Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Azatioprina

Classificaçāo

Imunossupressor

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Não utilize qualquer medicamento imunossupressor sem o conhecimento de um médico veterinário.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Azatioprina 50 mg, comprimido
  • - Imuran 50 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antagonista da purina, Imunossupressor.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Empregar com cautela em felinos (que são mais sensíveis aos efeitos da droga sobre a medula óssea) e em insuficientes renais.

EFEITOS ADVERSOS

Poderão ocorrer como efeitos adversos as desordens hematológicas diversas, anemia, trombocitopenia e linfopenia; e desordens gastrintestinais como vômito e diarreia.

Pode causar também alopecia, erupções cutâneas, pancreatite aguda, hepatotoxicidade e aumento da susceptilidade a doenças infecciosas e neoplásicas.

Gatos são especialmente sensíveis aos efeitos adversos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não é recomendada a utilização durante a gestação ou lactação a não ser que os benefícios superem os riscos relacionados.

Caso utilizado durante gestação, alterações hematológicas devem ser monitoradas com maior frequência.

SUPERDOSAGEM

Podem ocorrer infecções secundárias sem causa aparente.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

- Caninos: 24 / 24 horas;

- Felinos: 48 / 48 horas.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

Doses

Recomendado

Cães

2 mg / kg

calcular

Gatos

0,2 - 0,3 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Após resposta tarapêutica inicial em cães, manter tratamento com dosagem de 0,5-1,0 mg/kg a cada 24 / 24 - 48 / 48 horas.

Interações medicamentosas

Alopurinol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito tóxico aumentado da azatioprina

Mecanismo de Ação

Alopurinol inibe o metabolismo de primeira passagem de mercaptopurina oral

Conduta

Reduzir para 1/4 da dose da azatioprina

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos anticoagulantes

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Brometo de Rocurônio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Captopril

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Alterações hematológicas

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Observações da interação

Não comprovado

Succinilcolina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da succinilcolina

Mecanismo de Ação

Potencialização do bloqueio neuromuscular produzido pela succinilcolina

Conduta

Ajustar dose

Sulfasalazina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Leucopenia

Mecanismo de Ação

Inibição da enzima de metabolização por sulfasalazina

Conduta

Ajustar dose

Tubocurarina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da tubocurarina

Mecanismo de Ação

Inibição do bloqueio neuromuscular causado pela tubocurarina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Em humanos azatioprina é utilizada no tratamento em conjunto com glicocorticoides com o intuito de diminuir a dose do mesmo (redução dos efeitos adversos) por ter capacidade de controlar a inflamação intra-hepática (PARANÁ, 2010) pois é convertida no organismo em metabólitos que impedem a síntese de purinas (KRENSKY, 2012).

Seu uso em cães com dermatite atópica ainda não foi profundamente estudado.

FARMACOCINÉTICA

Em humanos é bem absorvida por via oral, atingindo concentrações sanguíneas máximas dentro de 1 a 2 horas (KRENSKY, 2012).

EFEITOS ADVERSOS

Poderão ocorrer como efeitos adversos as desordens hematológicas diversas, anemia, trombocitopenia e linfopenia; e desordens gastrintestinais como vômito e diarreia.

Pode causar também alopecia, erupções cutâneas, pancreatite aguda, hepatotoxicidade e aumento da susceptilidade a doenças infecciosas e neoplásicas.

Gatos são especialmente sensíveis aos efeitos adversos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não é recomendada a utilização durante a gestação ou lactação a não ser que os benefícios superem os riscos relacionados.

Caso utilizado durante gestação, alterações hematológicas devem ser monitoradas com maior frequência.

SUPERDOSAGEM

Podem ocorrer infecções secundárias sem causa aparente.

MONITORAMENTO

Monitorar efeitos de mielossupressão em felinos.

Devem ser feitas contagens celulares sanguíneas intermitentes, com atenção especial a determinação enzimática hepática e contagem plaquetária (KRENSKY, 2012 e MOORE, 2013).

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

KRENSKY A. M. et al. Imunossupressores, tolerógenos e imunoestimulantes. In: BRUNTON, L. L. et al. As Bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman & Gilman [tradução: Augusto Langeloh et al. ; revisão técnica: Almir Lourenço da Fonseca] 12. ed. Porto Alegre: AMGH, 2012.

MOORE C. P. Farmacologia Oftálmica. In: ADAMS, H. R. Farmacologia e terapêutica em veterinária / editoria de H. Richard Adams; [tradução Cid Figueiredo]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

PARANÁ R. et al. Farmacologia Aplicada ao Tratamento das Hepatites Crônicas. SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.