Golden Retriever - Guia Técnico

Empresa

Total Alimentos - Equilíbrio

Data de Publicação

31/01/2019

PDF

Produtos Relacionados

O Golden Retriever é um cão cativante que faz sucesso por onde passa, e por isso é hoje uma das raças de porte grande mais populares.

História da Raça

O Golden Retriever teve sua origem no Reino Unido, mais precisamente na Escócia. A seleção foi iniciada por Sir Dudley Marjoriebanks quando adquiriu no ano de 1865 o único exemplar amarelo de uma ninhada de cães pretos do tipo Retriever (subdivisão de um grupo de raças que são aptas a trazer ou recuperar presas abatidas).

Esse cão foi acasalado posteriormente com uma fêmea Tweed Water Spaniel, uma raça extinta e que tinha grande aptidão para trabalho nas águas frias do Reino Unido. A intenção era unir a habilidade de trazer presas com a de trabalhar na água, com grande disposição e capacidade de nado.

Outros cruzamentos foram feitos a partir de Retrievers de pelo ondulado, outros cães d’água como o Water Spaniel, além do Setter, buscando firmar as aptidões e chegar à aparência física que conhecemos hoje. Após anos de cruzamentos foi criada a linhagem que deu origem ao Golden Retriever, já no fim do século XIX.

Em 1903 a raça foi aceita pelo Kennel Club da Inglaterra. Atualmente, além de companhia, os Golden Retrievers são utilizados como cães-guia para deficientes visuais, cães terapeutas para crianças e idosos, e também para detecção de armas, drogas e para trabalho em resgate de vítimas de desastres.

Padrão da Raça

  • Porte: grande
  • Tamanho: 51 a 61cm
  • Peso esperado para o adulto: 25kg a 35kg
  • Longevidade: 12 a 13 anos
  • Pelagem: Pelo liso a ondulado, cor dourada ou creme.
  • Temperamento: Afetuoso, brincalhão e muito dócil. Possui natural habilidade para o trabalho. Ótimo para crianças e outros pets.
  • Nível De Atividade: Um cão muito ativo que necessita de atividade física diariamente para manter a saúde muscular e seu bem estar psicológico.
  • Aptidão Da Raça: Companhia, para trabalho de caça (busca de presa), resgate em acidentes e como Cão-Guia.

Saúde Articular

Por questões genéticas e pelas características físicas da raça, como o porte e anatomia do esqueleto, o Golden Retriever tem uma predisposição para o desenvolvimento de problemas articulares. A displasia coxofemoral é o principal deles, seguida de perto pela osteoartrite.

Displasia Coxofemural

Trata-se de uma doença crônica que afeta a articulação coxofemoral dos cães, com desenvolvimento de osteoartrose por consequência da incongruência das superfícies articulares. Sua transmissão é principalmente hereditária, sendo uma herança recessiva, intermitente e poligênica.

A displasia coxofemoral é caracterizada por uma frouxidão dos tecidos ao redor da articulação. Ocorre uma má formação da cabeça do fêmur e do acetábulo, criando uma predisposição a luxação ou subluxação.

Desenvolvimento da doença

As articulações dos cães acometidos têm suas estruturas e funcionalidade normais ao nascimento, e a medida que o filhote cresce começa a ocorrer uma instabilidade resultante da incongruência das superfícies. Devido à pressão que a articulação suporta, a cartilagem e as superfícies ósseas sofrem com o impacto constante dos movimentos do cão, apresentando uma série de lesões nessas estruturas.

O estresse contínuo sobre a cartilagem intensifica sua degeneração, promovendo a exposição da superfície óssea. Ocorre então a morte de condrócitos superficiais e alterações na matriz cartilaginosa. As propriedades biomecânicas da estrutura são assim alteradas, tornando a cartilagem ainda mais susceptível ao estresse mecânico e a degeneração resultante do processo inflamatório.

Conforme o processo evolui, surgem lesões ósseas decorrentes de micro lesões no osso adjunto (osteófitos) e espessamento da capsula articular. Com o tempo e a cronificação da doença, a articulação vai perdendo seu formato anatômico, com um rasamento do acetábulo e deformação da cabeça do fêmur.

Osteoartrite

A osteoartrite é também uma doença crônica degenerativa de evolução lenta e gradual. Caracteriza-se pela degradação da cartilagem articular, gerando impacto no osso subcondral (abaixo da cartilagem). Pode ser primária, associada ao envelhecimento normal e sem uma causa específica definida, ou secundária, decorrente de anormalidades que causam instabilidade articular (como a displasia coxofemural, fraturas ósseas, ruptura de ligamento, entre outras).

Desenvolvimento da doença

A osteoartrite ocorre quando o processo bioquímico reparador da cartilagem e das superfícies ósseas se torna degenerativo, e a reparação substitui o tecido sadio por um cicatricial. Com a degeneração articular, o osso subcondral fica exposto à carga que a articulação recebe diariamente. A partir daí há um remodelamento ósseo patogênico em resposta às agressões físicas sofridas diariamente.

Sinais Clínicos

  • Claudicação uni ou bilateral;
  • Dorso arqueado;
  • Andar bamboleante;
  • Rejeição a exercícios;
  • Dificuldade de levantar-se e de subir degraus.

A saúde articular é baseada na manutenção da integridade do tecido cartilaginoso. Ao fornecermos quantidades superiores de Condroitina, Glicosamina e Ômega 3, estamos dando ao animal condições para reparar e manter a função da articulação por muito mais tempo.

Condroitina

O sulfato de condroitina é capaz de estimular a síntese de cartilagem e a reparação tecidual. Também possui efeito anti-inamatório (inibe IL-1 e metaloproteinases), e estimula a produção de outros glicosarninoglicanos (GAGs), seno benéca no tratamento da osteoartrite. É encontrada principalmente na cartilagem hialina, e junto com outros GAGs forma um gel hidratado que preenche a maior parte do espaço extracelular, fornecendo suporte mecânico para as articulações. 

Glicosamina

É um precursor dos GAGs. Um dos seus mecanismos de ação é a redução da taxa de degradação de proteoglicanos, que são proteínas extracelulares do tecido cartilaginoso que conferem rigidez para a matriz, protegendo a articulação. Atua também diretamente nos condrócitos estimulando a síntese dos proteoglicanos.

Outro mecanismo de ação importante é a inibição da síntese e da atividade de mediadores inflamatórios, como o óxido nítrico e a prostaglandina E2. Estudos in vitro confirmam que a glicosamina pode ajudar na reconstrução da cartilagem lesionada.

Ômega-3

Devido às suas propriedades anti-inflamatórias é indicado para a prevenção e controle dos problemas articulares. O Ômega 3 contém o EPA (ácido eicosapentaenoico), que é um precursor de moléculas moduladoras que reduzem a inflamação. Por isso, sua adição na dieta auxilia no controle dos quadros inflamatórios, proporcionando alívio da dor e melhorando a mobilidade e o bem-estar. Possui também ação antioxidante que neutraliza radicais livres, e melhora a qualidade da pelagem. Para um melhor resultado é importante que exista um equilíbrio na ingestão dos Ômegas 3 e 6.

Saúde Intestinal

Por questões genéticas e pelas características físicas da raça, como o porte e anatomia do esqueleto, o Golden Retriever tem uma predisposição para o desenvolvimento de problemas articulares. A displasia coxofemoral é o principal deles, seguida de perto pela osteoartrite.

A Barreira Intestinal

Na camada superficial das vilosidades intestinais, são encontrados os enterócitos. São células epiteliais que participam da absorção e formam uma barreira que impede a entrada de agentes patogênicos, toxinas, antígenos e substâncias pró-inflamatórias através de mecanismos de permeabilidade seletiva. 

Os enterócitos identificam e selecionam o que pode e deve ser absorvido. A eficiência dessa barreira depende também das junções (tight junctions), compostas por proteínas que unem os enterócitos, impedindo a passagem de substâncias indesejadas. Além dos enterócitos, diversos componentes atuam na manutenção dessa barreira. 

No lúmen intestinal há a presença da microbiota, compondo a primeira camada de defesa. A função desses microrganismos residentes é de modular a permeabilidade intestinal, aumentar a motilidade do tecido e auxiliar no processo de digestão e absorção dos nutrientes. Os enterócitos identificam e selecionam o que pode e deve ser absorvido. 

A eficiência dessa barreira depende também das junções (tight junctions), compostas por proteínas que unem os enterócitos, impedindo a passagem de substâncias indesejadas. Além disso, eles auxiliam no controle das bactérias patogênicas através da competição pelos sítios de ligação, evitando a colonização e invasão do epitélio pelos agentes infecciosos. 

