Informações

Substância(s) Ativa(s)

Carprofeno

Tipo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE)

Apresentações e concentrações

  • - Carprodyl 100 mg, comprimido (14 un)

INDICAÇÕES

CARPRODYL é indicado como anti-inflamatório e analgésico. CARPRODYL é clinicamente eficaz no alívio da dor e da inflamação, inclusive de sinais associados à osteoartrite em cães.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em animais com histórico de hipersensibilidade ao carprofeno. Não se recomenda o uso do produto em cães com menos de 6 semanas de idade ou idosos ou em animais destinados à reprodução, pois estudos de segurança de uso do carprofeno nestas situações não foram conclusivos. O produto não deve ser utilizado em pacientes humanos. Consultar um médico em caso de ingestão acidental. NÃO UTILIZAR EM FELÍDEOS.

CARPRODYL não é recomendado para cães com desordens hemorrágicas, com transtornos hepáticos e renais.

Espécie de animal

Canino

Interações

Antiinflamatórios não-esteroidais

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Úlceras gastrintestinais e toxicidade renal

Conduta

Evitar o uso

Captopril

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do captopril

Mecanismo de Ação

Dependente da ação das prostaglandinas sobre a vasodilatação para que haja efeito sobre os rins

Conduta

Evitar o uso

Corticosteróides

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Úlceras gastrintestinais e toxicidade renal

Conduta

Evitar o uso

Furosemida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Dependente da ação das prostaglandinas sobre a vasodilatação para que haja efeito sobre os rins

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Utilização

Via

Oral

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

A dose total: 24/24 horas Metade da dose: 12/12 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

14 dias

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido contém:

Carprofeno 100,00 mg

Excipiente q.s.p. 2260,00 mg

OBSERVAÇÕES

CARPRODYL 100mg possui forma de trevo com dois vincos, permitindo seu fracionamento em 4 partes iguais e o tratamento de animais de diferentes pesos. A dosagem deve ser calculada e ajustada com aumento de 1/4 de comprimido. Os comprimidos são palatáveis e facilmente consumidos pelos cães. Estes podem, portanto, ingerir CARPRODYL quando oferecido pelo tratador, ou misturado à ração, carne ou qualquer outro alimento que agrade ao animal. O uso concomitante de CARPRODYL com outro AINE ou corticosteróide deve ser evitado.

ARMAZENAMENTO

MANTENHA ESTE, OU QUALQUER OUTRO MEDICAMENTO, FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS E ANIMAIS DOMÉSTICOS. CONSERVAR O PRODUTO EM LOCAL FRESCO E SECO, AO ABRIGO DA LUZ SOLAR.

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Suspender o uso e buscar auxílio veterinário imediato caso haja alguma reação adversa. CARPRODYL deve ser armazenado em local seguro, visto que são comprimidos palatáveis aos animais.

Doses

Recomendado

Cães

1 comprimido / 20 kg

calcular

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O carprofeno, ingrediente ativo do Carprodyl, é membro da classe de anti-inflamatórios não estroidais (AINEs) conhecida como ácido aril-propiônico. O mecanismo de ação do carprofeno, assim como de outros AINEs não está completamente estabelecido. Dados de excelente ação antiedematosa e analgésica, indicam que a ação do carprofeno não ocorre somente devido à inibição das prostaglandinas, podendo haver ações de efeitos centrais, gerando, consequentemente, menores efeitos colaterais no trato gastrintestinal.

