Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Xilazina

Classificaçāo

Sedativo

Receita

Controle Especial - Veterinário

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL contém:

Cloridrato de xilazina (equivalente a 2 g de xilazina base) 2,3 g

Veículo q.s.p. 100,0 mL

ARMAZENAMENTO

Mantenha este, ou qualquer outro medicamento, fora do alcance de crianças e animais domésticos. Conversar o produto em local fresco e seco, ao abrigo da luz solar.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Anasedan Injetável, frasco-ampola (30 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

CANINOS E FELINOS: Permite que sejam executadas suturas, exames radiológicos, coleta de sangue, passagem de sonda uretral, extrações dentárias e de tártaro, limpeza de ouvidos e de feridas cirúrgicas. Devido ao seu efeito miorelaxante de ação central, associado ao efeito sedativo e analgésico, ANASEDAN pode ser usado para realizar diversas manobras ortopédicas (redução de fraturas, luxações, torções, etc).

ANASEDAN pode ser associado a outras drogas obtendo-se excelentes resultados.

A associação com anestésicos locais permite intervenções cirúrgicas mais profundas, sendo ideal para cirurgias em animais idosos e debilitados, nos quais não se deseja a administração de anestésicos gerais.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Utilizar com cautela em animais com severas cardiopatias, hepatopatias, nefropatias e depressão respiratória. Não associar com outros tranquilizantes.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Efeitos na Gestação: a xilazina não é uma droga abortiva nem teratogênica, no entanto, causa um aumento do tônus do miométrio e diminuição da pressão intra-uterina em alguns animais, devido a sua ação sobre os alfa-2-receptores, razão pela qual, recomenda-se evitar o uso de xilazina no último mês de gestação.

Administração e doses

Via(s)

IV

IM

SC

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Intervalos a critério do médico veterinário.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

Sedação por 1 a 2 horas e analgesia por 15 a 30 minutos.

Doses - Cães e Gatos

Comum

1,5 mL / 10 kg

calcular

Associação com barbitúricos

0,5 - 1 mL / 10 kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Se após a administração de ANASEDAN ocorrer uma excessiva depressão respiratória, recomenda-se a aplicação de analépticos respiratórios, como por exemplo, cloridrato de doxapram.

Também se deve ter cuidado com a administração de ANASEDAN em animais em estado de choque e sob severas condições de estresse. Recomenda-se o uso de atropina em doses padrão, antes ou depois da administração de ANASEDAN, para evitar a ocorrência de eventuais bradicardias ou bloqueios atrio-ventriculares parciais.

Interações medicamentosas

Adrenalina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Arritmia ventricular

Conduta

Evitar o uso

Barbitúricos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeitos depressores

Conduta

Ajustar dose

Cetamina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Inibição da depressão profunda do sistema cardiovascular provocado pela Xilazina, além de reduzir a catatonia que a Cetamina produz

Conduta

Ajustar dose

Halotano

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Arritmia ventricular

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Na associação de xilazina com Cloridrato de cetamina, recomenda-se a dosagem de 0,1 mL/kg de ANASEDAN e de 0,06 a 0,1 mL/kg de Dopalen.

FARMACODINÂMICA

ANASEDAN provoca nos animais um estado de sedação e um alto grau de analgesia, cuja profundidade depende da dose utilizada. Também produz um acentuado relaxamento muscular generalizado. A analgesia é produzida por estimulação dos alfa-receptores periféricos e centrais. A xilazina não produz excitação e apresenta grande poder anestésico reversível que se caracteriza pelo bloqueio do impulso nervoso.

A sedação é induzida, principalmente, através da estimulação dos alfa-2-receptores centrais. Após a sedação, provoca analgesia e relaxamento muscular, quando administrada em cães e gatos.

A xilazina possui um certo efeito emético, principalmente em gatos e ocasionalmente em cães, quando a droga é administrada pela via intramuscular. A emese é menos frequente quando a administração é pela via intravenosa. O efeito emético pode ser desejado em cirurgias de emergência, onde não é possível submeter o animal a jejum prévio.

Efeitos Cardiovasculares: quando administrada pela via endovenosa, a xilazina produz bradicardia nos animais que não receberam pré-medicação anticolinérgica.

Esta bradicardia é devida ao reflexo baro-receptor do sinus carotídeo em resposta à hipertensão que ocorre após a administração da xilazina. Além disso, a xilazina diminui a atividade simpática e aumenta a atividade vagal. Nos cães, a xilazina produz uma diminuição do fluxo sanguíneo aórtico. Em alguns animais, a administração intramuscular de xilazina produz uma pequena diminuição ou nenhuma alteração na pressão arterial.

Efeitos Respiratórios: em cães e gatos, após a administração de xilazina, não se observam alterações no pH arterial, PaO2 e PaCO2. Em alguns animais, observa-se uma diminuição da frequência respiratória.

Efeitos Digestivos: Em alguns animais, a xilazina pode causar distensão gástrica aparentemente devida a aerofagia e relaxamento do esfíncter gastro-esofágico, o qual pode resultar em refluxo do conteúdo gástrico.

De forma geral, causa diminuição do peristaltismo intestinal devido à inibição da acetilcolina no plexo de Auerbach.

Efeitos Endócrinos: a xilazina produz uma diminuição das concentrações plasmáticas de insulina, devido a sua ação sobre os alfa-2-receptores das células beta pancreáticas que inibem a secreção insulínica. Também causa um aumento das concentrações plasmáticas de glicose e do hormônio do crescimento. Outros efeitos endócrinos são transitórios e de menor importância clínica.

Efeitos Renais: a xilazina produz um aumento do fluxo urinário.

FARMACOCINÉTICA

A xilazina, após a administração intramuscular, é rapidamente absorvida, sofrendo posteriormente uma intensa bio-transformação. Cerca de 20 metabólitos foram identificados.

O metabolismo da droga nas diferentes espécies é rápido e sua vida média varia de 23 a 50 minutos, dependendo do estresse, técnicas anestésicas utilizadas, do metabolismo e da sensibilidade individual.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Efeitos na Gestação: a xilazina não é uma droga abortiva nem teratogênica, no entanto, causa um aumento do tônus do miométrio e diminuição da pressão intra-uterina em alguns animais, devido a sua ação sobre os alfa-2-receptores, razão pela qual, recomenda-se evitar o uso de xilazina no último mês de gestação.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Distribuidores Ceva

Ceva

E-MAIL

sac@ceva.com

TELEFONE

0800-770-0355

REGIÕES ATENDIDAS

Todo o Brasil

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.