A escolha do analisador de Hematologia “in house”

Empresa

IDEXX

Data de Publicação

17/09/2018

PDF

Produtos Relacionados

Um hemograma completo é essencial para a avaliação do estado geral de saúde de um paciente e também de potenciais doenças subjacentes. O hemograma é parte integrante da avaliação diagnóstica de exames pré-anestésicos, de um perfil sênior ou mesmo exames de rotina atestando saúde e devem sempre ser reavaliados em pacientes com anormalidades anteriores em seus eritrócitos, leucócitos ou plaquetas.

A vantagem de obtermos resultados imediatos e proporcionarmos melhor atendimento ao paciente tem motivado cada vez mais clínicas a investir em analisadores de hematologia automatizados.

Desde o advento do contador Coulter, nos anos 50, os analisadores hematológicos melhoraram substancialmente, provendo a contagem diferencial mais precisa de células de 2-, 3- ou 5- partes, de forma automatizada, dispendendo consideravelmente menos tempo e técnica para tal.

Analisadores de hematologia "in house" podem ser agrupados de acordo com a tecnologia em análise quantitativa do creme leucocitário (Quantitative Buffy Coat pelo VAR), contadores por impedância e citometria de fluxo a laser. Equipamentos de hematologia podem representar um investimento significativo para a clínica veterinária. Um forte conhecimento da tecnologia subjacente e as capacidades dos vários analisadores são necessários para fazer a escolha mais bem informada. 

O método do VAR classifica as células com base na densidade e coloração dos componentes celulares. Sob a centrifugação em alta velocidade o sangue separa-se em plasma, a capa leucocitária (que contém os glóbulos brancos e plaquetas), e as células vermelhas do sangue. 

Os analisadores VAR são fáceis de usar e muito econômicos, exigem pouca ou nenhuma manutenção e são eficientes na triagem de amostras normais de hematologia. 

Os principais inconvenientes são: a incapacidade de proporcionar uma completa análise diferencial de 5 partes, pois os linfócitos são agrupados com os monócitos e, em felinos e equinos, há a incapacidade de diferenciar os eosinófilos relatados na contagem de granulócitos. 

Contadores de impedância são baseados no princípio de Coulter. O método Coulter de análise de tamanho e contagem de partículas é baseado na alteração da resistência enquanto as partículas passam através de uma pequena abertura entre dois eletrodos. Como as células são classificadas em tamanho por si só, nem todos os leucócitos podem ser diferenciados uns dos outros.

Os glóbulos vermelhos nucleados e plaquetas agregadas possuem o mesmo tamanho relativo aos leucócitos e podem ser classificados erroneamente como glóbulos brancos e plaquetas grandes, assim como pequenos aglomerados de plaquetas podem ser contadas como eritrócitos. 

Outro problema significativo com os sistemas baseados em impedância, é que eles exigem a utilização de reagentes líquidos para o ciclo normal do equipamento e envolve uma quantidade considerável de manutenção e limpeza, o que pode aumentar o preço por teste. Analisadores de impedância possuem preços moderados e fornecem resultados rápidos, mas eles não podem fornecer uma completa análise diferencial de 5 partes dos leucócitos ou contagem de reticulócitos.

A citometria de fluxo a laser é a tecnologia mais precisa e recente para um analisador automático de células. É o método utilizado na maioria dos laboratórios de referência para determinar a contagem diferencial de leucócitos.

Como as células passam através de um feixe de laser, o padrão da luz difundida por células individuais registra o tamanho da célula, as características nucleares, e os conteúdos citoplasmáticos, fornecendo uma completa análise diferencial óptica de 5 partes.

Alguns analisadores provém uma contagem absoluta de reticulócitos para cães e gatos, que é o padrão ouro na classificação de anemias. Esta tecnologia pode ser um pouco mais cara do que as outras metodologias disponíveis e era limitada anteriormente apenas aos laboratórios de referência. 

As características internas dos analisadores de hematologia variam muito. Os profissionais devem pesar os prós e contras de cada equipamento antes de decidir qual é o mais apropriado para a prática (Tabela 1).

Independente do equipamento, os veterinários devem interpretar todos os resultados do analisador com uma avaliação da lâmina do esfregaço do sangue periférico, que fornece informações valiosas sobre as alterações morfológicas celulares que aparelhos automáticos não podem fornecer.

Como amostras hematológicas são particularmente vulneráveis a mudanças ao longo do tempo, analisadores "in-house" oferecem os benefícios da informação imediata e confiável para triagem, diagnóstico e monitoramento da saúde de seus pacientes.