Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Piroxicam

Classificaçāo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Nunca dê Piroxicam ou outro medicamento com ação anti-inflamatória ao animal, sem antes consultar um médico veterinário.

Não altere a dose recomendada pelo médico veterinário.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Piroxicam 10 mg, comprimido
  • - Piroxicam 20 mg, comprimido
  • - Piroxicam 10 mg, comprimido solúvel
  • - Piroxicam 20 mg, comprimido solúvel
  • - Piroxicam 20 mg/mL, ampola
  • - Feldene 10 mg, comprimido
  • - Feldene 20 mg, comprimido
  • - Feldene 10 mg, comprimido solúvel
  • - Feldene 20 mg, comprimido solúvel
  • - Feldene 20 mg/mL, ampola
  • - Inflamene 10 mg, comprimido
  • - Inflamene 20 mg, comprimido
  • - Inflamene 10 mg, comprimido solúvel
  • - Inflamene 20 mg, comprimido solúvel
  • - Inflamene 20 mg/mL, ampola
  • - Feldene gel 0,5% 10 mg, comprimido
  • - Feldene gel 0,5% 20 mg, comprimido
  • - Feldene gel 0,5% 10 mg, comprimido solúvel
  • - Feldene gel 0,5% 20 mg, comprimido solúvel
  • - Feldene gel 0,5% 20 mg/mL, ampola

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Anti-inflamatório não-esteroidal, analgésico e adjuvante em algumas neoplasias.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com extremo cuidado em gatos.

Usar com cautela em portadores de ulcerações gastrointestinais, coagulopatias e cardiopatias graves.

EFEITOS ADVERSOS

Mesmo nas doses terapêuticas, efeitos adversos têm sido relatados em cães.

Esses efeitos podem incluir: ulcerações gastrointestinais, gastrites, gastroenterites hemorrágicas, hepatotoxicidade, nefrotoxicidade e peritonite.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em gestantes.

Os AINEs geralmente são excretados através do leite, mesmo que em pequenas doses. Usar com cautela em lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em casos de superdosagem são esperados os efeitos adversos já listados, principalmentes aqueles gastrintestinais.

Administração e doses

Via(s)

IV

Tópica

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

- Caninos: 24 / 24 - 48 / 48 horas;

- Felinos: 25 / 24 - 72 / 72 horas.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

0,3 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Usado com extrema cautela em gatos.

Adjuvante em terapias neoplásicas de bexiga (GRAPEGIA, 2017; VIEIRA e PINHEIRO, 2004)

Interações medicamentosas

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos Anticoagulantes, com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Diminuição da agregação plaquetária e irritação gástrica causadas pelos antiinflamatórios

Conduta

Incompatível

Lítio

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade do Lítio

Mecanismo de Ação

A interferência com a produção de prostaglandina renal induzida pelo antiinflamatório pode reduzir a eliminação renal do lítio

Conduta

Ajustar dose

Ácido Acetilsalicílico

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Piroxicam

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo de ação dos AINEs (Anti-inflamatórios não esteroides) ainda não são completamente conhecidos, porém sabe-se uma das principais funções é a de inibir a síntese das prostaglandinas, importante processo da inflamação.

A inibição da síntese de prostaglandinas ocorre principalmente pela inibição específica das ciclixigenases (COX-1 e COX-2), e conseqüente redução da conversão do ácido araquidônico em prostaglandinas.

O piroxicam é inibidor da agregação plaquetária, efeito que pode permanecer até duas semanas após a administração do medicamento.

Inibe também a formação de superóxidos, liberação de enzimas lisossomais e a agregação de neutrófilos.

FARMACOCINÉTICA

Bem absorvido pela via oral, também pode ser usado de maneira tópica em cães.

Apresenta ação anti-inflamatória prolongada no organismo.

Acredita-se que possa ocorrer circulação êntero-hepática, justificando a meia-vida prolongada.

Por apresentar ação duradoura, pode ser administrado uma vez ao dia.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Em humanos já foram relatados anemia, trombocitopenia, leucopenia e eosinofilia relacionados ao uso do piroxicam.

EFEITOS ADVERSOS

Mesmo nas doses terapêuticas, efeitos adversos têm sido relatados em cães.

Esses efeitos podem incluir: ulcerações gastrointestinais, gastrites, gastroenterites hemorrágicas, hepatotoxicidade, nefrotoxicidade e peritonite.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não usar em gestantes.

Os AINEs geralmente são excretados através do leite, mesmo que em pequenas doses. Usar com cautela em lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em casos de superdosagem são esperados os efeitos adversos já listados, principalmentes aqueles gastrintestinais.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

GRAPEGIA, Filipe Zanella; LIMA, Bruno Roque. Quimioterapia metronômica para o tratamento de tumor de células carcinomatosas de transição na região de trígono vesical em gato. PUBVET, v. 11, p. In Press, 2017.

KNAPP, Deborah W. et al. Piroxicam therapy in 34 dogs with transitional cell carcinoma of the urinary bladder. Journal of Veterinary Internal Medicine, v. 8, n. 4, p. 273-278, 1994.

KRÜGER, Renan Marcel et al. Reconstrução de ponte nasal com tela de titânio após exérese tumoral em um cão. Ciência Rural, v. 41, n. 3, 2011.

VIEIRA F. C e PINHEIRO V. A. Monografias Farmacêuticas. In: VIEIRA F. C e PINHEIRO V. A. Formulário Veterinário Farmacêutico. 1ª edição, São Paulo: Pharmabooks, 2004.

SCHMIDT, Bradley R. et al. Evaluation of piroxicam for the treatment of oral squamous cell carcinoma in dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 218, n. 11, p. 1783-1786, 2001.