Microbiota intestinal

A microbiota intestinal é essencial para a proteção geral do organismo dos cães e sua formação acontece desde o momento do nascimento, quando essas bactérias benéficas são introduzidas através da amamentação e tornam-se parte da população residente deste órgão.

Para criar uma microbiota saudável é fundamental uma alimentação adequada que forneça nutrientes que irão estimular a sua proliferação. Por outro lado, quando a dieta está desequilibrada, a tendência é que ocorra a chamada disbiose, um desequilíbrio na população desses microorganismos.

As consequências da disbiose são muitas e interferem na saúde geral do cão, uma vez que afeta diretamente o intestino, órgão fundamental para a nutrição e para o mecanismo de defesa natural do organismo. A consequência mais importante da disbiose é a hiperpermeabilidade da membrana epitelial do intestino.

Essa hiperpermeabilidade é decorrente da lesão da mucosa que quando desprotegida diminui sua ação seletiva, aumentando a probabilidade da entrada de agentes patogênicos na circulação. O processo inflamatório decorrente da disbiose causa um desequilíbrio dos mecanismos fisiológicos do intestino, podendo causar diarreia, gases, má digestão e absorção, além de predispor a uma série de doenças metabólicas e alérgicas.

Presença de Fibras Funcionais

As fibras funcionais são prebióticos resistentes aos processos de digestão, sendo fermentadas seletivamente por bactérias benéficas no intestino. O consumo de prebióticos modula a microbiota intestinal.

Insulina

É um Frutooligossacarídeo (FOS) - naturalmente presente em alguns vegetais, e abundante na raiz de chicória e na alcachofra.

Mananoligossacarídeos (MOS)

São fibras de fermentação moderada oriundas da parede das leveduras Saccharomyces cerevisiae.

Polpa de Beterraba

É considerada uma excelente fonte de fibra para os cães devido à combinação de fibras solúveis (prebióticas) e insolúveis.

Benefícios

  • Modulam a velocidade da absorção dos carboidratos, contribuindo para regulação dos níveis de glicose no sangue;
  • Protegem a integridade da superfície intestinal;
  • Ligam-se a toxinas facilitando a sua eliminação;
  • Estimulam o crescimento da microbiota benéfica (Lactobacillus spp. e Bifidobacterium spp.) e, consequentemente, ajudam a reduzir a carga bacteriana possivelmente patogênica (Clostridium perfringens e Escherichia coli)
  • O produto de sua fermentação permite a produção de ácidos graxos de cadeia curta. Esses componentes participam das funções intestinais, possuem um papel anti-inflamatório e têm sido relacionados como moduladores do sistema imunológico.

Redução Do Volume Das Fezes

Equilíbrio Raças Específicas Golden Retriever utiliza somente ingredientes de alta digestibilidade, contribuindo para uma redução do volume de fezes.

Carboidratos De Alta Digestibilidade: Arroz E Mandioca

Arroz e mandioca são as principais fontes de carboidratos utilizadas na formulação de Equilíbrio Golden Retriever. São fontes ideais de energia não transgênicas, livres de glúten, e que possuem alta digestibilidade para os cães.

Fonte Principal de Proteína: Frango

Os produtos desta linha utilizam prioritariamente carne de frango como fonte de proteínas. Além de possuírem um alto valor biológico por conterem todos os aminoácidos essenciais na proporção ideal, o uso de uma fonte exclusiva facilita ao clínico a identificação da proteína estimuladora do processo alérgico caso o paciente seja sensível à proteína em questão.

Extrato de Yucca e Zeólita

A associação do extrato da planta Yucca schindigera com o mineral Zeólita potencializa a redução, em mais de 50%, do odor dos excrementos do animal devido a ingredientes ativos que diminuem a formação de amônia resultante do processo fermentativo bacteriano.

No caso do extrato de Yucca, o mesmo age como fonte de fibra alternativa, auxiliando no trânsito intestinal, melhorando a absorção dos nutrientes e contribuindo para o crescimento e atividade de microrganismos benéficos ao intestino.

Desenvolvimento Cognitivo de Cães em Crescimento

O desenvolvimento neurológico de cães em crescimento é influenciado pela genética, pelo ambiente e pela nutrição. Em relação à nutrição, o DHA é considerado um nutriente fundamental nesta fase da vida. O DHA é um ácido graxo essencial do tipo Ômega 3, importante para o desenvolvimento sensorial, perceptivo e cognitivo durante o crescimento cerebral dos cães.

