Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Acepromazina

Classificaçāo

Sedativo

Receita

Controle Especial - Veterinário

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Cada 1 mL contém:

Acepromazina 2,0 mg

Veículo q.s.p. 1,0 mL

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Acepran 0,2%, frasco-ampola (20 mL)
  • - Acepran 1%, frasco-ampola (20 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Acepran 0,2% é indicado para cães como sedativo e tranquilizantes para facilitar procedimentos diagnósticos, contenção para exames e radiografias, tratamento de feridas e abscessos, sondagem uretral, procedimentos cirúrgicos menores e nos casos onde se deseja obter um efeito tranquilizante e de indiferença aos estímulos excitantes do meio.

Acepran 0,2% é especialmente indicado para transporte de animais, pois promove tranquilização, sonolência e também atividade antiemética.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Derivados da fenotiazina podem potencializar a toxicidade de organofosforados a atividade da procaína. Desta maneira, não utilize ACEPRAN 0,2% para controlar tremores associados a envenenamentos por fosforados. Não utilize associado ao cloridrato de procaína. A acepromazina, assim como outros fenotiazínicos, é detoxificada no fígado, portanto deve ser empregada com cautela em animais com disfunção hepática ou leucopenia.

EFEITOS ADVERSOS

Tranquilizantes são potentes depressores do sistema nervoso central e podem causar uma acentuada sedação, com supressão do sistema nervoso simpático. Tranquilizantes podem induzir prolongada depressão ou impossibilidade de locomoção quando aplicados em dosagens excessivas ou em animais sensíveis. Tranquilizantes são aditivos na ação, para o emprego de outros depressivos e irão potencializar a anestesia geral.

Devem ser administrados em pequenas doses e com grande atenção durante a anestesia geral e também em animais exibindo sintomas de stress, debilidade, doenças cardíacas, hipovolemia ou choque. Hipotensão pode ocorrer após rápida injeção intravenosa, causando colapso cardio-vascular. Animais braquicefálicos (em especial cães da raça boxer) podem apresentar síncope ou choque após administração de fenotiazínicos, devido à elevação do tônus vagal econsequente severa bradicardia. Nestes casos, somente se aconselha o uso de fenotiazínicos nestas raças em baixas dosagens ou associados à atropina. Eventualmente, podem ocorrer reações idiossincráticas a acepromazina em alguns animais, caracterizadas por excitação paradoxal e desordens comportamentais adversas. Os reflexos protetores, tais como laríngeos, faríngeos e oculopalpebrais mantêm-se presentes durante o uso dos derivados fenotiazínicos. Sendo assim, nos casos em que pretende-se realizar anestesias inalatórias,recomenda-se utilizar drogas parafacilitar a intubação endotraqueal. 

Administração e doses

Via(s)

IV

IM

SC

Videos da(s) via(s)

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

025 - 0,1 mL / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

A dose deve ser estabelecida individualmente, dependendo do grau de tranquilização requerido. Para cães de grande porte (acima de 30 kg): recomendamos utilizar o intervalo menor de dose. Os efeitos sedativos começam de 2 a 13 minutos após a aplicação intravenosa e 6 a 18 minutos após aplicação intramuscular, proporcionando de 40 a 140 minutos de sedação e 60 a 130 minutos de sedação respectivamente.

Interações medicamentosas

Cloridrato de Procaína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Potencialização da atividade do Cloridrato de Procaína

Conduta

Incompatível

Organofosforados

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Potencialização da toxicidade do organofosforado

Conduta

Incompatível

Observações da interação

Não utilizar para controle de tremores por envenenamento por fosforados e estricninas

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A Acepromazina é um derivado fenotiazínico de terceira série (adrenolítico) usada frequentemente na rotina anestésica, tanto por seu efeito tranquilizante, quanto pela potencialização de agentes anestésicos barbitúricos, não-barbitúricos e dissociativos. Os fenotiazínicos têm pouca atividade analgésica. A atividade principal da Acepromazina é o bloqueio dos receptores pós-sinápticos dopaminérgicos mesolímbicos no cérebro. A deficiência da dopamina, uma catecolamina neurotransmissora, provoca sinais de dismetria, deambulação, apatia, indiferença ao meio, sonolência e decúbito lateral. Como antiemético, os fenotiazínicos inibem a zona medular disparadora do vômito.

EFEITOS ADVERSOS

Tranquilizantes são potentes depressores do sistema nervoso central e podem causar uma acentuada sedação, com supressão do sistema nervoso simpático. Tranquilizantes podem induzir prolongada depressão ou impossibilidade de locomoção quando aplicados em dosagens excessivas ou em animais sensíveis. Tranquilizantes são aditivos na ação, para o emprego de outros depressivos e irão potencializar a anestesia geral.

Devem ser administrados em pequenas doses e com grande atenção durante a anestesia geral e também em animais exibindo sintomas de stress, debilidade, doenças cardíacas, hipovolemia ou choque. Hipotensão pode ocorrer após rápida injeção intravenosa, causando colapso cardio-vascular. Animais braquicefálicos (em especial cães da raça boxer) podem apresentar síncope ou choque após administração de fenotiazínicos, devido à elevação do tônus vagal econsequente severa bradicardia. Nestes casos, somente se aconselha o uso de fenotiazínicos nestas raças em baixas dosagens ou associados à atropina. Eventualmente, podem ocorrer reações idiossincráticas a acepromazina em alguns animais, caracterizadas por excitação paradoxal e desordens comportamentais adversas. Os reflexos protetores, tais como laríngeos, faríngeos e oculopalpebrais mantêm-se presentes durante o uso dos derivados fenotiazínicos. Sendo assim, nos casos em que pretende-se realizar anestesias inalatórias,recomenda-se utilizar drogas parafacilitar a intubação endotraqueal. 

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.