FARMACOCINÉTICA

Quando administrado por via oral em cães, o carprofeno apresenta biodisponibilidade acima de 90%. O fármaco, como todos os AINEs, encontra-se em sua maior porcentagem ligado às proteínas plasmáticas (mais de 99%). Em tecidos inflados há extravasamento de proteínas do compartimento vascular, favorecendo a ação local do carprofeno, uma vez que sua concentração no exsudato inflamatório excede, quase sempre, a do plasma. O tempo de ação não é dependente da meia-vida de eliminação do fármaco, há outros fatores que estão relacionados como: 1) os AINEs tendem a se acumular no exsudato inflamatório, do qual são depurados mais lentamente que no plasma, 2) depois da administração oral a absorção continua a medida que a droga vai sendo metabolizada e excretada. Os picos de concentração plasmática são atingidos em 0,5 -2 horas após a administração oral de 2 a 7,5 mg/kg em cães. A meia-vida de eliminação média od carprofeno, em cães, é de aproximadamente 8 horas(variação de 4,5 a 9,8 horas) após administração oral. Em cães, ocorre a metabolização/biotransformação hepática através dos mecanismos de conjugação e oxidação. Os metabólitos resultantes são excretados via fezes (70 a 80%) e urina (10 a 20%). Ocorre pequena circulação entero-hepática dos metabólitos do fármaco, aproximadamente 34% da dose.

EFEITOS ADVERSOS

O Carprofeno pode desencadear efeitos adversos decorrentes da inibição da ciclo-oxigenase, principalmente em animais com doenças prévias.

Insuficiência renal, desidratação, hipotensão, condições associadas a “baixo volume circulatório efetivo” (deficiência cardíaca, ascite, terapia diurética), trombocitopenia, doença de Von Willebrands, coagulopatias, úlcera gástrica, desordens gastrintestinais, doença do disco intervertebral, alterações hepatobiliares, são condições que requerem minuciosa avaliação do clínico previamente ao uso do produto, uma vez que há a possibilidade de alterações clínicas adversas significativas. A susceptibilidade ao fármaco, associada com efeitos adversos, varia de acordo com a individualidade do paciente. Os proprietários devem ser alertados quanto aos possíveis sinais de toxicidade potencial à droga. Como o fígado e os rins de neonatos e idosos não são totalmente funcionantes, a meia-vida dos medicamentos nestes indivíduos é maior.

Reações adversas sérias associadas ao carprofeno podem ocorrer repentinamente, podendo ser fatais (raramente).

O uso de carprofeno pode desencadear reações adversas. Distúrbios gastrintestinais como vômito e diarréia são os efeitos colaterais mais associados.

As reações adversas devem ser de conhecimento do clínico e do proprietário, a saber:

Trato gastrintestinal: vômito, diarréia, inapetência, melena, hematemese, ulceração péptica, gastrite, pancreatite

Fígado: inapetência, vômitos, anormalidades nos testes de função hepática, hiperbilirrubinemia, hiperbilirrubinúria, hipoalbuminemia, toxicidade hepática aguda

Sistema nervoso: ataxia, paresia, paralisia, tremores musculares, sinais vestibulares, agressividade

Rins: incontinência urinária, poliúria, polidipsia, azotemia, insuficiência renal aguda, infecção do trato urinário, necrose tubular aguda, acidose e glicosúria

Comportamento: excitação, sedação, letargia

Alterações hematológicas: anemia e trombocitopenia imunomediadas, anemia por hemorragia, epistaxe, equimose

Pele: descamação cutânea, prurido, alopecia, paniculite necrotizante/vasculite, dermatite úmida aguda.

Alterações imunológicas ou de hipersensibilidade: edema facial, eritema, urticária.

Raros episódios fatais relacionados às reações acima citadas já foram descritos.

O proprietário deve ser orientado para descontinuar o tratamento caso alguma alteração adversa seja observada.

O médico veterinário deve ser imediatamente consultado caso sejam verificados sinais de toxicidade relacionados ao fármaco ou qualquer outro efeito colateral ao medicamento relacionado.

Alterações comportamentais, neurológicas e gastrintestinais normalmente são resolvidas com a descontinuidade do tratamento.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não se recomenda o uso do produto em cadelas gestantes ou em lactação.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Testes laboratoriais hematológicos e bioquímicos devem ser considerados antes e periodicamente durante a administração.

MONITORAMENTO

O monitoramento periódico ao longo do tratamento também é indicado.

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório