Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Dipirona

Classificaçāo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE), Analgésico, Antipirético

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco e fresco, entre 15°C a 30°C, ao abrigo da luz solar, fora do alcance de crianças e animais domésticos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Dipirona 500 mg, comprimido
  • - Dipirona 1 g, comprimido
  • - Dipirona 50 mg/mL, solução oral
  • - Dipirona 500 mg/mL, gotas
  • - Dipirona 500 mg/mL, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Analgésico indicado para o tratamento da dor aguda, dores viscerais, de intensidade leve a moderada, dor pós-operatória, bem como controle da febre.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O produto não deve ser administrado a animais que apresentem hipersensibilidade à dipirona.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos colaterais incluem agranulocitose, leucopenia e convulsões. Pode provocar hipotermia grave quando associado a clorpromazina. A administração IM pode provocar reação local e formação de abscessos (ANDRADE & JERICÓ, 2008)

SUPERDOSAGEM

Em animais hipersensíveis, a dipirona administrada via IV pode causar choque anafilático.

Administração e doses

Via(s)

IM

Oral

IV

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

6/6 horas

8/8 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

25 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Ciclosporina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da ciclosporina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo da Ciclosporina

Conduta

Ajustar dose

Furosemida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Conduta

Monitorar pressão arteial e diurese

Losartano

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão e nefrotoxicidade

Conduta

Evitar o uso

Propanolol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Conduta

Monitorar pressão arterial

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo de ação da dipirona ainda não é muito bem estabelecido, mas acredita-se que haja o envolvimento de atividades centrais e periféricas, através da inibição da ciclooxigenase, resultando na inibição da formação de prostaciclinas, prostaglandinas e tromboxano (IMAGAWA, 2006), impedindo a sensibilização dos nociceptores e hiperalgesia, agindo como outros AINEs, porém sua atividade anti-inflamatória é fraca (TASAKA, 2006).

FARMACOCINÉTICA

Em cães, a meia-vida deste composto é de cerca de 5-6 horas. É bem absorvida por via sistêmica.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

A condição hematológica do animal deve ser controlada, quando são necessários tratamentos prolongados. Entretanto, a ocorrência de agranulocitose é imprevisível, não dependendo da dose, podendo ser provocada por uma dose mínima ou após diversas semanas de tratamento, ou por ocasião de uma readministração.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos colaterais incluem agranulocitose, leucopenia e convulsões. Pode provocar hipotermia grave quando associado a clorpromazina. A administração IM pode provocar reação local e formação de abscessos (ANDRADE & JERICÓ, 2008)

SUPERDOSAGEM

Em animais hipersensíveis, a dipirona administrada via IV pode causar choque anafilático.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

ANDRADE, S.F.; JERICÓ, M. M. Antiinflamatórios. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008

FLÔR, P. B. Avaliação da eficácia e segurança do emprego do tramadol para anlgesia em cães portadores de dor oncológica. 2006. 88f. Dissertação (Mestrado em Clínica Cirúrgica Veterinária) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. Universidade de São Paulo, São Paulo.

IMAGAWA, V.H. Avaliação da eficácia analgésica de três doses diferentes da dipirona sódica em cadelas submetidas a ovariosalpingohisterectomia. 2006. 122f. Tese. (Doutorado em Ciências) – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. Universidade de São Paulo, São Paulo.

TASAKA, A. C. Antiinflamatórios não-esteroidais. In: SPINOSA, H. S. et al. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 4ª edição, 2006.