Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Diazepam

Classificaçāo

Benzodiazepínico, Anticonvulsivante

Receita

Receita Azul ou B

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Informe ao Médico Veterinário a ocorrência de gestação ou lactação durante ou logo após o tratamento.

A interrupção do tratamento e a modificação de dose não devem ser feitas sem a orientação do Médico Veterinário.

O medicamento só deve ser prescrito por um Médico Veterinário. O uso indiscriminado de benzodiazepínicos pode ser perigoso para a saúde dos animais.

Continue o tratamento pelo tempo determinado pelo médico veterinário, mesmo se o animal apresentar melhora.

Não faça uso deste medicamento sem orientação Médica. O abuso de benzodiazepínicos pode ser perigoso para saúde humana e causar depência química.

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Diazepam 5 mg, comprimido
  • - Diazepam 10 mg, comprimido
  • - Diazepam 5 mg/mL, ampola
  • - Vallium 5 mg/mL, ampola
  • - Vallium 5 mg, comprimido
  • - Vallium 10 mg, comprimido
  • - Diempax 5 mg/mL, ampola
  • - Diempax 5 mg, comprimido
  • - Diempax 10 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Os benzodiazepínicos são indicados para reduzir a agressividade, promover miorrelaxamento de ação central, atuar como anticonvulsivante, e, associados ou não a tranquilizantes maiores (fenotiazínicos) ou agentes anestésicos (cetamina, propofol, etomidato), são usados na pré-anestesia e na indução anestésica (SPINOSA & GÓRNIAK, 2006). Essas associações permitem redução de até 50% das doses dos fármacos anestésicos, diminuindo as possibilidades de efeitos adversos (FANTONI & CORTOPASSI, 2008).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser administrado em animais com hipersensibilidade aos benzodiazepínicos. Usar com cautela em animais com insuficiência hepática ou pulmonar.

EFEITOS ADVERSOS

Poussuem baixa incidência de efietos colaterais, no entanto há podem ocorrer: ataxia, agitação e excitação, quando administrados em animais com estado de alerta normal. Alguns outros sinais são: sonolência, irritabilidade, incoordenação motora.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinada a reprodução.

SUPERDOSAGEM

A superdose de pode levar à arreflexia, apneia, hipotensão arterial, depressão cardiorrespiratória e coma.

Administração e doses

Via(s)

IM

Oral

IV

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Para controle de convulsões: 3 a 4 vezes/dia

Para controle de estado epilético: depois da primeira aplicação, podem ser feitas mais 4 ou 5 com intervalos de 15 a 30 minutos entre elas, caso seja necessário.

Estado epilético

Recomendado

Cães e Gatos

0,5 - 1 mg / kg

calcular

Convulsão

Recomendado

Cães

1 - 4 mg / kg

calcular

Gatos

2 - 5 mg / kg

calcular

Pré-anestesia

Recomendado

Cães e Gatos

0,1 - 0,5 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Buprenorfina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Depressão respiratória prolongada

Mecanismo de Ação

Os efeitos de opióides e benzodiazepínicos são sinérgicos

Conduta

Incompatível

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Diazepam, incluse a sedação

Mecanismo de Ação

Inibição das enzimas envolvidas no metabolismo oxidativo hepático do Diazepam

Conduta

Ajustar dose

Cisaprida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico com início de ação mais rápida

Mecanismo de Ação

Aumento da motilidade gastrointestinal causada pela Cisaprida leva ao aumento da velocidade da absorção do Diazepam

Conduta

Tratamento com doses múltiplas resolve o problema

Cloridrato de Atipamezol

Grau de Interação

Moderado

Conduta

Incompatível

Fentanil

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Fentanil

Conduta

Ajustar dose

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido ou uma demora no efeito sedativo dos Benzodiazepínicos

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Levodopa

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Levodopa

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Maropitant

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de uma das subst.

Mecanismo de Ação

Competição por canais de cálcio

Conduta

Evitar o uso

Melatonina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito sedativo dos Benzodiazepínicos

Conduta

Evitar o uso

Metadona

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Depressão respiratória

Mecanismo de Ação

Os efeitos de opióides e benzodiazepínicos são sinérgicos

Conduta

Incompatível

Mirtazapina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito sedativo dos Benzodiazepínicos

Conduta

Ajustar dose

Teofilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Diminuição dos efeitos sedativos do Diazepam

Mecanismo de Ação

Ligação competitiva aos receptores cerebrais de adenosina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Atuam seletivamente no SNC, aumentando a ação de neurotransmissores inibitórios; abrem os canais de cloro, deixando o neurônio hiperpolarizado e promovem parte da sua ação combinando-se com receptores específicos para benzodiazepínicos no SNC (FANTONI & CORTOPASSI, 2008).

FARMACOCINÉTICA

São rapidamente absorvidos pelo trato gastrointestinal. A injeção IM provoca absorção irregular e o risco de formação de precipitados, já a administração IV é bastante difundida, na pré-anestesia e controle de convulsões. A distribuição é ampla no organismo e ligam-se fortemente às proteínas plasmáticas. A biotransformação é hepática e a eliminação é renal, dos metabólitos inativos (SPINOSA & GÓRNIAK, 2006).

EFEITOS ADVERSOS

Poussuem baixa incidência de efietos colaterais, no entanto há podem ocorrer: ataxia, agitação e excitação, quando administrados em animais com estado de alerta normal. Alguns outros sinais são: sonolência, irritabilidade, incoordenação motora.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinada a reprodução.

SUPERDOSAGEM

A superdose de pode levar à arreflexia, apneia, hipotensão arterial, depressão cardiorrespiratória e coma.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

FANTONI, D. T.; CORTOPASSI, S. R. G. Tranquilizantes e sedativos.In: Andrade SF. Manual de terapêutica veterinária. 3. ed. São Paulo: Roca, 2008.

SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L. Tranquilizantes, relaxantes musculares de ação central e antidepressivos. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

TEIXEIRA, Elsa Palma. Desvios Comportamentais nas Espécies Canina e Felina: Panorama Actual e Discussão de Casos Clínicos. 2009. 100 p. Dissertação (Mestrado em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais), UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA, Lisboa, 2009.