Revimax 50 mg (9 x 9 mm)

Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Propentofilina

Classificaçāo

Vasodilatador Cerebral e Periférico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido contém:

Propentofilina 50 mg

Excipiente q.s.p. 209 mg

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, à temperatura ambiente (15°C a 30°C), ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Revimax 50 mg, comprimido (30 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Indicado para o tratamento das afecções decorrentes da má circulação periférica e cerebral, melhorando a qualidade de vida do paciente geriátrico.

O medicamento possui amplo perfil farmacológico, gerando as seguintes ações positivas para o cão idoso:

•Aumenta o fluxo sanguíneo cerebral e atua diretamente contra o processo neurodegenerativo, melhorando as funções cognitivas e reduzindo as alterações comportamentais do animal senil.

•Eleva o fluxo sanguíneo e reduz a resistência vascular periférica, aumentando o débito cardíaco e tratando doenças isquêmicas dos membros e das extremidades.

•Possui um efeito inotrópico positivo discreto, elevando a força de contração e a frequência cardíacas de forma dose-dependente. Apresenta um efeito vasodilatador misto (arteriovenoso) moderado que potencializa todas as suas ações.

•Possui efeito broncodilatador.

Nos casos em que os sintomas gerais do cão idoso estiverem associados a alguma alteração orgânica como, por exemplo, insuficiência cardíaca, será necessário estabelecer um tratamento etiológico específico para a causa de base.

Este produto é destinado especialmente para o tratamento de cães, não sendo aprovado para uso em felinos. A indicação pode se estender a outras espécies de animais domésticos ou silvestres a critério do Médico Veterinário responsável pelo tratamento.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

O medicamento é contraindicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida à propentofilina, a outras metilxantinas ou a qualquer outro componente da fórmula.

O produto não deve ser utilizado em animais com insuficiência cardíaca grave (classes III e IV). O produto é contraindicado para o tratamento de arritmias graves e de arteriosclerose coronariana avançada.

O produto não é recomendado a pacientes com hipertensão intracraniana acentuada (decorrente de alterações estruturais como anormalidades congênitas ou neoplasias, por exemplo) ou com hemorragias intracerebrais agudas (traumas e acidentes vasculares cerebrais).

A terapia deverá ser descontinuada se sinais de hemorragia surgirem. O medicamento é contraindicado em caso de diátese hemorrágica de qualquer origem.

A dose do medicamento deve ser reduzida em casos de insuficiência renal. Pacientes com doenças hepáticas e renais graves deverão ser particularmente monitorados.

EFEITOS ADVERSOS

Os efeitos colaterais em cães parecem ser bastante limitados e ocorrem excepcionalmente (como, por exemplo, em animais debilitados) na forma de reações alérgicas, intolerância digestória, náuseas, dores epigástricas e excitação. Nestes casos, recomenda-se suspender imediatamente o tratamento e notificar o Médico Veterinário responsável.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Devido a experiências insuficientes, a administração da propentofilina não deve ser realizada durante a prenhez, lactação ou em fêmeas destinadas à reprodução. Da mesma forma, não se recomenda o uso em filhotes.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 / 12 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

4 a 6 semanas ou a critério do Médico Veterinário.

Doses

Recomendado

Cães

3 - 5 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

O produto deve ser administrado 1 hora antes da alimentação, mantendo-se o aporte de água normal. Os comprimidos podem ser fornecidos inteiros ou fragmentados, de acordo com a dose adequada ao peso do animal.

Atenção: assegure-se de que o cão deglutiu toda a quantidade do medicamento fornecido.

Interações medicamentosas

Observações da interação

Nenhuma interação medicamentosa grave foi descrita até o presente momento. A propentofilina pode potencializar os efeitos de agentes que combatem a hipertensão, de drogas que diminuem a capacidade de coagulação e pode alterar ainda o efeito de agentes hipoglicemiantes orais.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A adenosina é um nucleosídeo que desempenha papel importante no processo de transferência de energia (sob a forma de trifosfato de adenosina – ATP ou difosfato de adenosina – ADP) e de sinalização intracelular (como monofosfato de adenosina cíclico – cAMP ou monofosfato de guanosina cíclico – cGMP). Além disso, a adenosina atua como um neurotransmissor no sistema nervoso central e periférico, havendo diversos tipos de receptores distribuídos nos tecidos orgânicos. Integrando as moléculas de ATP, ADP, cAMP, cGMP ou atuando como neurotransmissor, a adenosina está presente em virtualmente todas as células, com destaque para a sua ação nos neurônios, células da glia, plaquetas, hemácias, neutrófilos e células endoteliais. A adenosina também exerce um papel relevante na proteção do tecido nervoso ao inibir o efeito deletério dos radicais livres.

A propentofilina é uma metilxantina, classe de medicamentos utilizada em medicina humana no tratamento de doenças neurológicas relacionadas à senilidade ou situações em que ocorre o comprometimento da circulação sanguínea. A ação da propentofilina envolve basicamente o aumento da atividade da adenosina nos meios extracelular e intracelular por meio de 2 mecanismos distintos. Em primeiro lugar, a propentofilina impede a recaptação da adenosina nos neurônios, aumentando suas concentrações no meio extracelular, particularmente nas fendas sinápticas e terminações nervosas. Outro modo de ação relaciona-se à inibição de enzimas intracelulares responsáveis pela degradação do cAMP e cGMP (fosfodiesterases I, II e IV), havendo potencialização dos efeitos farmacológicos gerados por essas moléculas.

No sistema cardiovascular, a propentofilina promove vasodilatação e inibe a agregação plaquetária, melhorando o fluxo e a viscosidade do sangue. Esse efeito é mediado pela ação da adenosina sobre os receptores do tipo A2A presentes nas células do endotélio vascular e nas plaquetas. A consequência é a melhor perfusão tecidual global, que traz efeitos positivos para o funcionamento cardíaco.

No sistema nervoso, a propentofilina melhora a circulação, como nos demais órgãos, mas também exerce um efeito neuroprotetor. Essas propriedades justificam o seu emprego em doenças degenerativas ou acompanhadas de comprometimento circulatório em seres humanos e animais idosos, com resultados favoráveis quanto à recuperação das funções cognitivas e nível de atividade física. O efeito neuroprotetor da propentofilina é gerado pelo aumento de adenosina no meio extracelular. Sabese que a adenosina tem ação oposta aos radicais livres e à substância amilóide beta, os quais se formam com o avanço da idade, nas doenças isquêmicas e nos processos degenerativos. Mecanismos complementares de neuroproteção da adenosina incluem a redução do cálcio intracelular e a inibição da produção de interleucina 1b e do fator de necrose tumoral. Adicionalmente, a adenosina pode exercer um efeito trófico sobre o sistema nervoso, por estimulação do fator de crescimento neuronal.

EFEITOS ADVERSOS

Os efeitos colaterais em cães parecem ser bastante limitados e ocorrem excepcionalmente (como, por exemplo, em animais debilitados) na forma de reações alérgicas, intolerância digestória, náuseas, dores epigástricas e excitação. Nestes casos, recomenda-se suspender imediatamente o tratamento e notificar o Médico Veterinário responsável.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Devido a experiências insuficientes, a administração da propentofilina não deve ser realizada durante a prenhez, lactação ou em fêmeas destinadas à reprodução. Da mesma forma, não se recomenda o uso em filhotes.

MONITORAMENTO

No caso do uso concomitante com drogas simpatolíticas, ganglioplégicas e vasodilatadoras, o produto pode intensificar a queda de pressão sanguínea e, portanto, recomenda-se a monitoração regular.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.