Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Brometo de Rocurônio

Classificaçāo

Relaxante Muscular

Receita

Restrito a Hospitais

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado na sua embalagem original, protegido da luz e umidade, devendo ser conservado sob refrigeração (entre 2°C e 8°C).

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Brometo de Rocurônio, solução injetável
  • - Esmeron, solução injetável

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É empregado principalmente durante anestesia e intubação tranqueal ou outras condições em que é necessário inibir as contrações musculares.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não devem ser usados na ausência de condições adequadas de fornecimento de respiração artificial, em pacientes com miastenia grave ou hipersensibilidade conhecida ao brometo de rocurônio.

EFEITOS ADVERSOS

Devido a liberação de histamina, podem ocorrer vários efeitos indesejáveis como: salivação excessiva, secreção brônquica, hipotensão e e espasmo brônquico.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser usada com cautela em pacientes gestantes ou lactantes, pois fetos e recém nascidos são mais sensíveis aos efietos deste relaxante.

SUPERDOSAGEM

Altas doses podem aumentar os efeitos adversos, bem como ocasionar depressão respiratória e paralisia prolongada.

Administração e doses

Via(s)

IV

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

De acordo com protocolo médico.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

0,18 mg / kg

calcular

Gatos

0,1 - 0,3 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Adrenalina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Aminoglicosídeos

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Mecanismo de Ação

Sinergismo farmacológico

Conduta

Ajustar dose

Azatioprina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Diuréticos

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo do Rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Fentanil

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Lidocaína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado da lidocaína

Conduta

Ajustar dose

Lincosamida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Mecanismo de Ação

Potencialização devido a ações farmacológicas aditivas

Conduta

Ajustar dose

Neostigmina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Propofol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Quetamina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Quinidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Tetraciclinas

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Em estudos de compatibilidade, foi demonstrado que, brometo de rocurônio, em concentrações nominais de 0,5 mg/mL e 2,0 mg/mL, é compatível com as seguintes soluções de infusão: NaCl a 0,9%; glicose a 5%; soro glicofisiológico (glicose a 5% em soro fisiológico); água para injeção; solução de Ringer Lactato;

A administração deve ser iniciada imediatamente após a mistura, devendo ser completada dentro das 24 horas seguintes.

As soluções não utilizadas devem ser descartadas.

FARMACODINÂMICA

Ação intermediária, produz efeito máximo após 2 minutos da administração. Tempo de duração de 30 a 40 minutos.

Bloqueador neuromuscular competitivo (não-despolarizante), que inibem a transmissão sináptica na junção neuromuscular.

São antagonistasdos receptores nicotínicos pré e pós sinápticos dos axôniosdos neurônios motores, que regulam a liberação da acetilcolina (KANASHIRO, 2008).

FARMACOCINÉTICA

Em torno de 30% do medicamento é biotransformado no fígado e o restantes é excretado inalterado. Somente 10% é eliminado na bile, os outros 90 são excretados pelos rins.

EFEITOS ADVERSOS

Devido a liberação de histamina, podem ocorrer vários efeitos indesejáveis como: salivação excessiva, secreção brônquica, hipotensão e e espasmo brônquico.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser usada com cautela em pacientes gestantes ou lactantes, pois fetos e recém nascidos são mais sensíveis aos efietos deste relaxante.

SUPERDOSAGEM

Altas doses podem aumentar os efeitos adversos, bem como ocasionar depressão respiratória e paralisia prolongada.

MONITORAMENTO

Monitorar a frequência respiratória do paciente, frequência e o ritmo cardíacos durante o uso. Monitorar a oxigenação durante anestesia.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

GÓRNIAK, S. L. Transmissão neuromuscular e relaxantes musculares de ação periférica. In: SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L.; BERNARDI, M. M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 4ª edição, 2006

KANASHIRO, G. P. Miorrelaxantes de ação central e periférica. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012

VIANNA, P. T. G.; GANEM, E. M. Agentes Bloqueadores Neuromusculares. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.