Dietas enriquecidas com DHA para cadelas em gestação e lactação e para os seus filhotes está relacionado com a melhoria do desenvolvimento neurológico durante o crescimento do filhote.

As primeiras unidades funcionais dos circuitos cerebrais são feitas através das membranas neuronais. A presença do DHA nas membranas neuronais regula a expressão gênica, media a sinalização celular, melhora a base elétrica para a formação da memória e aumenta a capacidade de aprendizado de cães jovens.

Na natureza, a fonte primária de DHA é o leite materno, e a inclusão desse nutriente na dieta visa manter o aporte após o final da lactação, maximizando assim seus efeitos benéficos.

Neurônio saudável: transmissão do impulso nervoso ocorre 

Saúde Cognitiva Durante o Envelhecimento

A medida que o cão envelhece, ocorre uma queda da capacidade cognitiva decorrente da neurodegeneração natural. Os neurônios são vulneráveis ao dano oxidativo porque são células muito especializadas que não se dividem e tem uma vida longa. Estudos mostram que dietas ricas em antioxidantes ajudam a minimizar esses danos, melhorando a capacidade de aprendizado e memória em cães idosos.

Durante o envelhecimento, os níveis de metabólito tóxicos nas células nervosas aumentam, levando a uma rigidez da membrana neuronal. As funções dessa membrana incluem a condução da informação ao longo do axônio, a regulação de enzimas, a atividade dos canais iônicos e a manutenção dos receptores. Os ácidos graxos do tipo Ômega 3 são capazes de aumentar fluidez da membrana neuronal.

O DHA é essencial para a manutenção das funções das células cerebrais, exercendo um efeito anti-inflamatório através da síntese de eicosanoides com propriedades protetivas. Estudos têm associado baixos níveis séricos de DHA com problemas cognitivos em animais idosos.

Ultimamente, temos observado um aumento na expectativa de vida dos cães. O envelhecimento por si só não representa uma condição patológica, mas traz a necessidade de uma série de cuidados para garantir o bem-estar do animal.

Mudanças Fisiológicas no Cão Idoso

Alterações Celulares

Equilíbrio Raças Específicas - Golden Retriever conta com os antioxidantes naturais Vitamina E, Vitamina C, o mineral Selênio e os ácidos graxos do Ômega 3. Os antioxidantes são substâncias capazes de neutralizar os radicais livres, moléculas instáveis e tóxicas para as células.

Fisiologicamente, enzimas se encarregam de anular os radicais livres produzidos em excesso. Com o envelhecimento esse mecanismo se torna menos eficiente, permitindo um maior número de radicais livres circulantes. Isso leva a um dano celular frequente (estresse oxidativo), que pode iniciar processos patológicos em diversos tecidos.

A ação conjunta dos antioxidantes presentes na Equilíbrio ajuda na prevenção da formação dos radicais livres, e também na neutralização dos que estão circulantes, reduzindo os danos celulares que ocorrem em animais idosos.

Composição Corporal e Metabolismo

Com o passar dos anos ocorre uma queda na taxa metabólica basal, associada a uma redução gradual de massa magra e aumento proporcional de tecido adiposo.

A fórmula de Equilíbrio Golden Retriever conta com quantidades equilibradas de gorduras, utiliza apenas proteínas de alto valor biológico e contém L-Carnitina, que auxilia o metabolismo de gorduras no organismo. 

Alterações Imunológicas

Com o passar dos anos ocorre uma queda na taxa metabólica basal, associada a uma redução gradual de massa magra e aumento proporcional de tecido adiposo.

A fórmula de Equilíbrio Golden Retriever conta com quantidades equilibradas de gorduras, utiliza apenas proteínas de alto valor biológico e contém L-Carnitina, que auxilia o metabolismo de gorduras no organismo. 

Alterações Cardiovasculares

Com a perda geral do tônus muscular há uma diminuição do débito cardíaco e perda de flexibilidade das válvulas em cães idosos. A adição de Taurina e L-Carnitina, visa ajudar a manter a saúde cardíaca no Golden Retriever.

