Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Atenolol

Classificaçāo

Beta-Bloqueador

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Atenolol 50 mg, comprimido
  • - Atenolol 100 mg, comprimido
  • - Atenolol 25 mg, comprimido
  • - Angypress 25 mg, comprimido
  • - Angypress 50 mg, comprimido
  • - Angypress 100 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

O atenolol é um dos principais betabloqueadores usados em cães e gatos.

É primariamente utilizado como antiarrítmico e para o tratamento de outras doenças cardiovasculares em que seja necessária a redução do ritmo sinusal.

Em gatos, este medicamento é comumente usado para tratamento de cardiopatias derivadas de cardiomiopatias e hipertireoidismo.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser empregado como monoterapia nas hipertensões primárias.

Usar com cautela em animais com doenças respiratórias, insuficiência miocárdica, distúrbios da condução cardíaca e baixa reserva cardíaca.

EFEITOS ADVERSOS

Bradicardia, hipotensão depressão , hipoglicemia, broncoconstrição.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser usado com cautela em pacientes gestantes ou lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em altas doses pode mascarar os sontimas associados a hipoglicemia. O uso frequente associado a agentes anestésicos pode causar depressão miocárdica.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12/12 horas ou 24/24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

Doses

Recomendado

Cães

0,25 - 1 mg / kg

calcular

Gatos

3 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

A dose também pode ser estabelecida por animal: 6,25 - 12,5 mg/animal

Interações medicamentosas

Adrenalina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido ou inativado do atenolol

Conduta

Evitar o uso

Amiodarona

Tipo de Interação

Hipotensão arterial, bradicardia e parada cardíaca

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipotensão arterial, bradicardia e parada cardíaca

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do atenolol pela amiodarona

Conduta

Incompatível

Ampicilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do atenolol

Mecanismo de Ação

Redução da absorção do atenolol devido a disfunção do trato gastrointestinal causado pela ampicilina

Conduta

Ajustar dose

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos Anticoagulantes

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Antipirina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Antipirina

Mecanismo de Ação

Redução do metabolismo hepático da Lidocaína

Conduta

Evitar o uso

Atropina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Atenolol

Mecanismo de Ação

Diminuição da motilidade gastrointestinal leva ao aumento do tempo de permanência do Atenolol no estômago, aumentando sua dissolução e biodisponibilidade

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Cimetidina

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Cimetidina

Conduta

Ajustar dose

Clonidina

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipertensão grave

Mecanismo de Ação

Interação farmacodinâmica em nível de receptores Adrenérgicos

Conduta

Evitar o uso

Clorpromazina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

A Clorpromazina pode inibir o metabolismo hepático do Propranolol

Conduta

Incompatível

Diltiazem

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão, bradcardia, sinais de insuficiência cardíaca

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Fenobarbital

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pelo Fenobarbital

Conduta

Ajustar dose

Hidralazina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Aumento transitório do fluxo sanguíneo esplênico e diminuição do metabolismo hepático de primeira passagem

Conduta

Ajustar dose

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Atenolol

Mecanismo de Ação

A velocidade do esvaziamento gástrico pode estar diminuída pelos sais de Alumínio, levando a redução da biodisponibilidade do Atenolol

Conduta

Administrar com intervalo de pelo menos 2 horas

Levotiroxina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Levotiroxina

Mecanismo de Ação

Redução no fluxo sanguíneo hepático, ocorrendo aumento do efeito do Propanolol. Quando faz uso de Levotiroxina pode ocorrer diminuição da eficácia do Propanolol

Conduta

Ajustar dose

Lidocaína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da lidocaína

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo hepático

Conduta

Evitar o usoObservações:

Naproxeno

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Beta-bloqueadores, levando a hipertensão

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Nifedipina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as substâncias

Mecanismo de Ação

Possivelmente devido aos efeitos aditivos ou sinérgicos entre as substâncias

Conduta

Monitorar função cardiovascular, ajustar dose

Remifentanila

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão e bradicardia

Conduta

Ajustar dose

Rifampicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Rifampicina

Conduta

Ajustar dose

Teofilinas

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado das Teofilinas

Mecanismo de Ação

Redução do metabolismo hepático das Teofilinas

Conduta

Ajustar dose

Verapamil

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as substâncias

Mecanismo de Ação

Possivelmente devido aos efeitos aditivos ou sinérgicos entre as substâncias

Conduta

Incompatível

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Diminui a taxa de despolarização espontânea por reduzir a atividade simpática; é mais seletivo para receptores beta 1.

FARMACOCINÉTICA

O atenolol é um betabloqueador hidrossolúvel eliminado pelos rins. Em cães e gatos, a absorção oral é de 90%. Em gatos, a meia-vida do atenolol é de 3,7 horas.

EFEITOS ADVERSOS

Bradicardia, hipotensão depressão , hipoglicemia, broncoconstrição.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser usado com cautela em pacientes gestantes ou lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em altas doses pode mascarar os sontimas associados a hipoglicemia. O uso frequente associado a agentes anestésicos pode causar depressão miocárdica.

MONITORAMENTO

Monitorar frequencia e ritmo cardíaco do paciente.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012

SCHWARTZ, D. S. e MELCHERT, A. Terapêutica do Sistema Cardiovascular em Pequenos Animais. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica veterinária. 3ª ed. – São Paulo: Roca, 2008.

VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Monografias farmacêuticas. In: VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Formulário veterinário farmacêutico. 1. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2004 p

VITAL, M. A. B. F.; ACCO, A. Agonistas e antagonistas adrenérgicos. In: Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária, 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.