Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • N-acetilcisteína

Classificaçāo

Mucolítico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) e proteger da luz. A ampola, depois de aberta e se conservada sob refrigeração, pode ser utilizada por no máximo 24 horas para uso inalatório. Para uso injetável, deve-se utilizar o conteúdo da ampola imediatamente depois de aberta.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - N-acetilcisteína 10%, solução injetável
  • - N-acetilcisteína 200 mg, envelope
  • - N-acetilcisteína 100 mg, envelope
  • - N-acetilcisteína 20 mg/mL, xarope
  • - N-acetilcisteína 600 mg, envelope
  • - N-acetilcisteína 40 mg/mL, xarope
  • - Fluimucil 20 mg/mL, xarope
  • - Fluimucil 40 mg/mL, xarope
  • - Fluimucil 100 mg, envelope
  • - Fluimucil 200 mg, envelope
  • - Fluimucil 600 mg, envelope
  • - Fluimucil 10%, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Utilizada no tratamento de intoxicação por acetaminofeno (DORIGON, 2013). Alguns estudos apontam que por ter propriedades antioxidantes, pode auxiliar no tratamento de animais com insuficiência hepática aguda, lipidose hepática e doença renal crônica (ONDANI, 2011; GALVÃO, 2011).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Quando administrada diretamente no trato respiratório pode causar irritação do epitélio, provocando tosse e/ou broncoespasmo.

EFEITOS ADVERSOS

A acetilcisteína é bem tolerada pelo organismo quando administrada por via oral. Quando administrada diretamente no trato respiratório pode causar irritação do epitélio, provocando tosse e/ou broncoespasmo.

Administração e doses

Via(s)

Oral

IV

Nebulização

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8 / 8 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico veterinário.

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

3 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Intoxicação por acetaminofeno: 140 mg/kg (IV ou VO) seguido de doses de 70 mg/kg (VO)

Interações medicamentosas

Antitussígenos

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Acúmulo de secreções em brônquios

Mecanismo de Ação

Redução do reflexo tussígeno

Conduta

Incompatível

Carvão ativado

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do N-acetilcisteína

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Deve-se esperar de duas a três horas entre a administração de carvão ativado e de NAC oral, já que o carvão ativado pode adsorver NAC

FARMACODINÂMICA

A acetilcisteína é eficaz no tratamento da intoxicação por acetaminofeno (paracetamol) em cães se administrada dentro de poucas horas. Em gatos ela deve ser administrada caso hajam sinais de intoxicação independente do tempo decorrido desde a administração do fármaco (MADDISON, 2011).

FARMACOCINÉTICA

É bem absorvida quando administrada por via oral, e quando aplicada por nebulização, uma parcela é absorvida enquanto a maior parte é envolvida na reação sulfidrila-dissulfeto. É absorvida e transformada no fígado através da desacetilação para cisteína.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode interferir no teste de cetona na urina.

EFEITOS ADVERSOS

A acetilcisteína é bem tolerada pelo organismo quando administrada por via oral. Quando administrada diretamente no trato respiratório pode causar irritação do epitélio, provocando tosse e/ou broncoespasmo.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

DORIGON, Otávia et al. Intoxicação por paracetamol em gatos. Revista de Ciências Agroveterinárias, v. 12, n. 1, p. 88-93, 2013.

GALVÃO, A. L. B. et al. Efeitos do antioxidante N-acetilcisteína sobre o perfil eritrocitário de cães idosos sadios ou com doença renal crônica. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 10, n. 1, p. 66-66.

MADDISON, J.E. Farmacologia clínica de pequenos animais - 2ª edição. Elsevier Health Sciences, 2011.

ONDANI, Amanda Cristiane; CARVALHO, Marileda Bonafim; GALVÃO, André Luiz Baptista. N-acetilcisteína-ação antioxidante e utilização na clínica de pequenos animais. Archives of Veterinary Science, p. 18-25, 2011.