Alterações no Aparelho Digestivo

Praticamente todos os animais mais velhos apresentarão acúmulo de cálculo dentário, com consequente doença periodontal na maioria dos casos. O Hexametafosfato de Sódio presente na fórmula de Equilíbrio ajuda a reduzir a mineralização da placa bacteriana (precursora do cálculo dentário).

A capacidade de absorção intestinal pode se reduzir em animais idosos. Equilíbrio contém Minerais Quelatados na sua fórmula. Esses minerais são associados com uma molécula orgânica (aminoácido), facilitando consideravelmente sua absorção, aumentado a biodisponibilidade desses nutrientes. 

Referências Bibliográficas

BROWN, D.C. What can we learn from osteoarthritis pain in companion Clinical Experimental Rheumatology, 107(5): 53-58, 2017.

SÁNCHEZ-MOLANO, E. et al. Assessing the impact of genomic selection against hip dysplasia in the Labrador Retriever dog. J Anim Breed Genet, 131(2): 134-145, 2014.

BHATAL, A. et al. Glucosamine and chondroitin use in canines for osteoarthritis: A review.OpenVet J. 7(1):36-49, 2017.

PATTERSON, E., WALL, R., FITZGERALD, G.F. et al. Health implications of high dietary omega-6 polyunsaturated Fatty acids.J Nutri Metabolism, 2012: 539426, 2012.

VERDE, C.R. et al. Therapeutic and hematological effects of native and low molecular weight condroitin sulphate administered orally in horses with experimental arthritis.Rev ElectrónicaVet REDVET, 7(1):1-23, 2006.

WALL, R. et al. Fatty acids from fish: the antiiflammatory potential of long-chain omega-3 fatty acids.Nutrition Reviews, 68(5): 280-289, 2010.

BELOSHAPKA, A.N. et al. Fecal microbial communities of healthy adult dogs fed raw meat-based diets with or without inulin or yeast cell wall extracts as assessed by 454 pyrosequencing. FEMS Microbiol Ecol, 84(3): 532-541, 2013.

CARCIOFI, A.C. Fontes de proteína e carboidratos para cães e gatos. R. Bras. Zootec, 37:28-41, 2008.

GODOY, M.R.C.; KERR, K.R.; FAHEY, G.C. Alternative Dietary Fiber Sources in Companion Animal Nutrition. Nutrients., 5(8): 3099–3117, 2013.

PATRA, A. K. Responses of feeding prebiotics on nutrient digestibility, faecal microbiota composition and short-chain fatty acid concentrations in dogs: a meta-analysis. Animal: an international Journal of Animal Bioscience, 5(11):1743-50, 2011.

BUTT, C. M. Docosahexaenoic acid (DHA) in development and aging. Journal of Veterinary Behavior, 5(3): 155, 2010.

JANSSEN, C.; KILIAAN, A. J. Long-chain polyunsaturated fatty acids (LCPUFA) from genesis to senescence: the inuence of LCPUFA on neural development, aging, and neurodegeneration. Progress in lipid research, 53:1-17, 2014.

LANDSBERG, G. M.; DEPORTER, T.; ARAUJO, J. A. Clinical Signs and Management of Anxiety, Sleeplessness, and Cognitive Dysfunction in the Senior Pet. Veterinary Clinics: Small Animal Pratice, 41(3):565-590, 2011.

LEI, E.; VACY, K.; BOON, W.C. Fatty acids and their therapeutic potential in neurological disorders. Neurochem Int

ZICKER, S.C. et al. Evaluation of cognitive learning, memory, psychomotor, immunologic, and retinal functions in healthy puppies fed foods fortied with docosahe

BIAGI, G.; PINNA, C. The utilisation of prebiotics and synbiotics in dogs. Italian Journal of Animal Science, 13(1):3107, 2014.

Butt, C.M. Docosahexaenoic acid (DHA) in development and aging. J Vet Behavior. 5(3):155, 2010.

GRAY, K. et al. The effect of 48-hour fasting on taurine status in healthy adult dogs. J. Animal Physiology Animal Nutrition, 100(3): 532-536, 2016.

Sagols, E.; Priymenko, N. Oxidative Stress in Dog with Heart Failure: The Role of Dietary Fatty Acids and Antioxidants. Vet Med Int, 2011:180206, 2011.

Zaine, L. et al. Nutracêuticos imunomoduladores com potencial uso clínico para cães e gatos. Semina: Ciências Agrárias, 35(4):2513-2530, 2014.