Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Furosemida

Classificaçāo

Diurético de Alça

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Deixe água de qualidade à disposição do animal.

Informe ao médico veterinário sobre o aparecimentos de sinais adversos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Furosemida 40 mg, comprimido
  • - Furosemida 10 mg/mL, solução injetável
  • - Furosemida 530 mg / 10 mL, frasco-ampola
  • - Lasix 10 mg/mL, solução injetável
  • - Lasix 40 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Diurético de alça para ação diurética.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Contraindicada em pacientes com anúria ou hipersensíveis à droga.

Cautela em portadores de diabetes mellitus, disfunções hepáticas e doenças que causem desequilíbrio eletrolítico.

EFEITOS ADVERSOS

Desidratação, hipocalemia, azotemia pré-renal, hipocloremia, hiponatremia, hipomagnésia, ototoxicidade, queda do débito cardíaco, colapso circulatório e insuficiência renal.

Gatos estão mais propensos a apresentação de sinais adversos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Cautela no uso em gestação e lactação. A furosemida é excretada no leite.

SUPERDOSAGEM

Em doses altas além de causar ototoxicidade pode causar a redução da função renal.

Administração e doses

Via(s)

IV

SC

Oral

IM

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8 / 8 - 12 / 12 horas

Em quadros agudos a cada 1 - 4 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

ICC moderada VO (SCHWARTZ e MELCHERT, 2008)

Recomendado

Cães

1 - 3 mg / kg

calcular

ICC moderada VO/SC (SCHWARTZ e MELCHERT, 2008)

Recomendado

Gatos

1 - 2 mg / kg

calcular

ICC fulminante IV/IM (SCHWARTZ e MELCHERT, 2008)

Recomendado

Cães

2 - 6 mg / kg

calcular

Gatos

1 - 4 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Indica-se a via SC para pacientes com sinais de ICC direita (com edema intestinal).

Cães com sinais moderados de ICC indica-se doses mais baixas pela via oral;

E pacientes com IC fulminante podem ser usadas doses maiores pelas vias IV ou IM.

Pode ser administrada por infusão contínua ou em bolus, devendo ser avaliada a condição do paciente e resultados esperados (FIORINI, 2017).

Interações medicamentosas

Adrenalina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Furosemida pode diminuir a resposta arteriolar da adrenalina

Conduta

Ajustar dose

Aminoglicosídeos

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Ototoxicidade grave

Mecanismo de Ação

Toxicidade auditiva sinérgica entre as drogas envolvidas

Conduta

Incompatível

Antiinflamatórios não-esteroidais

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Inibição de prostaglandinas responsáveis pela manutenção da hemodinâmica renal

Conduta

Ajustar doseObservações:

Atracúrio

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Potencialização ou antagonização das ações do besilato de atracúrio

Mecanismo de Ação

A hipocalemia induzida pelos diuréticos aumenta a sensibilidade ao bloqueio muscular. Além disso, a natureza bifásica da interacção pode ser explicada pela inibição enzimática causada pelo diurético

Conduta

Evitar o uso

Observações da interação

Altas doses de furosemida podem antagonizar o bloqueador neuromuscular, enquanto que baixas doses podem potencializar o bloqueio

Carprofeno

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Dependente da ação das prostaglandinas sobre a vasodilatação para que haja efeito sobre os rins

Conduta

Evitar o uso

Cefovecina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeitos adversos

Mecanismo de Ação

Substâncias com nível elevado de ligação às proteínas plasmáticas podem competir com a ligação da cefovecina

Conduta

Evitar o uso

Cisplatina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Ototoxicidade grave

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Colchicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Colchicina

Mecanismo de Ação

Aumento da concentração plasmática de ácido úrico, diminuindo a eficácia da Colchicina

Conduta

Ajustar dose

Digitálicos

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Arritmias induzidas pelo Digitálico

Mecanismo de Ação

Aumento da excreção urinária de potássio e magnésio causado pelos diuréticos afeta a ação muscular cardíaca

Conduta

Incompatível

Dipirona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Conduta

Monitorar pressão arteial e diurese

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Redução da absorção oral de furosemida

Conduta

Ajustar dose

Lítio

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade do Lítio

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Morfina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Diuréticos

Mecanismo de Ação

Indução da liberação de hormônios antidiuréticos

Conduta

Evitar o uso

Nimesulida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Diuréticos

Conduta

Ajustar dose

Probenecida

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Diminuição da distribuição dos diuréticos de alça para seus locais de ação dentro do lúmen tubular renal

Conduta

Ajustar dose

Sucralfato

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da furosemida

Mecanismo de Ação

Diminuição na absorção

Conduta

Intervalo de 2 horas entre as administrações das subst.

Teofilinas

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Teofilina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Em meio ácido a solução de furosemida apresenta precipitação, portanto no caso de diluição de soluções injetáveis de furosemida, deve-se ter cautela para que o pH da solução esteja dentro de uma variação de levemente alcalino para neutro. Solução salina normal é adequada como diluente.

FARMACODINÂMICA

A furosemida atua através da inibição da reabsorção de sódio, potássio e cloreto no segmento espesso do ramo ascendente da alça de Henle.

O efeito diurético alcançado leva também ao aumento da concentração urinária destes íons.

FARMACOCINÉTICA

A furosemida é facilmente absorvida quando administrada oralmente. Também pode ser utilizada pelas vias oral, subcutânea e intravenosa.

Quando utilizada pela via IV auxilia no tratamento de edema pulmonar por apresentar também efeito venodilatador.

Por ser ligar às proteínas plasmáticas logo após a absorção, apenas uma pequena parcela é metabolizada e a maior parte da dose terapêutica é transportada através dos túbulos contornados proximais.

Após administração intravenosa de furosemida, o início da ação ocorre entre 5 e 30 minutos (com duração dos efeitos de 2 a 3 horas) e quando administrada por via oral ocorre em 1 ou 2 horas e seus efeitos duram até 6 horas.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode ocasionar anemia e leucopenia como efeitos adversos.

EFEITOS ADVERSOS

Desidratação, hipocalemia, azotemia pré-renal, hipocloremia, hiponatremia, hipomagnésia, ototoxicidade, queda do débito cardíaco, colapso circulatório e insuficiência renal.

Gatos estão mais propensos a apresentação de sinais adversos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Cautela no uso em gestação e lactação. A furosemida é excretada no leite.

SUPERDOSAGEM

Em doses altas além de causar ototoxicidade pode causar a redução da função renal.

MONITORAMENTO

Monitorar a hidratação do paciente, se necessário fazer reposição hídrica de maneira lenta para não agravar quados de ICC.

Hipovolemia e distúrbios de eletrólitos também devem ser monitorados durante o tratamento.

Avaliar sinais de ototoxicidade em terapias prolongadas.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

AVISO: algumas informações foram retiradas da bula do medicamento referência, que consta na base de dados da ANVISA. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp>

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012