Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Adrenalina

Classificaçāo

Simpatomimético

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Adrenalina 1 mg/mL, solução injetável
  • - Adrenalina 1 mg/mL, frasco-ampola

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Arritmias e paradas cardiorespiratórias, pela alteração da frequência e o ritmo de contrações cardíacas de acordo com a situação do paciente;

Hipotensão e choque, pela vasoconstrição generalizada de vasos sanguíneos, aumenta a pressão arterial, pulso e hemostasia;

Reações de hipersensibilidade agudas e graves, pois causa broncodilatação e inibição da histamina.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Contraindicado para pacientes hipertensos, diabéticos. Uso com cautela em pacientes cardiopatas, em pacientes com fibrilação cardíaca e hipovolemia.

EFEITOS ADVERSOS

Tremor, ansiedade, tensão, agitação, fraqueza, vertigem, palidez, dificuldade respiratória e taquicardia

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usada em fêmeas gestantes ou em trabalho de parto

SUPERDOSAGEM

Em altas doses, pode levar a estimulação excessiva da musculatura cardíaca, provocando taquicardia e fibirilação ventricular, podendo ocasionar o óbito do paciente.

Administração e doses

Via(s)

Intratecal

IV

SC

Intracardíaca

Videos da(s) via(s)

Caninos

Todos

Cães

05 - 0,5 mg / animal

Felinos - Gatos

(1)

02 mg / kg

calcular

(2)

0,1 - 0,2 mL / animal

OBSERVAÇÕES

Quando o paciente estiver sendo anestesiado com halotano, a dose utilizada deverá ser menor.

Interações medicamentosas

Anestésicos halogenados

Tipo de Interação

Fibrilação ventricular

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Fibrilação ventricular

Conduta

Considerar outra droga vasopressora com efeito estimulante cardíaco

Antidepressivos tricíclicos

Tipo de Interação

Arritmia cardíaca

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Arritmia cardíaca

Mecanismo de Ação

Antidepressivos tricíclicos bloqueiam a recaptação da adrenalina nos neurónios adrenérgicos, aumentando a sensibilidade às catecolaminas circulantes

Conduta

Evitar o uso

Atenolol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido ou inativado do atenolol

Conduta

Evitar o uso

Atropina

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Atropina contraria a bradicardia reflexa induzida pela adrenalina e potencia o efeito vasopressor desta

Conduta

Ajustar dose

Brometo de Rocurônio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Cloridrato de Amitriptilina

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Arritmia

Mecanismo de Ação

Inibição da recaptação da Adrenalina no neurônio, aumentando ou diminuindo sua sensibilidade no receptor

Conduta

Ajustar dose

Digitálicos

Tipo de Interação

Arritmia cardíaca

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Arritmia cardíaca

Conduta

Evitar o uso

Dobutamina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Disritmia e isquemia do miocárdio

Conduta

Evitar o uso

Furosemida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Furosemida pode diminuir a resposta arteriolar da adrenalina

Conduta

Ajustar dose

Propanolol

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito broncodilatador da adrenalina pode ser inibido. Aumento da pressão sanguínea seguida de bradicardia reflexa, e ocasionalmente arritmia.

Mecanismo de Ação

Vasoconstrição mediada por receptores alfa

Conduta

Evitar o uso

Vasopressina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Diminuição do efeito antidiurético da Vasopressina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Atua como agonista em todos os subtipos de receptores α e β - adrenérgicos

FARMACOCINÉTICA

Não deve ser administrada via oral, pois é rapidamente degradada no trato gastrointestinal. A injeção deve ser lenta para manter a concentração eficaz; a meia-vida é de aproximadamente 2 min. Os metabólitos inativos são excretados na urina. A recaptação neuronal é o principal mecanismo para o término de seus efeitos

EFEITOS ADVERSOS

Tremor, ansiedade, tensão, agitação, fraqueza, vertigem, palidez, dificuldade respiratória e taquicardia

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usada em fêmeas gestantes ou em trabalho de parto

SUPERDOSAGEM

Em altas doses, pode levar a estimulação excessiva da musculatura cardíaca, provocando taquicardia e fibirilação ventricular, podendo ocasionar o óbito do paciente.

MONITORAMENTO

Frequência cardíaca e frequência respiratória devem ser observadas durante o uso da medicação

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

OLIVA, V.N.L.S. Anestesia inalatória. In: Anestesia em Cães e Gatos, 1ª edição. Editores: D.T. Fantoni e S.R.G. Cortopassi. Editora Roca (São Paulo), 174-183, 2002.

ROSSI, C.N. et al. Ressuscitação cardiopulmonar em cães e gatos. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias, 2007

VITAL, M. A. B. F.; ACCO, A. Agonistas e antagonistas adrenérgicos. In: SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L.; BERNARDI, M. M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 4ª edição, 2006.