoral, anti-inflamatório, antimutagênico, hipocolesterolêmico e hipoglicêmico têm sido relacionados à β-glucanas.

A modulação da β-glucana inclui a ativação de macrófagos e linfócitos polimorfonucleares, além da indução da expressão de diversas citocinas. Alguns polissacarídeos, como β-glucanas obtidas de fungos, bactérias e leveduras pertencem a uma classe de substâncias conhecidas como modificadores da resposta biológica, pois alteram a resposta no hospedeiro pelo estímulo do sistema imune.

Esses polímeros ativam a resposta imune via sistema complemento, diretamente ou, com auxílio de anticorpos, e produzem fatores quimiotáticos que induzem a migração de leucócitos para o sítio da infecção.

A β-glucana é designada como um modificador da resposta biológica, pois, ao ser reconhecida pelo organismo possui a capacidade de desencadear uma série de eventos na resposta imune. As respostas à β-glucana em vertebrados têm início com o reconhecimento por receptores presentes na superfície celular.

Estes receptores já foram identificados em células imunes como macrófagos/monócitos, neutrófilos e células natural killer (NK). Além disso, também foram descritos em células não imunes como endoteliais, fibroblastos, do epitélio alveolar e de Langerhans.

O efeito imunomodulador das β-glucanas está envolvido tanto na imunidade humoral quanto na celular. O sistema imune do hospedeiro é estimulado pela β-glucana em resposta à formação de tumores e contra infecções.

Existem diversos relatos que comprovam o efeito imunomodulatório em infecções de origem bacteriana, fúngica e parasitária. Tudo isso, estimula as diversas fases da imunidade do animal, ajudando a combater alguma doença, reduzindo a propensão de infecções.

Os mananoligossacarídeos (MOS) são oligossacarídeos derivados das paredes de leveduras, que não são hidrolisados pelas enzimas digestivas do intestino delgado, sendo moderadamente fermentados no cólon por Lactobacillus spp. e Bifidobacterium spp.

Os MOS apresentam a capacidade de modular o sistema imunológico e a microbiota intestinal, bloqueiam a aderência das bactérias patogênicas ao ocupar os sítios das células epiteliais da mucosa do intestino (exclusão competitiva) e induzem a ativação dos macrófagos, saturando os receptores de manose das glicoproteínas da superfície celular.

Em função deste efeito modulador da microbiota intestinal, os MOS podem contribuir para a saúde intestinal e, por conseguinte para a melhoria da qualidade das fezes dos cães.

Os frutooligossacarídeos (FOS) ou oligofrutoses são oligossacarídeos resistentes, isto é, carboidratos complexos de configuração molecular que os tornam resistentes à ação hidrolítica da enzima salivar e intestinal, atingindo intactos o cólon.

O FOS é formado a partir da hidrólise da inulina pela enzima inulase e desempenha diversas funções fisiológicas no organismo, como a alteração do trânsito intestinal, promovendo: redução de metabólitos tóxicos; prevenção de câncer de cólon; redução do colesterol plasmático e da hipertrigliceridemia; melhora da biodisponibilidade de minerais, além de contribuir para o aumento da concentração das bifidobactérias no cólon.

Por isso o FOS tem efeito prebiótico, pois é um ingrediente alimentar não digerido, que resulta em beneficio ao hospedeiro pela estimulação seletiva do crescimento e/ou ativação do metabolismo de uma ou de um número limitado de bactérias no cólon.

O selênio é necessário para o correto funcionamento do sistema imune do animal. O efeito imuno-modulatório do selênio ocorre por três mecanismos: efeitos antiinflamatórios, sistema antioxidante, e propriedades citostáticas e anticancerígenas.

Doses suplementares de selênio melhoram a resposta imunológica e protegem contra certas infecções virais conferindo adicionais benefícios à saúde. A deficiência de selênio pode afetar tanto a imunidade natural quanto a imunidade adquirida.

O triptofano, conhecido também como L-triptofano é um aminoácido essencial utilizado pelo cérebro para produzir a serotonina, um neurotransmissor importante nos processos bioquímicos do sono e do humor.

O triptofano por ser um aminoácido essencial, o organismo não é capaz de produzir e é preciso ingeri-lo por meio da alimentação. Ele participa do crescimento normal e da síntese protéica, além de regular diversos mecanismos fisiológicos, sendo encontrado na corrente sanguínea ou em proteínas transportadoras.

Dra. Jéssica Moreira
Médica Veterinária
CRMV-SP 35.614